Publicidade

Estado de Minas

Mesmo com proibição, postos ainda vendem combustível em galões em BH

Reportagem flagrou pessoas com vasilhames em postos da capital mineira. Responsáveis pelos postos reclamam da falta de informação sobre a medida. A Polícia Militar (PM) afirma que a determinação está valendo já a partir de hoje


postado em 29/05/2018 14:12

Dezenas de pessoas esperavam para abastecer galões em BH(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Dezenas de pessoas esperavam para abastecer galões em BH (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)

Mesmo com a proibição para uso de galões no abastecimento de combustível, a cena se repete em vários postos de Belo Horizonte nesta terça-feira. Em vários estabelecimentos é possível ver longas de filas de pessoas com vasilhames e recebendo gasolina ou álcool. Responsáveis pelos postos reclamam da falta de informação sobre a medida anunciada nessa segunda-feira. A Polícia Militar (PM) afirma que a determinação está valendo já a partir de hoje. Também lembrou que o estoque de combustível é crime.

Na manhã desta terça-feira, o em.com.br percorreu diversos postos da capita mineira. No estabelecimento localizado na Avenida Cristiano Machado, na pista em direção ao Centro de Belo Horizonte, logo após o cruzamento com a Avenida Sebastião de Brito, Bairro Dona Clara, na Região da Pampulha, vários moradores esperavam com galões o abastecimento.

Outra determinação era para o limite de R$ 100 por pessoa. Mas, em alguns postos, o abastecimento por carro chegou a ser feito acima do valor. Os empresários reclamam da falta de informação.  “Temos dificuldade para receber as informações dos órgãos competentes de como revender. Segunda-feira, quando recebemos o primeiro caminhão, nós estipulamos 30 litros por veículo. Depois de duas horas, recebemos as informações de terceiros que seria apenas R$ 100 por consumidor. Então, queremos receber informações”, explicou a empresária Jéssica Narjara, sócia de um posto no Bairro Belvedere, Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Consumidor consegue combustível em galão na Avenida Cristiano Machado(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Consumidor consegue combustível em galão na Avenida Cristiano Machado (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Ainda segundo ela, os clientes também reclamaram devido a falta de informações. “A questão do galão é complicada. Muita gente já não tem gasolina para sair e, por isso, precisa do galão para chegar até o local. Como vendo para esse consumidor?”, questionou.

Por meio de nota, a PM confirmou que a medida, anunciada na tarde de segunda-feira, está em vigor. “Contudo, com a compreensão da PMMG de contemplar pessoas que já estavam nas filas, os donos de postos e frentistas distribuíram senhas e as pessoas que estavam com galão foram atendidas, mas desta terça-feira em diante, e após novas remessas de combustível, os galões não poderão ser utilizados por questões de segurança e para evitar tumulto nos postos. Lembrando que a estocagem de combustível é crime”, lembrou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade