UAI
Publicidade

Estado de Minas novidades na cozinha

Novo bar na Savassi investe em pratos simples, mas que deixam lembranças

Rocambole de porchetta, ragu de rabada e bolinho de risoto com gorgonzola e abacaxi: conheça os pratos que mais fazem sucesso no Estação Krug Bier


15/08/2021 04:00 - atualizado 16/08/2021 17:58

Bolinho de risoto com gorgonzola e abacaxi(foto: Luiz Trix/Divulgação)
Bolinho de risoto com gorgonzola e abacaxi (foto: Luiz Trix/Divulgação)

É esperado que as bebidas sejam o atrativo de um bar. Mas, quando a comida também ganha destaque no cardápio, a experiência fica ainda melhor. À frente da cozinha do Estação Krug Bier, na Savassi, parceiro da cervejaria mineira Krug Bier, a chef Valdelícia Coimbra trabalha para que os pratos dividam o protagonismo com as cervejas e os drinques. “A minha comida não tem luxo, mas deixa lembranças”, avisa.
 
Os petiscos dominam o cardápio. Um dos mais pedidos é o arancini, que chama a atenção pela combinação no recheio: gorgonzola com abacaxi. Na massa, a chef usa arroz arbóreo e queijo canastra meia cura. Antes de ser frito, o bolinho de risoto é empanado com farinha de pão e páprica.
 
O arancini divide a preferência do público com o rocambole de pancetta. Temperada com alho, pimenta branca, sal de parrilla e cachaça, a barriga de porco é enrolada e vai ao forno. Na hora de finalizar o prato, ela passa pela gordura bem quente para ficar crocante por fora e suculenta por dentro. Para acompanhar, um molho cremoso de limão caipira.
 
O rocambole de pancetta, servido com molho cremoso de limão caipira, é um dos sucessos do cardápio(foto: Luiz Trix/Divulgação)
O rocambole de pancetta, servido com molho cremoso de limão caipira, é um dos sucessos do cardápio (foto: Luiz Trix/Divulgação)
 
Val também recebe elogios na cozinha (e é também chamada à mesa) pelo ragu de rabada. A ideia surgiu a partir da vontade de deixar à mostra o recheio de um pastel. “Cozinho a rabada o tempo inteiro em uma cerveja com seis tipos de lúpus. Uso cebola, cenoura e talo de salsão para equilibrar os sabores, mas ainda dá para sentir a bebida”, descreve.
 
O sucesso deste prato faz Val se lembrar de quando trabalhava no Mercado Central e chefs de outros restaurantes da cidade iam lá só para comer a sua rabada. Curiosamente, ela não come rabada, mas diz que, exatamente por isso, capricha ainda mais suas receitas com o corte.
 
O ragu de rabada é servido com molho aioli de agrião e chips de mandioca. O truque é fatiar a mandioca in natura, sem cozinhá-la. Assim, ela não perde sabor e dura mais tempo. Fatiado no sentido longitudinal, o chips funciona como uma colher para comer o ragu de rabada.
 

Mandioca que desmancha

 Picanha grelhada pode parecer um petisco comum, mas se transforma com os toques da chef. Val coloca raspas de limão na mandioca cozida na manteiga de garrafa, que desmancha, e torra a farinha com alho, manteiga, cúrcuma fresca e salsa desidratada. “Prefiro desidratar as minhas próprias ervas, porque ficam com muito mais cor e sabor”, comenta, contando que usa a parte de cima do forno.
 
Generosa, a chef Valdelícia Coimbra não esconde nenhum truque: neste prato, fatia a mandioca in natura(foto: Luiz Trix/Divulgação)
Generosa, a chef Valdelícia Coimbra não esconde nenhum truque: neste prato, fatia a mandioca in natura (foto: Luiz Trix/Divulgação)
 
A chef explica os pratos nos mínimos detalhes, sem esconder nenhum segredo. “A minha mãe me ensinou: a gente veio ao mundo para ensinar o que sabe, então não guarde. Depois alguém vai te ensinar o que você não sabe”, conta Val, que, aos sete anos, teve assumir o fogão em casa. Aprendeu tudo na prática, mas depois quis estar gastronomia, por entende que a técnica norteia o trabalho.
 
Outras sugestões de petiscos são mini kafta de lombo com geleias de abacaxi e jabuticaba; tulipinhas (meio da asa de frango) empanadas com queijo canastra e acompanhadas de geleia de pimenta defumada da casa e mini almôndegas de filé-mignon com molho de gorgonzola e shitake.

Entre os pratos, destaque para o tropeiro. Simples, mas muito elogiado. Assim como no caso da rabada, Val não come feijão e se dedica mais a essas receitas. “Sempre cozinho o feijão com uma folha de louro e dois cravos da índia e uso sal de parrilla, porque ele vai dissolvendo aos poucos e dá um sabor diferente.” Para complementar, linguiças defumada e fresca, pernil, bacon, ovos e torresmo.
 
Isca de picanha com mandioca na manteiga de garrafa e farinha temperada(foto: Luiz Trix/Divulgação)
Isca de picanha com mandioca na manteiga de garrafa e farinha temperada (foto: Luiz Trix/Divulgação)
 
Nos almoços de fim de semana, a chef tem carta branca para surpreender os clientes com novos pratos. É a oportunidade de mostrar a criatividade que tem de sobra. Só ela para servir peixe grelhado com molho de mamão papaia e passas e polenta de quinoa e agradar. Rosbife de filé com geleia de amora e framboesa e risoto de queijo canastra e bacalhau confitado com salada de chuchu in natura e aioli de tucupi preto concentrado também já passaram pelo cardápio.
 
De sobremesa, a sugestão é experimentar o bolo búlgaro (bolo de chocolate sem farinha) e calda de laranja com cerveja e pixuri (especiaria conhecida como noz-moscada da Amazônia). Para acompanhar, uma bola de sorvete, cujo sabor varia de acordo com a estação – agora é laranja-bahia.
 

Serviço

Estação Krug Bier
(31) 99223-9315 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade