Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Corrente diária de meditação

Projeto 7 Dias Meditando é gratuito e tem como objetivo proporcionar às pessoas maior equilíbrio e apoio para passar por esses momentos desafiadores da pandemia


06/06/2021 04:00 - atualizado 06/06/2021 08:46

Filósofo e instrutor sênior de meditação, José Donizetti dos Santos criou o método no início da pandemia no Brasil, em março de 2020(foto: Arquivo pessoal )
Filósofo e instrutor sênior de meditação, José Donizetti dos Santos criou o método no início da pandemia no Brasil, em março de 2020 (foto: Arquivo pessoal )

Mindfulness – práticas meditativas de atenção plena que visam priorizar o momento presente. Esse é o princípio do programa 7 Dias Meditando, criado pelo filósofo e instrutor sênior de meditação José Donizetti dos Santos em março de 2020, quando a pandemia de COVID-19 teve início no Brasil. “Com o fechamento das escolas, me senti 'perdido', como todo mundo: insegurança, inquietações internas, medos, dúvidas. Veio uma inspiração de compartilhar, com pessoas próximas, práticas meditativas como apoio para passar por esses momentos tão desafiadores do isolamento social.”

Segundo ele, surgiu, então, a corrente 7 Dias Meditando. Ele convidou algumas pessoas e formou um grupo de WhatsApp, pelo qual poderia se comunicar com elas, enviando, de segunda a domingo, uma prática meditativa pautada na consciência corporal e na consciência na respiração. Do primeiro grupo, participaram em torno de 35 pessoas. A ideia foi se espalhando e, hoje, está na 58ª corrente, com 204 pessoas. “Sempre cabe mais um”, diz.

José Donizetti destaca que um lema orienta sua missão, o meditar em benefício do bem maior: a vida em toda a sua plenitude. “É um serviço que ofereço como agradecimento a todos os benefícios que tenho recebido ao longo da minha vida. Inclusive, a minha própria vida, primeiro, sendo preservada até hoje.”

E qualquer pessoa pode fazer parte dessa corrente, conforme o instrutor sênior de meditação, desde que ela esteja disposta a fazer uma pausa de 16 minutos, uma ou duas vezes ao dia, para voltar-se ao próprio centro, focar a atenção no corpo e suas sensações e, sobretudo, na respiração, seguindo as orientações nos áudios enviados diariamente às 5h. E os benefícios podem ser muitos, segundo o também filósofo, principalmente em meio a um momento de incertezas da pandemia.

“As práticas meditativas de mindfulness ajudam a desenvolver a consciência plena ou atenção plena ao momento presente, a tudo o que acontece no aqui e no agora, com mente de principiante, aceitação e não julgamento. Assim, sobretudo, nos tempos da pandemia, a meditação possibilita, por meio do treinamento da mente, maior concentração e relaxamento, levando a uma compreensão mais profunda de si mesmo frente à realidade desafiadora. Significa um tempo de voltar-se para si, introspecção, autoconhecimento, amor-próprio e reencontrar a própria essência vital.”

Além disso, segundo José Donizetti dos Santos, é possível cultivar e vivenciar a resiliência: ser capaz de reerguer-se após situações dolorosas e prosseguir com força. Afinal, a vida continua. “É muito lindo”, afirma.

Ele destaca que o programa pode ajudar ao lembrar, todos os dias bem cedinho, a pessoa de sair do piloto automático e fazer uma pausa. “Assim, ela se reconecta com sua essência mais sublime, a vitalidade em si, e a vida, o bem maior da humanidade, muitas vezes tão desrespeitada, ganha novo sentido, nova valorização. É não deixar para valorizar a vida quando perde um ente querido, mas valorizar e viver a vida, com intensidade e sentido, enquanto se está vivo, aqui e agora. Viver se vive verdadeiramente aqui, neste momento.”

DESAFIO DIÁRIO

Se o isolamento social pode, e é um desafio constante, assim como diversas situações da vida, a meditação também, porém com benefícios, conforme o instrutor sênior. “Meditar é um desafio diário, contínuo e constante. Sentimo-nos 'engatinhando' como meditantes, todos os dias. Com o tempo, parece que aprendemos a 'andar', andamos por um tempo, mas, muitas vezes, com as turbulências da vida, voltamos a 'engatinhar'.”

Talvez esteja nisso a beleza essencial da meditação, diz José Donizetti: a humildade de recomeçar sempre que preciso, com um olhar renovado para as coisas simples do dia a dia. “A magia da vida está na simplicidade das pequenas coisas.”

Para quem deseja começar ou encontra dificuldades na prática, o filósofo dá dicas: “Mais do que praticar corretamente, trata-se de cultivar a intenção ao decidir pausar, seja durante um tempo maior, de maneira formal ou por 10 minutos. Então, escolha um ambiente tranquilo, no qual esteja sozinho, sente-se ou deite-se de maneira confortável, relaxando o corpo e trazendo a atenção para aquele momento. Trata-se de lembrar e escolher estar em sua companhia, apreciando e desfrutando durante aqueles minutos”.

Ele acrescenta que pode fazer de forma informal também, ou seja, praticar a consciência plena enquanto realiza as atividades do dia a dia, como: ao comer, tomar consciência das sensações de estar ali para comer, dando atenção ao sabor enquanto mastiga os alimentos, os cheiros presentes, a textura e o engolir.


DEPOIMENTOS

TRABALHANDO A MENTE...

“Faço parte do grupo 7 Dias Meditando desde o primeiro episódio. Sempre fui adepta à prática da meditação, mas nunca tinha praticado mindfulness. Foram inúmeras perdas nos últimos meses, sendo a principal meu irmão, mais uma vítima da COVID-19. Diante de tantas tragédias trazidas pela pandemia, me manter no momento presente através da respiração tem sido minha âncora. Se não fossem as práticas meditativas, eu não estaria conseguindo falar sobre o assunto. Agradeço imensamente por essa oportunidade. Muitas pessoas se beneficiam dessa doação diária. Em meio a tanta tristeza, faz toda a diferença.”

•  Patrícia Mordente Eda, 59 anos, artista plástica


“Meditar nestes tempos de pandemia, há mais de um ano, diariamente, ininterruptamente, tem sido um privilégio. Tenho conversado com muitas pessoas com muitos problemas emocionais e de saúde, e percebo o quão saudável me sinto. Para muitos, a pandemia tem um significado de pura dor, enquanto que, para mim, além da dor pela humanidade, tem sido um tempo de muita introspecção, autoconhecimento, amor-próprio, equilíbrio, descobertas e até alegrias, apesar do isolamento. Meditar nos torna mais tolerantes, calmos, conscientes, centrados e aptos a enxergar a realidade como ela é, e aceitá-la, convictos de que tudo está certo do jeitinho que está. Meditar nos coloca em um lugar de empatia e perdoar se torna mais fácil. Até agora, posso afirmar que esse período me trouxe muitas conquistas, e estou certa de que as meditações tiveram um poder de transformação interna muito grande. Com mente de aprendiz, estar um pouquinho melhor a cada dia do que costumava ser.”

•  Ana Elisa de Barros Lima, 56 anos, arquiteta


“Desde o início de 2019, práticas meditativas se tornaram hábito em meu dia a dia, apesar de já praticar ocasionalmente desde 2013. No ano de 2019, estava no fim do ensino médio, e como a grande maioria dos adolescentes nesta fase, muito estresse me acompanhava, e as diferenças no dia a dia após a introdução do mindfulness foram nítidas. Aprender a controlar as emoções e ser mais resiliente com “as pedras no caminho” foram alguns dos benefícios. Hoje, já no terceiro período de faculdade e durante uma pandemia, posso dizer que estou bem, consigo entender que tudo vai melhorar, e viver e estudar, atualmente em quarentena, respeitando e fazendo minha parte. A pandemia nos trouxe desafios, como ficar em casa em quarentena, o medo constante de sair de casa e ocasionalmente o pensamento de ‘quando vai acabar?’ e muitos outros sentimentos que nos trazem mais estresse que o normal. Tenho certeza de que as práticas diárias me ajudam muito a passar por tudo isso.”

•  Lucas Borges da Cunha Menezes, 20 anos, estudante de ciências aeronáuticas

FAÇA PARTE!

Para quem deseja fazer parte da corrente 7 Dias Meditando, basta enviar mensagem pelo WhatsApp (31) 98457-1808 solicitando participar. “Eu enviarei uma fichinha de inscrição e, em seguida, o link de acesso ao grupo. A partir daí, a pessoa passa a receber os áudios com as práticas, diariamente e sem custo, com minhas orientações”, conta 
José Donizetti dos Santos, filósofo e instrutor sênior de meditação.

*Estagiária sob supervisão da editora Teresa Caram


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade