UAI
Publicidade

Estado de Minas novidades na cozinha

Designers criam marca de cookies reproduzindo receita do século passado

Fundadores da marca Lola's Cake, Kleber Lommez e Kako Corrêa seguem uma receita de 1937, que descobriram folheando um livro em Boston, nos Estados Unidos


22/08/2021 04:00 - atualizado 22/08/2021 09:57

Massa de baunilha e pedaços de chocolate: os cookies são assumidamente tradicionais(foto: Samuel Mendes/Divulgação)
Massa de baunilha e pedaços de chocolate: os cookies são assumidamente tradicionais (foto: Samuel Mendes/Divulgação)

Nada de invencionices. Kleber Lommez e Kako Corrêa ficaram conhecidos em Belo Horizonte por fazer cookies tradicionais, com massa de baunilha e pedaços de chocolate. Os designers, criadores da marca Lola’s Cake, seguem uma receita de 1937, que descobriram folheando um livro em Boston, nos Estados Unidos. O sucesso está justamente em se aproximar ao máximo do original.
 
Cookie é uma paixão antiga dos designers, sócios do K2 Studio & Co, escritório que desenvolve muitos projetos na área de arquitetura. Kako, interessado por confeitaria, sempre gostou de pesquisar e testar receitas, e Kleber o acompanhava nas buscas pelo biscoito em qualquer lugar do mundo.
 
Em Boston, eles ficaram empolgados ao encontrar uma receita tão antiga, publicada no século passado. Quando voltaram para o Brasil, reproduziram o passo a passo e viram que o resultado era muito diferente do que havia no mercado. Mas Kako fazia só para comer em casa, presentear os amigos e por um tempo forneceu para um restaurante em Nova Lima.
 
Até que chegou a pandemia. “Quando começou a pandemia, uma amiga falou para aproveitarmos o momento para lançar os cookies. Como o nosso mercado estava parado, resolvemos fazer para vender. Montamos uma linha de produção, selecionamos fornecedores, desenvolvemos as embalagens e trouxemos a receita de volta”, conta Kleber.
 
Como a receita é muito antiga, eles tiveram que fazer adaptações para usar os ingredientes disponíveis hoje, mantendo as proporções. “Tentamos mostrar como um cookie de 1937 seria feito hoje.” Guiados pela qualidade, trabalham com chocolate meio amargo belga, fava de baunilha, manteiga sem sal mineira e açúcares mascavo e demerara, preferencialmente orgânicos. Nada de corante ou conservante.
 

Leve e macio

Os designers explicam que o cookie que fazem é diferente por ser leve e macio, ao contrário de muitos encontrados por aí, que mais parecem massa de bolo. “Cookie é um biscoito, não é para ser pesado”, defende Kleber. Além de café ou chá, ele sugere como acompanhamento sorvete de baunilha (nesse caso, esquente o cookie por 15 segundos no micro-ondas para amolecer o chocolate).
 
Para reforçar a conexão da marca com o antigo, as ilustrações da caixa datam do século 17(foto: K2 Studio & Co/Divulgação)
Para reforçar a conexão da marca com o antigo, as ilustrações da caixa datam do século 17 (foto: K2 Studio & Co/Divulgação)
 
A embalagem, criada por Kako, dá pistas do que o consumidor vai encontrar lá dentro: uma receita antiga e original. Com escritos em inglês, remete à origem do cookie, inventado na Inglaterra e popularizado nos Estados Unidos. Além disso, as ilustrações de flores de baunilha, orquídeas e passarinhos datam do século 17. Na caixa, o designer usou a mesma técnica de manipulação de imagens dos grandes painéis que são o forte do seu escritório.
 
Lola é o nome da cadela de Kleber e Kako, da raça dachshund, que ficava absolutamente enlouquecida quando sentia o cheiro de cookie saindo do forno.
 
Cada caixa contém três cookies de 50g, embalados individualmente. “Queremos preservar o máximo possível o nosso produto macio. Quando estão todos juntos na embalagem, você tem que consumir tudo rápido depois que abre, porque eles naturalmente vão ressecando”, comenta. Mas não é só por isso. As pessoas podem colocar um biscoito na bolsa e comer quando e onde quiser.
 
Recentemente, a marca lançou cookies individuais e uma versão mini (de 8g) para acompanhar uma xícara de café ou chá nos estabelecimentos parceiros. Nesse formato, eles viram quase um petit four.
 

Novos sabores

Kleber e Kako estão desenvolvendo mais dois sabores – um integral e outro de gengibre (com pedaços no meio), que devem ser lançados em outubro. Como gostam muito de pesquisar as receitas, foram atrás da história do biscoito de gengibre e descobriram que ele vem da Idade Média. A massa só ganhou o formato de boneco, que os norte-americanos associaram ao Natal, porque uma rainha da Inglaterra quis servi-los imitando os convidados dos jantares.
 
Não faz parte dos planos dos sócios ter cookies de morango, Nutella ou brigadeiro. “Não queremos ser mais um, fazer mais do mesmo, por isso realmente buscamos trabalhar com sabores diferentes e fazer pesquisas em cima disso”, aponta Kleber.
 
A produção, que começou em casa, hoje está em espaço próprio. As fornadas são semanais, para que os cookies estejam sempre frescos. As caixas podem ser encontradas em 15 pontos de venda em BH (em breve, eles chegarão a São Paulo e Campinas com a Bagueri). Futuramente, o plano é transformar a Lola’s Cake em franquia em um formato de cafeteria voltada aos cookies e outros produtos que pensam em desenvolver, como bolos.
 

Serviço

Lola's Cake
(31) 99519-1002 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade