Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas RECOMEÇAR

Vamos deixar a sofrência de lado

Precisamos girar a abundância novamente. Abundância de trabalho, saúde e alegrias. E você pode ser mais um a girar esta roda que traz luz a todos


23/08/2020 08:30 - atualizado 23/08/2020 08:38

(foto: Reprodução/Internet/Vida Organizada)
(foto: Reprodução/Internet/Vida Organizada)

Outro dia ouvi alguém usar este termo “sofrência” e adorei. Afinal de contas, vivemos um mundo de gente reclamando de seus sofrimentos. Não dá nem pra perguntar educadamente o cumprimento “como vai” de sempre. Mas isso antes desta pandemia terrível que verdadeiramente deixou todos nós abalados.

Imagine agora, se perguntar será uma descarga de emoções saindo por todos os lados. Pois agora estamos mesmo em um período bem difícil. 

Como podemos mudar isso? Estou falando de uma vida em sofrência há décadas, onde aprendemos a ver o negativo da vida. Discorrer horas sobre nossas tristezas. Reclamar. Pedir de novo o que é ruim e permanecer nele.

Era assim, até que, de verdade, uma guerra invisível assola o planeta e nos deixa de olhos arregalados buscando soluções. Saímos de uma vida em que buscar o “perigoso” era o normal para nos defender e entramos no perigoso de verdade.

Sem falar só COVID-19 mas sim, muito mais, todas as implicações embutidas como falências, desemprego, desesperança, fome etc. 

E de repente, alguns mais ousados estão lutando por milhares. Descobrindo vacinas, trabalhando no batalhão do ataque, no atendimento médico, como enfermeiros, fisioterapeutas e outros da área da saúde. Sem contar o caminhoneiro que não parou, o chofer do ônibus, do trem e do metro, o gari e outros mais.

Sigo pensando em como ajudar mais as pessoas que perderam muito e com isso, a esperança. Entraram no que chamamos de desamparo aprendido. Sem esperança, sem caminho, perdidos se fecham numa bolha.

A vida precisa continuar, mesmo que o novo normal seja dentro de casa para muitos com filhos, tarefas dos mesmos e tarefas domésticas além do seu trabalho. Este é o novo normal. Viver e ter coragem de fazer a diferença. 

Em vez de reclamar, que tal experimentar, só por hoje, agradecer. Agradecer o quê? A sua respiração! Seus olhos que leem estas palavras. Sua vida. E se perdeu tudo, vamos recomeçar.

Ah! Mas tem aquele que vai dizer já tenho mais 60 anos, não dá mais tempo. Dá sim...tem muitos se reinventando em ofícios jamais imaginados, usando algo especial – SEU TALENTO – um dom divino, aquilo que só você faz bem-feito e que todos desejam que você faça. 

E se você doa seu trabalho, na lei natural da vida, você receberá por ele. E é assim. O dar e receber estão no mesmo patamar. Exceto entre pai e filhos, pois os filhos vão apenas agradecer a vida que receberam, mas não podem dar a vida de volta aos seus pais.

Mas no DAR E RECEBER – quem doa, recebe de volta. Bert Hellinger, fundador da Constelação Familiar, viu que nas Leis Sistêmicas da Família era necessário um equilíbrio entre as partes. Se faltar alguém na família, vai haver um desequilíbrio, e as pessoas terão que se mover de seus lugares originais numa dança desigual.

Ele viu que existiam leis que regiam uma grande família, a primeira delas a HIERARQUIA, na qual o que chega primeiro tem preferência. Os seus bisavós e avos vieram primeiro e você só está aqui porque eles existiram. Assim a vida chegou até você. Por isso, devemos a vida a eles. 

A segunda lei que Bert nos conta é sobre o PERTENCIMENTO, pertencemos a um mesmo grupo e quando rejeitamos algum familiar, onde houve algum julgamento de descendentes ou familiares próximos, estas pessoas ficam esquecidas.

Portanto, isso vai gerar faltas, doenças, desequilíbrio familiar e em tudo que esses descendentes fizerem, pois estão no mesmo grupo do que foi excluído, não visto por todos. 

Precisamos entender melhor que nossa vida é em conjunto e que aqui vivemos da união e do amor. Sem julgar, aceitar e seguir nosso caminho em prol de um bem maior.

Seguir em frente, trabalhar e ajudar a todos. E muitos que passam dificuldades agora podem estar presos a essa lei. Algum familiar fora excluído da vida em algum momento, por algum motivo.
 
A terceira lei, e a que gostaria de explicar aqui, é a LEI ENTRE DAR E RECEBER. Uma pessoa dá, a outra pessoa recebe e dá de volta, agradecendo o que recebeu. Algumas vezes, existem desequilíbrio entre casais, chefes e colegas de trabalho. E isso pode implicar escassez ou perdas.

Pois esta lei é natural, nada fica sem ser justo e na medida. A única relação que não tem troca é entre o pai e o filho, pois este recebeu a vida dos pais, não tem como dar de volta e pagar esse presente. Mas em todo o resto dos outros relacionamentos precisa haver um equilíbrio no dar e no receber. 

Precisamos nos abrir à ideia de utilizar a filosofia de lidar bem com dar e receber como uma porta de esperança. Doar seus talentos o fará redescobrir um novo caminho. Encontrar novos resultados e sentir que você recebe por merecer o divino, o belo e o bom para sua vida.

Assim a roda d’água gira. Ela doa água e recebe mais água exatamente porque doou. E nesse meio tempo, fabrica energia. A abundância da vida mora em doar o que se tem de melhor e assim, naturalmente você irá receber.

Portanto, pense bem...o que você tem de bom que pode doar agora e iniciar uma nova jornada que vai equilibrar seu sistema de vida? O que vai lhe trazer mais se você doar suas competências?

As suas habilidades estão dentro de você. Você pode doar. E automaticamente nesta lei universal você irá receber algo bom de quem recebeu o que você deu. Assim, espero que entenda que toda a abundância mora dentro de nós. Doe o que sabe fazer e faça com muito amor.
 
Precisamos girar a abundância novamente. Abundância de trabalho, saúde e alegrias. E você pode ser mais um a girar esta roda que traz luz a todos.

Ouse! Tenha coragem de reiniciar a caminhada mesmo sem mapas ainda. Crie você uma nova estrada e abra caminhos a muitos que te seguirão.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade