Publicidade

Estado de Minas HERPES

Beijos no BBB22 despertam preocupação com infecções por herpes na casa

Participantes comentaram fato de Eliezer, com feridas na boca, ter beijado Natália e, depois, dado selinho triplo com ela e Maria


10/02/2022 15:01 - atualizado 10/02/2022 18:44

BBB
Eliezer pode estar com crise de herpes labial e beijou outras duas participantes do BBB22 (foto: Reprodução/TV Globo)
Beijos entre participantes do Big Brother Brasil (BBB22) vem 'dando o que falar' desde a noite de festa dessa quarta-feira. Até aí nada demais, inúmeras foram as vezes que os relacionamentos causaram repercussão nas 21 edições anteriores do programa. No entanto, o que gerou discussão dessa vez, além do jogo em si, foi a preocupação com a saúde, já que um dos envolvidos pode estar com herpes. E então? Como esse vírus afeta as pessoas?

Primeiramente, antes de falar de sintomas, transmissão e tratamento, vamos contar o que aconteceu. Eliezer e Natália se beijaram na noite dessa quarta-feira, no quarto Grunge da casa mais vigiada do Brasil. "Coragem dela, ele está com herpes", alertou Vyni, que também estava no quarto, em tom de brincadeira. Natália riu, disse que o colega quebrou o clima e, segundos depois, retomou o romance.

Por sua vez, Maria, que já havia beijado Eliezer em outra ocasião, 'entrou na dança'. Minutos depois, com o designer já preocupado pelos relacionamentos na casa, a atriz entra no quarto e é explicada da situação. "Não tem nada de errado ter acontecido. Fico mais preocupada pelo fato de você estar com herpes e ela não ter ligado pra isso. Qualquer outra coisa não tem problema nenhum, são duas pessoas solteiras", definiu a sister.

"Após beijar Eliezer, que está com herpes, Natália está fumando com a Lina. O surto vem aí!", comentou um telespectador no Twitter. Para completar, as festas na casa seguem rendendo. Depois de Natália procurar Maria para explicar a situação e ouvir que estava tudo bem, eis que surge Eliezer para abraçar as duas sisters. O designer então dá um beijo em uma, depois em outra e, por fim, os três selam a relação com um singelo beijo triplo. A direção do programa não confirmou oficialmente se o brother tem a doença.

"Se for confirmado que é herpes, a chance [de transmissão] é muito grande, mas não significa que ela vai desenvolver a doença. Provavelmente até passou mesmo, se for herpes e se ela ainda não tiver. A grande maioria dos adultos já tiveram contato com o vírus e, sendo dois adultos, muito provavelmente não foi a primeira vez que ela entrou em contato. É um vírus muitíssimo comum e é super comum termos algum contato, mas não é todo contato que significa manifestação de doença. Você pode ter o vírus presente, mas não desenvolver a doença", comenta Karla Mendes, dermatologista do Hospital Semper.

Ainda que seja comum a transmissão do vírus na sociedade, a médica alerta para os cuidados quando da manifestação da doença, principalmente em casos de pessoas imunossuprimidas. "Paciente imunodeficiente com contato com o vírus pode chegar a quadros gravíssimos, tendo até meningite e encefalite e pode até ser letal", explica.

Entenda a doença


A herpes labial é causada pelo vírus herpes simples do tipo 1 (HSV-1), enquanto o tipo 2 (HSV-2) é mais comum em quadros de herpes genital.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que pelo menos 70% da população mundial já teve contato com o vírus. Entretanto, nem todas as pessoas infectadas desenvolvem os sintomas aparentes da doença e podem passar anos com o vírus 'adormecido'.

O contato com o vírus ocorre geralmente na infância, mas ele só é 'reativado' quando há o que os médicos chamam de "fatores desencadeantes", como fadiga física e mental, estresse emocional, exposição à luz solar intensa e febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica.

Ainda de acordo com informações da OMS, os sintomas da infecção por herpes do tipo 1 podem durar cerca de uma semana e variam entre vermelhidão nos lábios, coceira ou queimação nos lábios e o aparecimento de bolhas dolorosas e úlceras ao redor e até dentro da boca.

A transmissão do herpes ocorre geralmente por contato através de saliva, mucosas, pele ou sexo. O contato direto é a forma mais comum de se contaminar, ainda que também é preciso se preocupar com objetos contaminados como copos, talheres, batons e outros utensílios em geral, como toalhas, por exemplo.

Não existe cura para a infecção por herpes, mas há tratamento. A medicação usada são antivirais, para acelerar o ciclo natural do vírus. O Ministério da Saúde alerta que, quando há crise, o paciente não deve furar as vesículas (bolhas) e também deve evitar beijar e falar muito próximo de outras pessoas.

O órgão ainda ressalta a importância da higiene das mãos, principalmente após tocar as feridas, e o cuidado com a saúde, a alimentação e o sono.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade