Publicidade

Estado de Minas

Federal Reserve corta projeção de crescimento dos EUA


postado em 02/11/2011 17:00

As autoridades do Federal Reserve expressaram maior pessimismo em relação à economia dos EUA do que em junho, prevendo que o desemprego deve continuar acima dos 7% até 2014. No entanto, a perspectiva mais sombria não foi suficiente para que o banco central tomasse mais medidas para estimular a economia. As autoridades do Fed continuaram divididas sobre a direção certa para agir enquanto a economia tem ganhado fôlego após os problemas enfrentados durante o verão.

O Fed revisou a estimativa de crescimento da economia para cerca de 2,7% em 2012, 3,3% em 2013 e 3,5% em 2014, após um crescimento de apenas 1,6% a 1,7% neste ano. Em junho, o BC americano havia projetado que o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos subiria para cerca de 2,8% neste ano, 3,5% em 2012 e 3,9% em 2013, sem se arriscar sobre 2014.

Espera-se que a taxa de desemprego caia gradualmente dos 9,1% registrados em setembro. O Fed prevê que o desemprego fique entre 9,0% a 9,1% no último trimestre de 2011 e em 8,6% no final de 2012, quando os norte-americanos vão às urnas decidir seu novo presidente. O Fed prevê que a taxa de desemprego fique em 8 0% no final de 2013, mas que ainda esteja entre 6,8% a 7,7% no final de 2014, mais de cinco anos após o fim da recessão.

A maioria das autoridades do Fed acredita que o enfraquecimento da economia manterá os preços em baixa. O Fed projeta que a inflação caia para 1,7% em 2012 após avanço de 2,8% em 2011, seguindo um aumento dos preços do petróleo e outras commodities no início deste ano.

O Fed prevê que o índice de preços para gastos pessoais, sua medida preferida para a inflação, deve ficar entre 1,5% e 2,0% em 2013 e 2014. É próxima da zona de conforto do Fed, de cerca de 2%.


Publicidade