Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Armando Monteiro: duplicata eletrônica foi uma das questões tratadas com Ilan


postado em 07/08/2018 19:32

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) afirmou nesta terça-feira, 7, após reunião com o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que o projeto que cria a duplicata eletrônica, atualmente em tramitação no Senado, foi uma das questões discutidas no encontro. Segundo ele, a proposta é uma das mais importantes da pauta do BC - a chamada Agenda BC+.

O projeto de duplicata eletrônica está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, sob a relatoria de Monteiro. O relatório do senador, pela aprovação da proposta, está pautado para sessão deliberativa da comissão nesta quarta-feira, 8. Depois, o projeto ainda segue para Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

"Ainda vamos tentar fazer avançar a agenda do BC", disse Monteiro. Ele reconheceu, no entanto, que o fato de 2018 ser um ano eleitoral prejudica o andamento de propostas. "A eleição perturba, mas até fim do ano legislativo a agenda do BC vai avançar", disse.

Monteiro afirmou ainda que discutiu, na reunião de com Ilan, aspectos da agenda microeconômica do BC. "Estamos concluindo o relatório do spread", citou Monteiro. Na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado existe atualmente um grupo de trabalho que busca discutir a questão do spread - a diferença entre o custo de captação dos bancos e o que é efetivamente cobrado em operações de crédito. De acordo com Monteiro, relator deste grupo na CAE, o relatório sobre spread será apresentado até o fim de outubro.

Monteiro citou ainda a importância do projeto do cadastro positivo, defendido pelo Banco Central. O texto-base da proposta já foi aprovado no Plenário da Câmara, mas os destaques ainda estão pendentes. "O cadastro positivo foi um passo, a duplicata eletrônica foi outro", disse Monteiro.

Na tarde de hoje, Goldfajn e o diretor de Relacionamento Institucional do BC, Mauricio Moura, estiveram reunidos com Monteiro no Senado. Antes disso, eles estiveram no gabinete do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), também presidente da CAE, para discutir questões legislativas.

A expectativa do BC é de que, apesar das dificuldades impostas pela campanha eleitoral, algumas propostas importantes para a instituição possam avançar ainda em 2018. Na semana passada, Goldfajn e Moura já estiveram reunidos com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também para tratar do andamento de projetos de interesse do BC na Casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade