UAI
Publicidade

Estado de Minas Novidades na cozinha

Conheça a fábrica mineira de geleias destaque em concurso internacional

"Sempre gostei muito de combinações inusitadas", comenta o designer Bruno Bethônico, que desenvolve os produtos com a sua mulher, Alynne de Oliveira


29/08/2021 04:00 - atualizado 30/08/2021 09:36

Recomendado por concurso internacional, o sabor de laranja com especiarias surgiu a pedido de clientes(foto: Ângelo Ávila/Divulgação)
Recomendado por concurso internacional, o sabor de laranja com especiarias surgiu a pedido de clientes (foto: Ângelo Ávila/Divulgação)

De um apaixonado por gastronomia a produtor de geleias. O designer Bruno Bethônico nunca imaginou que uma conversa sobre geleia de manga com curry mudaria a sua vida em tão pouco tempo. O mais inesperado ainda estava por vir: a Expressar Gourmet, empresa que fundou há três anos, ganhou destaque internacional com o sabor de laranja com especiarias.
 
“Estava criando a identidade visual de um empório e a proprietária sabia da minha paixão por gastronomia. Comentei sobre essa geleia e passei a receita, mas ela queria que eu fizesse para vender lá”, relembra o designer. Tudo aconteceu muito rápido. Em três dias, os 10 primeiros potes acabaram, ele fez mais 30 e não parou mais de vender. Foi convidado para participar de uma feira de gastronomia e lá fechou parceria com uma loja de queijos em BH.
 
O que explica o sucesso imediato? “Sempre gostei muito de combinações inusitadas, nunca tive medo de experimentar nenhum tipo de sabor. Então, chegamos com uma proposta diferente, até porque nunca fui de colocar geleia só na torrada ou no pão. Combino com queijo, carne, salada, sorvete”, analisa Bruno, que desenvolve os produtos com a sua mulher, a professora de geografia Alynne de Oliveira.
 
A geleia de manga com curry é receita da sua mãe. Ele usa o curry indiano, que é mais intenso, mas, ao mesmo tempo, muito versátil. “Foi até magico ter começado por esse sabor, porque ele realmente encantou o nosso público. A geleia é doce, mas as especiarias transformam o sabor e as possibilidades de harmonização são infinitas.” Já teve até mixologista que usou em um drinque.
 
O sabor premiado surgiu depois, a pedido de clientes. “Compramos absolutamente todas as geleias de laranja que encontramos no Brasil e elas tinham um sabor mais amargo, porque se usa a casca. Mas para o público mineiro precisava mudar.” Bruno resgatou uma receita da bisavó portuguesa e pesquisou técnicas para equilibrar o amargor. Uma delas é trabalhar com as especiarias, como canela e anis. Na receita, ele usa dois tipos de laranja (o suco de uma e a casca e a polpa de outra).
 
Geleia com linguiça: a marca propõe usos menos convencionais dos seus produtos(foto: Ângelo Ávila/Divulgação)
Geleia com linguiça: a marca propõe usos menos convencionais dos seus produtos (foto: Ângelo Ávila/Divulgação)
 
A geleia de laranja com especiarias não estava entre os produtos mais vendidos, até ser recomendada pelo Marmalade Awards, a maior competição de geleias artesanais do mundo, que começou em 2005 com o objetivo de promover pequenos produtores. A Expressar é a segunda marca brasileira e a única de Minas a ser destaque no concurso, que recebeu mais de três mil inscrições de 30 países.
 
Muito feliz com o reconhecimento, Bruno diz que o prêmio não é só da sua empresa, mas de todos os mineiros. “Temos os melhores queijos, cachaças e cafés do mundo, temos uísque e gim sendo premiados. A geleia é um produto que tem muito a ver com a nossa cultura e agora podemos mostrar para o mundo que temos excelentes opções”, comenta.
 

Molhos e antepastos

Morango com limão siciliano e especiarias; amora com vinho; pimenta com hortelã; e mexerica com gengibre são outros sabores criados pela marca, que não trabalha só com geleias. São 30 produtos no total, incluindo molhos e antepastos. Entre as opções, chucrute, pesto de taioba, catchup de jalapeño com pimenta-verde e vinagrete com cachaça. O último lançamento é a cebola caramelizada na cerveja.
 
As receitas se dividem entre autorais e reproduções fiéis das originais (usando exatamente os mesmos ingredientes). Para fazer o vatapá, por exemplo, Bruno traz o camarão de Salvador e o azeite de dendê e a pimenta de Teixeira de Freitas, também na Bahia. O chimichurri, ele garante, tem o mesmo sabor do que se come na Argentina.
 
Os sócios Angelo Costa, Bruno Bethônico e Alynne de Oliveira(foto: Ângelo Ávila/Divulgação)
Os sócios Angelo Costa, Bruno Bethônico e Alynne de Oliveira (foto: Ângelo Ávila/Divulgação)
 
Com o catchup de pimentão vermelho é a mesma história. O designer optou por seguir uma receita de 200 anos do Norte da Itália, que tem várias ervas, como o indispensável estragão. Como não conseguiu encontrar nem um molho desses no Brasil, pediu ajuda para um primo, filho de italiano, que mora na Bahia. “Mandei uma amostra e ele disse que estava perfeito, que sentiu o sabor da Itália. O segredo está no estragão, que não é uma erva comum aqui.”
 
Para quem acha o pimentão indigesto, Bruno avisa que tira toda a pele antes do preparo, a fim de evitar qualquer desconforto. O catchup, que agrada às crianças e aos adultos, pode acompanhar pizza, batata frita e ainda virar molho de massas. É só virar o pote no prato, colocar manjericão, parmesão e pronto.
 
No último ano, a empresa tem planejado a sua expansão com a ajuda de um sócio investidor, Angelo Costa, que trabalhou em uma multinacional no ramo alimentício. A fábrica própria será inaugurada em setembro, com capacidade para atender a todos os empórios do Brasil e grandes redes com 20 mil produtos por mês. “Vamos crescer, mas sem perder o principal, que é a qualidade do produto. Isso não vai interferir em nada nas receitas (nenhum leva conservante químico) e no sabor.”
 

Serviço

Expressar Gourmet
(31) 98288-8202 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade