Publicidade

Estado de Minas Conta-gotas

Alimentação é fundamental para tratar doenças renais

O consumo regular e adequado de nutrientes garante o bom funcionamento do metabolismo e o equilíbrio de água no corpo


13/12/2020 04:00 - atualizado 14/12/2020 12:48

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
A manutenção de uma alimentação à base de frutas, legumes e cereais, sobretudo integrais, é essencial para o bom êxito no tratamento de doenças renais.

A Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) aponta cerca de 10 milhões de brasileiros com alguma disfunção renal e entre 90 mil e 100 mil pessoas se submetendo à diálise.

A entidade ainda revela que mais de 70% dos pacientes que iniciam o procedimento descobrem a doença quando os rins já estão gravemente comprometidos.

O cenário pode ser evitado com uma alimentação saudável e uma rotina de atividade física sob orientação de um especialista. Limitar a ingestão de proteína e sódio ajuda a preservar a função renal.

Entretanto, é preciso ter cuidado. Afinal, o consumo regular e adequado desses nutrientes garante o bom funcionamento do metabolismo e o equilíbrio de água no corpo.

Benefícios do mel

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

O mel é um dos componentes que mais ganharam protagonismo nas prateleiras de dermocosméticos, sendo a principal substância na formulação de diferentes produtos de beleza.

De acordo com a dermatologista especialista em cosmiatria Luciana Garbelini, isso ocorre por conta do alto poder nutritivo presente no mel, que carrega um mix de vitaminas do complexo B, C e E, além de minerais que são fortes aliados no tratamento da cútis.

Para aproveitar todos os benefícios que esse aliado natural tem, a dermatologista, parceira da Ricca, lista cinco motivos para incluir o mel na rotina de cuidados com a pele:

1- Hidrata a pele
2- Limpa profundamente
3- Diminui as chances 
de acne
4- Favorece os processos 
de cicatrização
5- Reduz os sinais de envelhecimento
 

Árvore do bem


Os shoppings da Multiplan (BH Shopping, Diamond Mall e Pátio Savassi) estão com uma ação social para celebrar o Natal com gestos de solidariedade.

Por meio do projeto social Árvore do Bem, os clientes poderão adotar um dos cartões localizados nas árvores dos estabelecimentos, contendo o nome da instituição e informações sobre a criança ou idoso que será presenteado.

Depois, basta colar o cartão no presente e depositá-lo em uma das caixas espalhadas pelos shoppings. Ao final da campanha, serão feitas as entregas nas oito instituições participantes do projeto. A ação segue até o próximo dia 20.
 

Dá para se exercitar com máscara? Sim!

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

Até que toda a população brasileira receba a vacina contra o novo coronavírus, as máscaras de proteção ainda serão um acessório imprescindível.

Mas como usá-las ao se exercitar, mantendo o rendimento e sem perder o fôlego? O educador físico e sócio da BodyHiit Experience Igor Tadeu dá dicas simples e importantes, considerando cada tipo de máscara e pensando na manutenção da atividade física como um momento prazeroso. Confira!
 
» Máscara 3D Knit: Esse tipo de máscara não molha. Seu formato anatômico, sem costura, dá mais estabilidade e segurança durante o uso. “Esse modelo é o mais recomendado para a prática da atividade física, pois não encosta no nariz e nem na boca, assim não mantém o ar quente. Além disso, ela não sai do lugar e filtra melhor o ar. Ela pode ser usada durante treinos de até 45 minutos sem precisar trocá-la”, explica.

» Máscara de tecido: Fica úmida e não filtra bem o ar. “Também é uma opção, mas se a pessoa sentir algum cansaço durante o treino, recomendo que faça uma pausa para tomar uma água”, orienta. Além disso, é importante trocá-la quando senti-la muito úmida.

» Máscara cirúrgica descartável: “Esse modelo facilita a entrada de ar, por outro lado, fica úmida mais rapidamente. Para um treino acima de 45 minutos, sugiro que seja trocada”, afirma Igor Tadeu.

» Máscara de neoprene: “Não é indicada para a prática de atividade física. Seu material, que não tem trama, dificulta bastante a passagem de ar”, alerta o professor.

Antes e depois da make

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
Gastar alguns minutos a mais para investir na preparação da pele pode ser a salvação da make e da saúde da cútis também. É o que explica Paola Galdolpho, beauty artist parceira Belliz.

“O momento de preparação é essencial para manter a maquiagem intacta o maior tempo possível e, sem dúvidas, para preservar a pele saudável durante e depois da aplicação de todos os itens da make. A falta de limpeza, por exemplo, faz com que as impurezas permaneçam presas nos poros e acabem deixando a pele mais oleosa ou disforme”, afirma.

Para preservar a saúde da pele antes e depois da maquiagem, a beauty artist lista os principais passos de preparação de pele. Confira:

» Limpeza: Aqui você pode escolher entre sabonete líquido ou água micelar para fazer a limpeza, mas é importante optar por um produto específico para cada tipo de pele. Com isso, os restos da make anterior, transpiração, poluição e oleosidade vão embora.

» Hidratação: O must have da preparação de pele é hidratação, seja ela para pele seca, mista ou oleosa. Para pessoas que têm receio de aplicar cremes por achar que a pele ficará com aspecto pesado, indico o uso de máscaras faciais, que agem em poucos minutos e proporcionam hidratação necessária por conta da alta concentração de ativos.

» Proteção solar: Durante o dia, o protetor solar é lei. A proteção contra os raios solares é indispensável para evitar linhas de expressão, envelhecimento precoce, ressecamento e manchas.

Controle de crises respiratórias


Doenças respiratórias, como a DPOC e a asma, afetam a qualidade de vida dos pacientes por produzir sintomas como tosse, expectoração e falta de ar, que muitas vezes impedem a realização de atividades básicas do dia a dia.

O médico pneumologista Júlio Abreu dá sete dicas práticas que pacientes com doenças respiratórias crônicas, como asma e DPOC, podem seguir para reduzir a frequência dessas crises respiratórias que comumente os afetam. Confira:

» Seguir regularmente o tratamento prescrito
»  Vacinar-se contra a gripe anualmente e contra a pneumonia de acordo com a orientação médica
»  Realizar atividades físicas regularmente, seguindo plano de orientação médica
» Caso seja fumante, parar com o uso do cigarro
» Seguir uma dieta com baixo teor de carboidratos se estiver com sobrepeso ou obeso
»  Discutir com seu médico um plano de ação caso haja uma 
piora dos sintomas
»  Procurar um serviço de saúde se não apresentar melhora, principalmente se estiver com aumento significativo de falta de ar


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade