Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Galo vence, chega aos 65 pontos e está a nove da taça

Prevaleceram a melhor técnica do alvinegro e a capacidade do melhor lateral-esquerdo do país, Arana, que marcou o gol da vitória


07/11/2021 18:01 - atualizado 07/11/2021 18:11

Arana comemora depois de marcar o gol do Atlético no clássico contra o América
Atlético vence o América com o gol de Arana e se aproxima do bicampeonato brasileiro (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
O Atlético Mineiro ganhou mais uma, chegou aos 65 pontos e está a nove do título brasileiro, tão sonhado. Não foi um bom jogo contra o Coelho, mas prevaleceram a melhor técnica do alvinegro e a capacidade do melhor lateral-esquerdo do país, Arana, que marcou o gol da vitória. Quarta-feira, o Mineirão deverá estar lotado, outra vez. O adversário será o Corinthians. O América continua sonhando em ficar na elite, e precisa de 7 pontos, em 27 que vai disputar.

O narrador do Sport TV Luiz Carlos Júnior disse uma frase curiosa antes de o jogo começar, com o Mineirão lotado: "Com toda a certeza, todos que estão no Mineirão não viram o Galo ser campeão brasileiro, são 50 anos de espera".

E ele tinha razão. Por isso mesmo, o Atlético Mineiro corria atrás de mais 3 pontos, que o deixariam mais perto da taça. Com mais quatro vitórias, não há dúvidas de que o time mineiro será o campeão brasileiro pela segunda vez em sua história.

O América, que nada tem a ver com isso, também tinha um objetivo: vencer o jogo, chegar aos 41 pontos e se manter na elite e em busca de coisas maiores, como uma Copa Sul-Americana ou, até mesmo, Libertadores.

E o América começou em cima, com Ademir driblando três jogadores de uma só vez. Em seu primeiro ataque, Hulk caiu e ficou reclamando de falta. Chora demais esse Hulk! Segue o jogo, disse o árbitro.

Ademir era o dono do jogo americano, criava as principais chances e preocupava a defesa do Galo. Sem Nacho, o Atlético perdia sua criatividade, seu cérebro, embora, ele não tenha jogado bem nas partidas decisivas. Cruzamento de Mariano, Ricardo cabaceou para trás e quase marcou contra. No escanteio, Hulk tentou de bicicleta e Cavichioli segurou firme.

A torcida dava aquele combustível a mais. Uma festa! Os jogadores do Galo querem apitar o jogo. O time inteiro foi pra cima do árbitro, quando não houve fair-play por parte do América. Muito fraco esse árbitro Wilton Pereira Sampaio, de Goiás.

Savarino tomou a bola do zagueiro americano Bauermann e tocou para Hulk, que enfiou para Vargas chutar forte, mas para fora.

O jogo era muito igual e de poucas oportunidades. Arana chegou pela esquerda e cruzou. A zaga afastou a escanteio.

Zárate arriscou de fora e Everson segurou firme. Ademir também arriscou, para fora. O América não ficava atrás e nem contra-atacava. Encarava o Galo de igual para igual. Tchê Tchê arriscou da entrada da área e Cavichioli mandou a escanteio. Hulk toca para Tchê Tchê que chutou forte. Cavichioli segurou firme.

Ademir fez grande jogada e Patric furou na marca do pênalti. Júnior Alonso cabeceou para fora. Hulk tabela com Vargas, que cara a cara, chuta para fora, perdendo grande chance. E assim terminou o fraco primeiro tempo.

Os 60 mil torcedores do Galo queriam ver gols. As equipes voltaram sem mudanças. Cruzamento de Mariano, a bola passou na frente de Zaracho, que finalizou mal. Zárate quase marcou. No contra-ataque, Savarino também quase marcou. Júnior Alonso bateu de longe, Cavichioli mandou a escanteio.

O torcedor acordou. Hulk tocou para Vargas. Ele dominou e chutou. Cavichioli faz outra grande defesa. Diego Costa foi acionado aos 12 minutos. Saiu Savarino. Mariano cruza da direita, Diego Costa ajeita para Arana tocar no cantinho. 1 a 0. O torcedor foi a loucura.

O América parecia entregue, sem forças para reagir. Duas mudanças foram feitas. Bruno Nazário e Ribamar. Vargas foi lançado e chutou cruzado. Cavichioli defendeu. Vargas foi derrubado na entrada da área.

O árbitro não vacilou. Hulk bateu na barreira. E assim o Atlético faturou mais 3 pontos, ficou a 9 do bicampeonato brasileiro e deixou o torcedor muito feliz. Quarta-feira tem mais. Que venha o Corinthians, pois no terreiro chamado Mineirão, o Galo é quase imbatível. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade