Publicidade

Estado de Minas ACIDENTES DE TRÂNSITO

Maio Amarelo: Hospital da Baleia faz alerta sobre acidentes de trânsito

O maior índice de pacientes politraumatizados que chegam ao Centro de Tratamento de Lesões Ortopédicas da instituição são vítimas de trânsito


13/05/2022 13:39 - atualizado 13/05/2022 14:29

Trânsito congestionado
Movimento Maio Amarelo foi criado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, em 2014 (foto: Freepik/Divulgação)

campanha Maio Amarelo tem como proposta conscientizar a população para o alto índice de mortes e feridas provocadas no trânsito em todo o mundo. Só o Hospital da Baleia realiza cerca de 550 procedimentos e/ou cirurgias ortopédicas por mês, das quais 20% são vítimas de acidentes de trânsito.

 

A instituição recebe pacientes de todos os hospitais do estado, encaminhados pela Secretária Municipal de Saúde. Acidentes com moto representam a maior parte dos casos registrados pelo hospital.

 

O taxista, Josué Rodrigues Pereira, de 50 anos, sofreu um acidente no final de dezembro de 2020. Desde então, ele passou por várias instituições. "Foram oito meses de espera até conseguir minha vaga aqui no hospital. Estou internado há 20 dias, quando cheguei o médico disse que meus ossos estavam podres e tudo estava infeccionado. Até agora, já passe por 4 cirurgias e vou continuar internado até conterem a infecção", conta Josué.

 

Leia também: Hospital da Baleia amplia atendimento odontológico aos pacientes  

 

Segundo o motorista, o acidente foi resultado da falta de educação no trânsito. "Eu estava transitando na rua do meu bairro, a preferência era minha, mas o carro não parou na parada obrigatória e acabou me acertando. Quebrei vários ossos, como a tíbia e a fíbula, tive fratura externa e fiquei bastante debilitado", completa.

 

O taxista Josué Pereira
Josué Pereira acredita que a educação no trânsito salva vidas (foto: Hospital da Baleia/Divulgação )
 

 

O coordenador da Ortopedia do Hospital da Baleia, Wagner Nogueira, enfatiza que o número de pacientes com fraturas expostas podem chegar até a 30% - tíbia e fíbula (ossos da perna) são as lesões mais frequentes entre os pacientes, permanecendo no hospital em média 3 semanas, no caso de lesões mais graves.

 

"A grande maioria dos pacientes, felizmente, conseguimos liberar com cinco a sete dias. Aqui no hospital, o paciente que chega para tratar complicações das fraturas recebe, desde as primeiras horas após a cirurgia, o acompanhamento da fisioterapia", comenta. Dados da Secretaria de Estado da Saúde mostram que os acidentes de trânsito são uma das principais causas externas de mortalidade e um dos mais importantes problemas de saúde pública mundial.

 

Entre 2011 e 2021, em Minas Gerais mais de 43 mil pessoas morreram em decorrência de acidentes de transporte terrestre e quase 244 mil passaram por internação hospitalar, com custo para o Sistema Único de Saúde de quase R$ 400 milhões.

 

* Estagiária sob supervisão da editora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade