Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Coronavírus: Prefeituras recebem orientação para que atividades agropecuárias sejam mantidas

Medidas preventivas para o campo serão adotadas em razão da pandemia do novo coronavírus


postado em 27/03/2020 15:50 / atualizado em 27/03/2020 17:50

As feiras de alimentos serão fiscalizadas pela prefeitura e órgãos responsáveis(foto: Reprodução/ Internet)
As feiras de alimentos serão fiscalizadas pela prefeitura e órgãos responsáveis (foto: Reprodução/ Internet)
Para que as atividades agropecuárias não sejam prejudicadas durante a quarentena em razão da pandemia do novo coronavírus, os prefeitos dos 853 municípios mineiros receberam da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) orientações elaboradas pelo Comitê Extraordinário COVID-19. O documento reúne medidas estratégicas de manutenção de feiras e outras recomendações. A fiscalização do cumprimento das determinações deverá ser executada por funcionário designado pelas prefeituras.

Os hipermercadossupermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, de água mineral e de alimentos para animais, conforme o documento, devem ter a sua atividade assegurada pelos municípios, assim como seus respectivos sistemas logísticos de operação e cadeia de abastecimento. Além deles, a cadeia industrial de alimentos e as atividades agrícolas, silvestres, pastoris e agroindustriais integram a lista.

Estão suspensos os serviços, atividades e empreendimentos públicos ou privados, com circulação ou potencial aglomeração de gente, além de eventos com público superior a 30 pessoas e que não se enquadrem nos serviços e atividades que devem ter a sua continuidade assegurada.

Novas regras para as feiras

A realização das feiras de comercialização de alimentos, incluindo hortifrutigranjeiros, está autorizada, no entanto será necessário que as prefeituras e outros órgãos responsáveis pela organização e gestão desses pontos de venda adotem medidas para garantir a segurança dos comerciantes e dos consumidores.

De acordo com o subsecretário de Política e Economia Agropecuária da Seapa, João Ricardo Albanez, as feiras são um importante canal de abastecimento para a população. “Nesses espaços, os agricultores têm a oportunidade de comercializar de forma direta, sem atravessadores, produtos recém-colhidos, artesanais e de agroindústrias de pequeno porte. Para muitos deles, a feira é a principal, senão a única, fonte de renda da família”, esclarece.

As medidas restritivas de atividades levaram o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) a disponibilizar em suas plataformas dois caminhos para quem deseja utilizar o tempo livre para aprimorar seus conhecimentos no agronegócio.

Na plataforma de Ensino a Distância, a entidade ampliou as vagas para os 70 cursos disponíveis, com conteúdo 100% on-line e certificado de conclusão. Os treinamentos estão divididos em programas que vão desde Qualidade de Vida a Inclusão Digital.

O SENAR também oferece a Estante Virtual, com as cartilhas usadas nos cursos da entidade. O material está disponível para download e abrange as principais cadeias do agronegócio e ainda segurança no trabalho, turismo rural, construções rurais e gestão e empreendedorismo. Para baixar, acesse https://www.cnabrasil.org.br/senar/colecao-senar.

Aline Veloso, coordenadora da Assessoria Técnica do Sistema Faemg, disse que ainda é cedo para mensurar números específicos para as cadeias produtivas. “Esperamos que o campo se mantenha firme na produção. É o que temos visto, ainda que alguns problemas de comercialização estejam acontecendo. Estamos buscando alternativas e estratégias para possibilitar que o produtor continue produzindo e tenha perspectivas para este ano.”

Segundo a técnica da Seapa, 2019 apresentou uma safra recorde de grãos em Minas Gerais. “Alguns problemas com preço e produção em algumas cadeias produtivas, como o que aconteceu na cafeicultura, onde tínhamos uma safra menor”, mas teve resultados positivos sob efeito de preços do mercado internacional impactando a cadeia produtiva.

Por outro lado a pecuária no final do terceiro e quatro trimestres apresentou saldos melhores na cadeia da pecuária devido a maior demanda pela proteína animal do Brasil. “Em 2020, ainda que estejamos enfrentando o coronavírus, vamos continuar a levantar e acompanhar as informações para avaliar o impacto econômico que se dará nas atividades produtivas.”

Regras para feiras:

  • Alternância de dias para a realização e critérios de rodízio das feiras livres, como forma de evitar que um grande número de pessoas transite pelas ruas e demais espaços públicos;
  • Limitação de, no máximo, seis horas de funcionamento;
  • Permissão exclusiva para a comercialização de alimentos destinados ao consumo humano, estando proibidos o preparo e a venda de lanches, bebidas e refeições;
  • Proibição da participação de comerciantes e funcionários enquadrados no grupo de risco de contaminação da COVID-19;
  • Realização em espaço público aberto e arejado, afastado de residências;
  • Espaçamento mínimo de três metros entre as barracas;
  • Obrigatoriedade do uso de máscara de proteção pelo comerciante durante todo o período da feira, com substituição a cada duas horas, e higienização frequente das mãos com álcool gel 70%;
  • Disponibilização em todas as barracas, para uso do comerciante e dos clientes, de álcool gel 70%, luvas descartáveis e papel toalha;
  • Intensificação da frequência de higienização de banheiros, corrimões, maçanetas, mesas, balcões, balanças, carrinhos, refrigeradores e caixas retornáveis, entre outros itens; 
  • Afixação de cartazes informativos com procedimentos para prevenção do coronavírus.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade