UAI
Publicidade

Estado de Minas

Copa esquenta venda de televisões e fábricas esperam negociar 16 mi de unidades

Brasileiros correm para comprar aparelhos para assistir os jogos do Mundial e elevam faturamento das lojas


postado em 15/05/2014 06:00 / atualizado em 15/05/2014 07:19

(foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press)
(foto: Beto Magalhães/EM/D.A Press)

Companheiras dos torcedores durante a Copa do Mundo as TVs prometem alavancar as vendas do varejo. No ambiente virtual, a procura por televisores de 47 polegadas de alguns modelos chegou a crescer 360%, em abril, frente a março, segundo pesquisa do Zoom, site comparador de preços e produtos. Nas lojas físicas, a procura também cresceu. Durante o primeiro bimestre, uma grande rede de supermercados com atuação nacional registrou incremento de 150% no volume de itens vendidos com a tecnologia Smart TV, em comparação ao mesmo período de 2013.

Uma das causas para o movimento, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é a queda de 40% no valor desses aparelhos desde a última Copa, realizada em 2010. A previsão considerou projeções para a inflação no setor no segundo trimestre de 2014 e a média das expectativas para a taxa de câmbio do primeiro semestre (R$ 2,39), reforçando que o histórico de redução no preço dos televisores e o encarecimento dos serviços de manutenção desde 2002, além da perspectiva de estabilidade da taxa de câmbio, estimulam a troca de aparelhos.

Segundo dados do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no acumulado do ano houve uma queda de 1,48% nos preços, ou seja, deflação nos valores dos televisores em Belo Horizonte. No país, a baixa foi de 3,22%. Para além do período da Copa, a queda do dólar, somada à retração dos preços e promoções oferecidas pelas lojas ajudam a explicar o interesse dos consumidores no produto. Entre os modelos mais concorridos, estão as TVs de 42 e 47 polegadas, que começam a substituir as LCDs de 32 polegadas, que sucederam os aparelhos de tubo.

A procura pelas novas TVs para assistir os jogos da Copa é tão grande que o resultado já foi sentido pelo setor que no primeiro trimestre: o crescimento das vendas dos aparelhos já é de 50,38% na comparação com mesmo período do ano passado. De acordo com o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Lourival Kiçula, a expectativa é de que sejam vendidas 16 milhões de TVs neste ano. Em 2010, quando o Mundial foi disputado na África do Sul, os brasileiros compraram 12,2 milhões. Nos anos seguintes, o número de aparelhos vendidos se mantiveram estáveis em perto dos 14 milhões de televisores ao ano, com pequenos acréscimos de um ano para o outro (veja quadro).

Entre os incentivadores, que elevarão as vendas em 2 milhões de unidades de 2013 para este ano, Kiçula destaca a Copa, período com vendas historicamente maiores, mas também uma mudança substancial das novas tecnologias. A queda nos preços, puxada pelo dólar mais baixo e pela forte concorrência, também ajuda a movimentar o setor. “O valor deveria aumentar diante de novas tecnologias, mas a concorrência entre os associados faz com que o consumidor seja beneficiado”, afirma. Como novidades deste mercado, ele destaca as telas cada vez mais finas, o LED e a tecnologia 4K, que dá ao televisor qualidade de imagem quatro vezes superior à do Full HD.

O oficial de carpinteiro Jamilson Rodrigues da Rocha, de 43 anos, está “namorando” algumas TVs de LED em lojas do Centro de Belo Horizonte, pois ele deseja assistir aos jogos da seleção brasileira em um aparelho novo. “Desejo comprar um de 42 polegadas. Não é barato. Custa em torno de R$ 1,9 mil, mas valerá a pena assistir as partidas, ao lado de meus dois filhos e da minha mulher, numa TV nova”, disse o pai de família. Ele planeja pagar o produto à vista, o que lhe permite um poder de barganha para conseguir descontos.

Queridinhos

Entre os modelos mais procurados, segundo a pesquisa do site Zoom, está a TV LED 47" Smart TV Cinema 3D Full HD, com preço médio de R$ 2.410,32, e aumento de 360% nas buscas. O segundo colocado é o mesmo aparelho, mas o modelo de 42 polegadas, que custa um pouco menos e teve crescimento similar à líder no período: de 358%, sendo vendido ao preço médio de R$ 1.583,12. Por fim, em terceiro lugar fica a TV LED 47" Smart TV Full HD 3 HDMI , com crescimento de 312% e preço médio de R$ 1.930,85.
Paulo Guedes, especialista em produtos do Zoom, acredita que a proximidade com a Copa, as ofertas e número de modelos estimulam interesse dos consumidores. Segundo ele, dois momentos distintos ajudam a explicar a demanda. “Tivemos, e ainda temos num número menor, as pessoas que trocaram suas televisões antigas, pelas de 32 polegadas, mas hoje elas estão num outro patamar, querendo uma TV maior, de 42 e 47 polegadas para a sala de casa”, diz.

Outro fator que influencia essa preferência é que os brasileiros estão cada vez mais em busca de uma experiência de imersão dentro da tendência do “cinema em casa”, por isso procuram por TVs que entregam qualidade de imagem e recursos que proporcionam entretenimento no conforto do lar. “Quando o item procurado é o televisor, que é um bem bastante durável, as pessoas não se preocupam só com o preço, mas sim com a relação custo-benefício proporcionada pela tecnologia e funcionalidades oferecidas pelo aparelho”, afirma Guedes. (Colaborou Paulo Henrique Lobato)

 

Para além do Mundial

O aposentado Jacson da Franca, de 66 anos, também está à procura de um televisor de 42 polegadas LED. O que ainda tem foi comprado na Copa de 1994, nos Estados Unidos, quando o Brasil foi campeão – venceu a seleção da Itália nos pênaltis, depois de empate sem gol no tempo normal e na prorrogação. Jacson, porém, não vai comprar o novo aparelho em razão da Copa do Mundo: “Estou pesquisando preços e qualidade. A minha antiga TV ainda está boa, mas quero uma com qualidade maior. Contudo, se precisar, espero a Copa acabar para comprá-la”.

Para fisgar consumidores como Jacson, grandes varejistas apostam em modelos diferentes e preços atrativos. A Casas Bahia, que espera incremento de 20% a 30% neste trimestre para as vendas totais da categoria de tecnologia, calcula os negócios com as TVs devem dobrar, em relação ao mesmo período de 2013. Entre os modelos mais procurados, a rede identificou os aparelhos com tecnologia LCD e LED. A tendência, segundo a empresa, é para o crescimento das vendas dos aparelhos acima de 42 polegadas. Entre as promoções, está a “Emoção em Dobro”, em que comprando uma TV Samsung de 60 polegadas, o consumidor poderá levar um segundo televisor de 51 polegadas por R$ 1, caso a seleção brasileira vença o mundial.

Segundo o diretor de marketing e comercial da Máquina de Vendas, constituída pela Ricardo Eletro e Insinuante, Allan Barros, enquanto o mercado de TVs, em unidades vendidas, passou de 2,8 milhões no primeiro trimestre de 2013 para 3,4 milhões no mesmo período deste ano, com crescimento de 18%, sendo que a Ricardo registrou crescimento de 26%. O desconto em aparelhos com telas diferenciadas, como as de 50 e 60 polegadas, ajudam a aumentar o movimento. “Trabalhamos com preços. Enquanto algumas redes anunciam TVs a R$ 3.990, com uma de R$ 700 de brinde. Nós oferecemos o mesmo produto por R$ 2.900, ou seja, com R$ 1 mil de desconto”, explica.

Também de olho nesses consumidores o Busca Descontos, responsável por eventos como o Black Friday na internet, promove amanhã a Goleada de TVs. Participam as grandes redes varejistas presentes no mercado on-line, que vão divulgar suas promoções exclusivas para a data no site (www.buscadedescontos.com.br/ goleadadetvs). O objetivo da data, segundo a diretora de Novos Negócios do portal, Patrícia Soderi, é contribuir com a alta nas vendas já esperada para o período. (CM e PHL) 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade