Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas JAECI CARVALHO

Galo não joga bem, mas tem sorte de campeão

Casa cheia. Quase 60 mil torcedores lotaram o Mineirão para empurrar o time rumo aos 3 pontos, para ficar mais perto do troféu que ele não vê há 50 anos


03/11/2021 23:19

Jogadores do Atlético no centro do campo
E o Galo chegou aos 62 pontos, conseguindo uma vitória que o deixa mais próximo da taça (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A)
O Atlético não jogou bem. Hulk e Nacho nada produziram, mas a sorte, que acompanha os campeões e competentes, esteve ao lado do alvinegro. Quando o Grêmio era melhor em campo, o alvinegro fez 1 a 0 com Zaracho.
 
Sofreu o empate no segundo tempo, com Campaz, mas o VAR chamou o árbitro em cobrança de falta de Nacho que pegou no braço do mesmo Campaz. Luiz Fávio de Oliveira marcou a penalidade, que Vargas converteu na vitória alvinegra. Com 62 pontos, o Galo está mais perto da taça e os mais de 56 mil torcedores que foram ao Mineirão lavaram a alma.
 
Casa cheia. Quase 60 mil torcedores lotaram o Mineirão para empurrar o time rumo aos 3 pontos, para ficar mais perto do troféu que ele não vê há 50 anos.
 
Os analistas lembraram que o time alvinegro não conseguiu fazer bons jogos contra os times grandes. O Grêmio, ameaçado pelo rebaixamento, precisava vencer, para mostrar que o momento é péssimo, mas o time é bom, com vários jogadores consagrados. Uma grande vitória alvinegra seria fundamental, principalmente pelo fato de a média em jogos no Gigante da Pampulha ser excepcional, com 13 partidas, 11 vitórias, um empate e apenas uma derrota. E o Galo começou com cruzamento de Arana e cabeçada de Zaracho, com perigo.
 
Borja foi lançado e chutou na trave. No rebote, cruzamento de Villasanti da esquerda e Borja manda para o fundo da rede. O VAR foi acionado para traçar as linhas do impedimento e confirmou a irregularidade. O Grêmio chegava com perigo com Douglas Costa, que fazia fila. Lucas Silva lançou Borja, que, cara a cara com Everson, chutou para fora, perdendo gol incrível. A zaga do Galo falhava demais. E Borja arriscou de longe, chutando no travessão. O Grêmio começava melhor, quando Diego Costa tocou para Zaracho fazer Galo 1 a 0. O velho ditado prevaleceu: “quem não faz, leva”.
 
Lucas Silva arriscou de longe. Everson espalmou para o lado.  Douglas Costa deitava em cima de Guga. Era preciso uma cobertura melhor pelo lado direito. No mano a mano, Guga seria driblado todas as vezes. Campaz entrou na vaga de Villasanti. E logo deu um chutaço de fora da área, que Everson salvou. O jogo ficou de intermediária a intermediária. Hulk tentou seu primeiro chute e a bola foi na arquibancada. Escanteio para o Grêmio, Borja cabeceia livre, para fora. E assim terminou o primeiro tempo, com o Galo chegando aos 62 pontos.
 
O Grêmio começou o segundo tempo com Ferreira chutando para o gol e a bola resvalando em Guga, indo a escanteio. Na cobrança, Junior Alonso afastou em novo escanteio. Lucas Silva arriscou da entrada da área, para fora. Borja subiu livre a cabeceou fraco para Everson defender. Jair entrou na vaga de Tchê Tchê.
 
Arana deu o troco em jogada pela esquerda, que gerou escanteio. O goleiro do Grêmio saiu mal e a bola sobrou para Zaracho, que tocou por cima, mas para fora. E o Grêmio empatou em falha de Arana. Ele perdeu a bola que estava dominada. Douglas Costa tocou para Borja, que deu o passe perfeito para Campaz chutar na saída de Everson e empatar: 1 a 1.
 
Allan entrou na área e chutou forte. Chapecó fez bela defesa. O Galo tentava sufocar o Grêmio, mas não jogava bem. É impressionante como Nacho e Hulk somem nos grandes jogos. Réver lançou Hulk, que cruzou. Chapecó segurou firme. Cuca pôs Savarino, Mariano e Vargas. Saíram Guga, Hulk e Zaracho.

Nacho bate falta e a bola bate no braço de Campaz. O árbitro foi chamado pelo VAR. Foi ao monitor e marcou pênalti para o Galo. Vargas bateu e fez Galo 2 a 1.
 
O Galo não pode reclamar dos árbitros e nem do VAR nesta temporada. Mesmo quando não joga bem, o Galo está contando com o fator sorte. O Grêmio mudou. Saíram Borja e Thiago Santos para as entradas de Diego Costa e Jhonata Robert. Diego Costa saiu para a entrada de Nathan. Nada mais ocorreu.
 
E o Galo chegou aos 62 pontos, conseguindo uma vitória que o deixa mais próximo da taça.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade