Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Coronavírus: Hermes Pardini realizará testes rápidos

Essa é uma das opções para combater a COVID-19, a fim de facilitar o diagnóstico da doença. O exame tem recomendação de uso específico


postado em 13/05/2020 15:53 / atualizado em 13/05/2020 17:35

Laboratório realizará testes rápidos em atendimento laboratorial ou domiciliar(foto: Hermes Pardini/Divulgação)
Laboratório realizará testes rápidos em atendimento laboratorial ou domiciliar (foto: Hermes Pardini/Divulgação)

O Teste Rápido Sorológico Qualitativo IgG-IgM será incorporado ao portfólio de opções para combater o novo coronavírus do Grupo Pardini. Isso porque a clínica de medicina diagnóstica tem buscado ampliar as medidas adotadas, a fim de agilizar e otimizar os testes oferecidos à população. O exame disponibilizado tem garantia de validação.  

O vice-presidente do grupo, Alessandro Ferreira, afirma que existem uma variedade de testes disponíveis no mercado e em atuação no Brasil, e que, por isso, a realização desses exames se torna um desafio, visto que os resultados podem apresentar inconsistência

“Temos a obrigação de validar o máximo de testes rápidos que for possível, pois somos referência em medicina diagnóstica no Brasil. E foi por isso que fizemos o que pudemos e testamos, incansavelmente, todos os métodos até encontrar a melhor opção.” 

Ferreira destaca que para melhor atender às demandas de médicos, pacientes, hospitais e demais laboratórios parceiros, o trabalho tem sido intenso. “Trabalhamos 24 horas por dia, sete dias por semana, voltados à excelência com o objetivo de contribuir para o sistema de saúde do Brasil.” 

O teste rápido identifica ou não a presença de anticorpos do novo coronavírus em amostras de sangue. E, para que haja validação dos testes são necessários três tipos de exames. Um deles atua na detecção do vírus em secreções respiratórias por meio de técnicas de biologia molecular (RT-PCR) que identificam sequências genéticas do SARS-CoV2. Neste tipo de exame, a coleta deve ser feita na primeira semana após o aparecimento dos sintomas, sendo ideal entre o terceiro e quinto dia. 

Outra opção é o teste sorológico, que detecta anticorpos produzidos pelo organismo após a infecção por COVID-19. Porém, a considerar que a produção desses anticorpos não é imediata, esses testes devem ser solicitados idealmente entre 14 e 20 dias após o início dos sintomas.

Já os denominados testes rápidos são testes sorológicos que podem ser realizados por meio da coleta de sangue venoso ou com gota de sangue da polpa digital.  

Para a infectologista e assessora médica do Grupo Pardini Melisssa Valentini, que trabalha diretamente com a validação dos testes, a vantagem do teste rápido é que pode ser realizado sem estrutura laboratorial, por ser de fácil execução.

“Além disso, os resultados podem ser obtidos em até 2 horas. Para isso, é importante que o exame seja realizado em um local que tenha validado o teste para que, assim, a interpretação do resultado possa ser feita de maneira correta.” 

Valentini ressalta, ainda, que apesar da agilidade e facilidade dos testes rápidos, esses têm menor sensibilidade quando comparados aos testes sorológicos convencionais. A julgar por isso, a infectologista considera a interpretação desse teste por um médico “imprescindível”, visto que é necessário correlacionar o estado clínico do paciente com o quadro epidemiológico

A assessora médica destaca, também, que um resultado não reagente indica ausência de anticorpos detectáveis para COVID-19, mas que a partir disso não se pode descartar a possibilidade de exposição do organismo ao vírus. Por isso, ao persistir a suspeita de contágio da doença, indica-se a realização de novo teste, com coleta feita, preferencialmente, após 20 dias do início dos sintomas e com outro método laboratorial. 

O exame pode ser feito em laboratórios de Belo Horizonte, Goiânia, Rio de Janeiro e São Paulo. Para a realização do teste, não há necessidade de apresentar pedido médico e o paciente precisa estar há pelo menos três dias afebril, sem uso de antitérmicos e sem sintomas respiratórios, com no mínimo 14 dias do início dos sintomas.

Caso contrário, a coleta deverá ser agendada para atendimento domiciliar. O resultado é liberado em até duas horas após a coleta da amostra de sangue e pode ser acessado pela internet. 

Informações a respeito do funcionamento dos laboratórios podem ser obtidas pelos telefones: 

BH e região metropolitana: (31) 3228-6200  

Goiânia e região: (62) 3221-9000 

Rio de Janeiro: (21) 4002-0203  

São Paulo: (11) 2799-9311 

* Estagiária sob a supervisão da editora Teresa Caram 
 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade