Publicidade

Estado de Minas SEU BOLSO

Profissionais liberais precisam de planejamento para imprevistos


postado em 13/10/2013 00:12 / atualizado em 13/10/2013 07:59

Os profissionais liberais também devem ficar atentos às possibilidades de acidente ou de ter que ficar um período sem trabalhar. “Nesses casos, existem várias empresas no mercado que oferecem seguros que cobrem os períodos de afastamento do trabalho. Com certeza, esses seguros são uma excelente opção para profissionais liberais”, garante Sabrina Oliveira, da Horizontes Coaching. No entanto, ela lembra que pagar a Previdência Social (INSS) fornece uma segurança em relação a acidentes. “Além dos seguros, é importante ter uma reserva para esses períodos sem trabalhar, inclusive para o de licença-maternidade”, afirma.

O plano de ter um filho também deve ser considerado pelos profissionais. Afinal, os custos sobem e pressionam a renda, que não é estável. A coaching lembra que se o plano for feito com um ano de antecedência do início da gravidez é preciso que a profissional poupe 20% da sua renda a cada mês para garantir quatro meses com renda completa sem precisar trabalhar. “Se essa pessoa ainda contribui com o INSS, ela conseguiria ficar ainda mais tranquila nesse período”, ressalta.

No caso dos seguros de vida, Maria Inês Prazeres, consultora de finanças pessoais da Infovida, lembra que eles devem ser considerados, principalmente, por aqueles que têm dependentes. A dica é para que o trabalhador autônomo tenha consciência da sua situação antes de contratá-lo. “É preciso que ele esteja atento ao número de dependentes, se é ou não o esteio de sua casa e ao risco de acidentes”, explica.


Ainda de acordo com Maria Inês, é importante que o seguro não seja uma forma de deixar herança, mas sim para ser usado em caso de eventualidades. “Seguro é primordial na vida de quem tem alguém que dependa dele financeiramente”, garante.

 


DICAS PARA SE ORGANIZAR MELHOR

» Pensar na aposentadoria é essencial. Contribuir para Previdência Social (INSS) como autônomo é uma boa opção. O sistema da Previdência tem menor custo para o contribuinte em comparação à previdência privada. O valor de contribuição mínimo para a maioria das categorias como autônomo é de R$ 135,60.

» Contribua para um plano de previdência complementar caso não queira ficar no futuro com uma
renda limitada ao teto pago pelo INSS, que atualmente é de R$ 4.159.

» Fazer um seguro para cobrir situações graves de interrupção do trabalho por períodos temporários ou permanentes, como no caso de lesões, doenças incapacitantes e morte.

» Planeje uma reserva para eventuais períodos programados sem trabalhar, como após o nascimento de um filho.
Fonte: Horizontes Coaching

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade