Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Vexame: Bolsonaro mostra em feira empresarial tudo (e apenas) o que é capaz

Em São Paulo, diante de grandes e importantes empresários de todo o mundo, presidente envergonha e isola ainda mais o Brasil


17/05/2022 06:00 - atualizado 17/05/2022 08:18

Registro da chegada de Bolsonaro para a cerimônia de abertura da 36ª Edição da APAS Show.
Registro da chegada de Bolsonaro para a cerimônia de abertura da 36ª Edição da APAS Show (foto: Isac Nóbrega/PR)

O presidente Jair Messias Bolsonaro, o verdugo do Planalto, participou nessa segunda-feira (16/05), de uma das maiores e mais importantes feiras do setor supermercadista do Brasil e do mundo - senão a maior e mais importante.

Ocorrida em São Paulo, a APAS SHOW, da Associação Paulista de Supermercados, reúne mais de 800 expositores do País e do exterior, e movimenta centenas de milhões de reais em negócios de segmentos diversos, muito além de bebidas e alimentos.

Vitrine para o mundo, o evento conta com a participação de executivos de primeiro escalão das maiores indústrias, e também autoridades governamentais, o que, por si só, justifica a presença do presidente da República, do governador do estado e do prefeito de São Paulo.

DISCURSO DO PRESIDENTE

Diante de uma plateia tão qualificada, esperava-se que a autoridade máxima do País falasse sobre questões importantes e relativas ao setor, como juros, crescimento, desemprego, impostos, inflação, desabastecimento, importação, política fiscal, etc.

Esperava-se palavras a respeito de combustíveis, transportes, infraestrutura aeroportuária, safra, questões ambientais, política externa - sobretudo Mercosul -, guerra na Ucrânia, governo Biden, Argentina, Chile, enfim, assuntos da pauta diária do segmento.

Contudo, o amigão do Queiroz, como sempre, ratificando toda sua gigantesca limitação intelectual e absoluta falta de compostura institucional, 'bostejou' sobre fraude nas eleições, golpe de Estado, liberdade de expressão, ditadura militar e, claro, comunismo e PT.

BOLSONARO SENDO BOLSONARO

Novamente, colocou as eleições sob suspeita, falou em luta armada, desferiu um punhado de palavrões (diante de autoridades e executivos estrangeiros, meu Deus!!) e, obviamente, nem sequer tocou em assuntos de 'negócios' e 'economia', limitando-se a xingar e a mentir.

Não há surpresa alguma no comportamento selvagem e obtuso do patriarca do clã das rachadinhas. Primeiro porque é um burro de pai e mãe (confesso!). Segundo porque não sabe fazer nada senão isso mesmo: mentir e xingar. Terceiro porque... por quê?

Sim, por que sair do script que lhe cabe (tiro, porrada e bomba)? Por que se aventurar numa seara que lhe é desfavorável (seu desgoverno é uma catástrofe)? Por que se expôr - e sua mediocridade monumental - diante de um ambiente não controlado, como o cercadinho?  

POR FIM

O devoto da cloroquina é isso mesmo e nada mais! Já os presentes, em sua ampla maioria, eram profissionais e empresários de primeira grandeza, inclusive no âmbito internacional. Por isso me surpreendeu, negativamente, ainda que parcos, os aplausos.

A plateia deveria, isso sim, ter desferido uma vaia ensurdecedora. Mas, assim como a FIEMG (Federação das Indústrias de Minas Gerais), que foi a Dubai pagar churrasco e puxar o saco do maníaco do tratamento precoce, a APAS preferiu o beija-mão servil. 

É uma pena o rebaixamento de nossas entidades de classe. É uma mancha na história de Associações tão importantes e representativas. O Brasil não está assim por acaso, e nem chegou até aqui sendo brilhante. Bolsonaro e Lula não correm o menor risco de ostracismo. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade