UAI
Publicidade

Estado de Minas

Dia sem impostos movimenta comércio em BH e chama atenção para alta carga tributária

O protesto foi realizado em Minas e mais 11 estados e o Distrito Federal. Vários produtos foram comercializados sem os tributos que incidem sobre eles


postado em 01/06/2017 18:37 / atualizado em 01/06/2017 18:46

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press )
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press )

O movimento nos estabelecimentos que aderiram ao Dia de Liberdade de Impostos nesta quinta-feira foi bem maior que o nos anos anteriores. Mesmo ainda sem ter o balanço final, já que muitas lojas têm horários diferentes de fechamento e a ação ainda vai ocorrer nesta sexta-feira em alguns deles, a avalização dos comerciantes e da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) e de sucesso.

“O movimento esse ano está bem maior. Tive depoimento dos gerentes dos meus estabelecimentos que falaram que as lojas estavam com muitos clientes. Eu mesmo fui a uma drogaria e estava com filas enormes”, contou Fernando Cardoso, presidente da CDL Jovem. Segundo ele, as pessoas relataram estar satisfeitas em pagar menos.

Cardoso considera isso importante para a estratégia do dia de protesto. “Essa informação chegando a população que, às vezes, não tem o entendimento do peso do imposto, quanto ele paga, e conseguir ver o reflexo no dia a dia é importante para conscientização”, considera.

Ainda de acordo com Fernando Cardoso, o principal impacto que a ação quer mostrar é no dia seguinte, quando o consumidor for adquirir novamente aqueles produtos e perceber a diferença no preço. “Vai ser um choque. O cliente perceber que pegou bem mais baixo em um dia e no outro dia está com o preço bem mais alto”, ressaltou.

Ao todo, 700 lojas participarão e 270 mil produtos terão o protesto em forma de promoção incidindo sobre ele. De acordo com dados da Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), até o fim de maio já haviam sido arrecadados cerca de R$ 1 trilhão em impostos. O movimento ocorreu em Minas e mais 11 estados e o Distrito Federal.

Na capital, foram vendidos sem os tributos peças para automóveis, produtos de petshops, alimentos, vestuário, itens de papelaria entre outros. A data é escolhida porque marca o dia em que os brasileiros passam a trabalhar para sustento próprio. Do dia 1º de janeiro até hoje, cada um trabalhou apenas para dar conta de pagar os impostos praticados pelas esferas municipal, estadual e federal.

Os descontos seguem nesta sexta-feira na rede de drogarias Araújo. A rede colocou mais de 1.200 genéricos à venda com desconto adicional de 30,5%, que corresponde à carga tributária sob medicamentos, de acordo com o cálculo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT). Hoje durante todo o dia as lojas da rede estiveram cheias e com filas, por causa do movimento de consumidores atraídos pelos descontos.

Outro ponto de bastante movimento foi a venda de gasolina sem imposto. O posto de combustível onde ocorreu a ação ficou movimentado desde as primeiras horas da manhã. Difícil vai ser pagar o valor cheio novamente nesta sexta-feira.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade