Publicidade

Estado de Minas HIGIENE

Hábitos de desinfecção dos brasileiros mudaram na pandemia, diz pesquisa

Levantamento feito pela SC Johnson mostra que pessoas estão mais preocupadas em desinfetar ambiente para se precaver contra a COVID-19


24/11/2020 18:00 - atualizado 24/11/2020 18:30

Pesquisa recortada por regiões mostra que o brasileiro está se preocupando mais com a limpeza de sua moradia na pandemia(foto: SC Johnson/Reprodução)
Pesquisa recortada por regiões mostra que o brasileiro está se preocupando mais com a limpeza de sua moradia na pandemia (foto: SC Johnson/Reprodução)
Em todo o mundo, a expansão do coronavírus serviu de alerta para que as pessoas tomem os cuidados necessários, se previnam, fiquem em casa e lavem as mãos a todo o instante. A limpeza constante do ambiente de casa, eliminando possíveis focos da COVID-19, também é um aspecto importante na luta contra doença. Nesse sentido, uma pesquisa divulgada pela SC Johnson mostra que os brasileiros vem mudando gradativamente os hábitos de desinfecção depois do crescimento da pandemia.
 
O levantamento feito em todas as regiões do país mostra que as pessoas se atentaram para a gravidade do problema e mudaram a frequência da limpeza de suas casas. Na Região Sudeste, por exemplo, apenas 24% dos entrevistados faziam a desinfecção todos os dias antes da pandemia. Mas, com a explosão da doença, 58% passaram a desinfetar o ambiente, e 59% vão continuar limpando depois da pandemia. De acordo com o levantamento, apenas 48% faziam desinfecção duas vezes por semana na região. Com a pandemia, 87% estão fazendo o processo. E 68% continuarão a se precaver duas vezes numa semana.

Na Região Sul, apenas 28% desinfetavam o ambiente diariamente antes do coronavírus. Com a pandemia, 58% passaram a fazer e 30% prometem dar continuidade às medidas de segurança após a doença terminar. A porcentagem de pessoas que limpavam suas casas duas vezes por semana pulou de 45% para 91% com o início da pandemia. E 56% garantem que continuarão limpando duas vezes por semana.

No Nordeste, os brasileiros que limpavam as casas diariamente passou de 29% para 70% durante a pandemia – e 41% prometem seguir os hábitos de higiene. No Centro-Oeste, a porcentagem pulou de 31% para 70% e reduz para 38% num cenário em que a doença for vencida. No Norte, apenas 38% desinfetavam as moradias antes do foco da doença. Com a pandemia, 66% começaram a preocupar com a questão e, finalmente, 53% dizem que seguirão a iniciativa de desinfecção do ambiente.

“Essa pesquisa mostra que a pandemia mudou as percepções e hábitos das pessoas sobre como se protegerem. É muito importante que as pessoas mantenham seus hábitos de desinfecção como parte de suas rotinas de limpeza regulares para proteger suas famílias de vírus, germes e bactérias”, afirma Tatiana Ganem, gerente-geral da SC Johnson Brasil.

Segundo ela, a mudança de comportamento durante a pandemia pode contribuir para que os brasileiros mantenham hábitos de higiene saudáveis: “Como fabricante global de produtos de limpeza e desinfetantes domésticos, entre outros produtos, queríamos entender as percepções e hábitos dos brasileiros em relação à desinfecção. Queríamos saber se as pessoas realmente mudaram seus hábitos regulares em relação ao uso de desinfetantes em casa durante a pandemia. E, além de perguntar se mudaram seus hábitos em casa, queríamos ver como eles mudaram seus hábitos. Tudo isso é importante porque a SC Johnson tem um longo legado de trabalho para melhorar a vida das famílias no Brasil e no mundo. Temos o compromisso de conscientizar e ajudar os brasileiros a manter hábitos de higiene saudáveis”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade