Publicidade

Estado de Minas

Energia limpa cria empregos na área de serviços no Norte de Minas


postado em 30/01/2018 06:00 / atualizado em 30/01/2018 16:23

(foto: EDF EN / Divulgação)
(foto: EDF EN / Divulgação)

Montes Claros – Os ventos da retomada da economia também sopram a favor no Norte de Minas. O bom exemplo é Pirapora, de 56,7 mil habitantes. Em passado recente, o município sofreu grande perda de renda e de postos de trabalho devido à desativação de indústrias siderúrgicas e de ferroligas – consequência do aumento do custo da energia elétrica. Agora, experimenta a recuperação também ligada ao setor energético. O novo momento reflete a instalação de uma grande usina solar no município, considerada a maior da América Latina. O investimento é da ordem R$ 2 bilhões.

 

A megausina ocupa área de 800 hectares e conta com cerca de 1,2 milhão de painéis solares. O empreendimento é da empresa francesa EDF Energies Nouvelles (EDF EM). O empreendimento começou a funcionar em novembro passado, com a meta de gerar 400 megawatts (MW), energia suficiente para iluminar 420 mil casas. A capacidade total deverá ser alcançada entre junho e agosto de 2018.

O secretário de Administração e Finanças da prefeitura de Pirapora, Darci Maia, disse que a megausina gerou 350 empregos em sua instalação e que são mantidos 90 empregos nos serviços de manutenção e segurança. No ano passado, o município teve saldo positivo no balanço de contratações com carteira assinada (53,38%) e demissões (46,62%), de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

O sol forte, característico do Norte de Minas, também deverá aquecer a economia de outras cidades dessa parte do estado. “A indução das novas tecnologias para a geração de energias renováveis está em plena expansão. Nesse contexto, a energia solar poderá ser um grande fator para o desenvolvimento dos municípios do Norte de Minas, que devem ficar atentos para aproveitar esse potencial”, afirma João Paulo Palmieri, analista do Sebrae Minas para o setor energético no estado.

O pequeno município de Capitão Enéas, com 14,2 mil habitantes, também foi escolhido para abrigar investimentos na área de energia. O secretário de Planejamento da cidade, Walter Abreu, informou que está sendo instalada no município uma usina de geração de energia solar da Axis Energia, que mantém 40 postos de trabalho nos serviços de montagem e vai contribuir com receita adicional para a prefeitura local de R$ 60 mil, provenientes do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

Abreu destaca, ainda, o crescimento de duas indústrias já instaladas na cidade: a Rima, produtora de ferro-silício, e a Marluvas, fabricantes de calçados de segurança. Segundo ele, a Rima gera 500 empregos e tem projeto para ampliar sua capacidade produtiva e passar a manter 750 funcionários, devendo ocupar outros 200 operários na construção de mais um forno. Já a Marluvas emprega hoje 350 pessoas no município, e estuda, “conforme a reação do mercado”, a contratação de mais 250 trabalhadores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade