Publicidade

Estado de Minas TURISMO EM BH

BH ganha R$ 40 milhões para novo centro de convenções

O Expominas, principal espaço usado para este fim, está saturado e não tem agenda para os próximos dois anos


postado em 07/12/2019 06:00 / atualizado em 07/12/2019 08:22

Semana Internacional do Café, no Expominas: centro de eventos ficou pequeno frente à demanda crescente do turismo de negócios(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 22/11/19)
Semana Internacional do Café, no Expominas: centro de eventos ficou pequeno frente à demanda crescente do turismo de negócios (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 22/11/19)
Belo Horizonte deve ganhar um novo centro de convenções e já tem verba no Ministério do Turismo garantida para isso. A informação foi dada nesta sexta-feira pelo ministro da pasta, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), em encontro na Câmara de Dirigentes Lojistas de BH (CDL/BH) para comemorar o aniversário da capital mineira e o título de cidade criativa da gastronomia, concedido pela Organização das Nações para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). De acordo com ele, há cerca de R$ 40 milhões garantidos para o início das obras.
Marcelo Álvaro Antônio disse que,  além do campo da gastronomia, a capital mineira tem uma grande vocação para o turismo de negócios e eventos. “Então, precisamos de um centro de convenções à altura da cidade. Isso já está sendo conversado com o governo do estado, já estão identificando um terreno para que a gente consiga realmente fazer um centro de grande porte e sobretudo atrair eventos para conseguir aumentar inclusive a taxa de ocupação hoteleira o ano inteiro”, afirmou. O espaço necessário, como adiantou o ministro, precisa ter mais de 50 mil metros quadrados.

O Expominas, que é o principal espaço usado para este fim, está saturado, segundo Marcelo Álvaro Antônio, e não tem agenda para os próximos dois anos. “Fica muito difícil atrair novos eventos sendo que não tem um local adequado. A gente precisa realmente ampliar o número de centro de eventos na capital.” Segundo o ministro, o setor do turismo de negócios cresceu 14,5% no Brasil no primeiro semestre, e a ideia é que Belo Horizonte surfe nessa onda.

A prioridade de trazer eventos, segundo ele, se deve ao potencial de recursos que o setor traz para a cidade. Para se ter uma ideia, o gasto médio do turista de negócios é três a quatro vezes maior que o de quem viaja a lazer. “Por isso, o esforço para colocar BH nessa rota”, explicou.

Neste ano, o Ministério do Turismo escolheu a capital mineira para realizar a primeira semana nacional do setor, que ocorreu até ontem. Marcelo Álvaro fez balanço de sua atuação na pasta e afirmou que o turismo foi responsável por mais de R$ 136 bilhões injetados na economia brasileira este ano. Como destaque, ele citou a política de isenção de vistos para estrangeiros no país, que diz ter incrementado em 43% os gastos desses visitantes no país e possibilitou a criação de 25 mil novas vagas de emprego somente em julho. O governo brasileiro já isentou de vistos turistas vindos dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália.
 


Publicidade