Publicidade

Estado de Minas Atenção!

Médica alerta sobre aumento da COVID por aglomeração e relato viraliza

Infectologista do Hospital das Clínicas de São Paulo chama a atenção para a ocorrência de festas e encontros que têm provocado crescimento dos casos na cidade


13/11/2020 15:17 - atualizado 13/11/2020 15:41

(foto: Ruslan Keba/Unsplas/Banco de Imagens)
(foto: Ruslan Keba/Unsplas/Banco de Imagens)

Viralizou na internet o relato de uma médica infectologista que trabalha no Hospital das Clínicas, em São Paulo, sobre o aumento de casos de COVID-19 causado por situações de aglomeração muitas vezes desnecessárias.

A médica Christina Gallafrio Novaes chama a atenção para a ocorrência crescente da doença na capital paulista entre pessoas das classes A e B nas últimas três semanas, não por causa de ônibus ou metrôs lotados, em suas palavras, mas devido à realização de festas, jantares, e outros tipos de encontro.

"Vários hospitais de que tenho informação ou vivência direta (Sírio, Oswaldo [Cruz], 9 de Julho, Samaritano, Santa Paula, São Luiz...) tiveram aumento significativo de atendimentos e, pelo menos dois desses, estão lotados. As nossas consultas aumentaram exponencialmente", consta no texto que começou a ser disseminado pelo WhatsApp e rapidamente viralizou.

No relato, ela diz que espera que esse aumento não ocorra também entre a população menos favorecida, já que o Hospital das Clínicas não tem condições de reservar, mais uma vez, toda a estrutura do instituto, como aconteceu no começo, para tratar a infecção. "Está lotado agora com as internações por outras doenças que estavam represadas. Não teremos mais condições de ter, como antes, 500 leitos de UTI", alerta no texto.

Christina pede para que as pessoas continuem usando máscaras, mantendo o distanciamento, e suspendendo, pelo menos entre duas e três semanas de intervalo, os encontros não essenciais. Ela orienta que, se esses eventos forem inevitáveis, que sejam ao ar livre, com pouca gente.

"Nunca achei que fosse fazer um pedido desses, mas aqui estou, por exaustão. Peço desculpas antecipadamente por meu pedido (...). Nós, da saúde, estamos exaustos. Considerem isso antes de promover encontros. Está sendo muito difícil manter nossa saúde mental e física com uma carga de trabalho tão grande, de forma contínua, desde o início do ano. O descaso vem de cima, eu sei, contra isso não temos muitas armas. Mas aqui, neste grupo querido, tenho certeza que posso contar com a compreensão, apoio e esforço de vocês. É temporário", escreveu na mensagem a infectologista, que está na linha de frente contra o coronavírus desde o início da pandemia.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade