UAI
Publicidade

Estado de Minas DIREITOS HUMANOS

Minas registra 420 casos de trabalho escravo em 2021

Dados foram divulgados pela Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT). Estado representa mais de 41% dos casos no Brasil


07/10/2021 15:03 - atualizado 07/10/2021 15:59

PRF combate trabalho escravo em lavouras cafeeiras no Sul de Minas.
O estado teve um aumento de 19,5% em comparação com o último ano, quando 351 casos foram confirmados. (foto: PRF/Divulgação)
Minas Gerais registrou 420 casos de pessoas resgatadas em situações análogas à escravidão em 2021. Os números divulgados pelo Radar SIT, plataforma de estatísticas da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), foram apresentados na terça-feira (05/10) e coletados até 30 de setembro.

Ao todo, 54 estabelecimentos foram fiscalizados no estado, com 319 guias de seguro desemprego emitidas até o momento. João Pinheiro, no Noroeste de Minas Gerais, é a cidade com o maior número de casos no estado, somando 93.

Com o total de ocorrências, Minas Gerais representa 41,37% dos casos divulgados no país, que até o mês de setembro marcou 1.015 ocorrências registradas. Desde o início das pesquisas realizadas pelo SIT, em 1995, Minas Gerais soma 7.295 casos de pessoas resgatadas em situação semelhantes à escravidão. Em comparação com dados divulgados no ano passado, o estado teve um aumento de 19,5%, quando 351 casos foram confirmados.
 
 
 

Maior resgate do ano

Em 4 de outubro, uma ação da Superintendência Regional do Trabalho (SRT/MG), em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF),  resgatou 130 trabalhadores em condições análogas à escravidão em Minas Gerais , nos municípios de João Pinheiro e Coromandel.

A operação foi a maior registrada no Brasil em 2021, resgatando trabalhadores em fazendas de produção de alho e também em duas carvoarias, obrigados a ficarem por mais de 12 horas debaixo de sol e em condições sub-humanas de trabalho e de alojamento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade