Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Guedes diz que governo democrático vai abandonar 'legislação fascista da CLT'

Objetivo é absorver pessoas que hoje estão no mercado informal de trabalho e 'libertar' os trabalhadores


postado em 02/01/2019 19:25 / atualizado em 02/01/2019 20:36

(foto: / AFP / CARL DE SOUZA )
(foto: / AFP / CARL DE SOUZA )

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo de Jair Bolsonaro "vai inovar e abandonar a legislação fascista" da CLT, em referência à criação da carteira de trabalho verde e amarela.

Segundo ele, o objetivo é absorver pessoas que hoje estão no mercado informal de trabalho e "libertar" os trabalhadores do sistema de repartição da Previdência, pelo qual os ativos contribuem e bancam o pagamento de benefícios de aposentados.

"Nossa nova previdência tem encontro marcado ali na frente também, temos que libertar futuras gerações desse regime trabalhista e previdenciário que temos hoje", disse Guedes. "O sistema de repartição traz várias bombas, bomba demográfica, bomba do financiamento, muita gente ganha e não contribui, temos que separar assistência de previdência", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade