Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Governo deve suspender recolhimento do FGTS e do INSS e parcelar impostos

Pacote visa aliviar o caixa das empresas e evitar o risco de quebradeira e de desemprego em meio à crise provocada pelo novo coronavírus


postado em 16/03/2020 18:28 / atualizado em 16/03/2020 18:32

(foto: Mauro Pimentel/AFP)
(foto: Mauro Pimentel/AFP)
O governo deve anunciar ainda nesta segunda-feira (16/03) um pacote para aliviar o caixa das empresas e evitar o risco de quebradeira e de desemprego em meio à crise provocada pelo novo coronavírus.
 
Segundo um integrante da equipe econômica, haverá desoneração da folha de salários, com suspensão do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e das contribuições ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por pelo menos três meses.

Também haverá benefícios para as empresas que recolhem impostos pelo Simples e outros tributos federais. O governo quer proteger, sobretudo, as micro e pequenas empresas, que são as maiores empregadoras do país.

Parcelamento

A meta é permitir que os tributos e recolhimentos adiados segam pagos de forma parcelada quando a economia retomar o fôlego. O governo admite que, com os estragos feitos na atividade econômica pela Covid-19, o momento é de socorrer o setor produtivo.

 O presidente Jair Bolsonaro, que esteve nesta segunda no ministério da Economia, já deu o aval à maior parte do pacote. Mas ainda não foi fechada a conta de quanto o governo está disposto a abrir mão em receitas.

O apelo dos empresariado é de que o governo seja muito rápido e se inspire no que foi anunciado pelos Estados Unidos e pela França. Nos dois casos, o Estado assumirá todo o prejuízo acumulado pela empresas por causa da paralisia da economia.


Publicidade