Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Caboclo afastado, Tite mantido e Seleção Brasileira disputará Copa América

O jogador que se negar a disputar a competição ficará marcado pelos torcedores e pelo próprio treinador, que jamais pensou em se demitir ou abandonar o torneio


06/06/2021 18:17 - atualizado 06/06/2021 18:46

Rogério Caboclo foi afastado após denúncia de assédio moral e sexual por uma funcionária da CBF(foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Rogério Caboclo foi afastado após denúncia de assédio moral e sexual por uma funcionária da CBF (foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O técnico da Seleção Brasileira, Tite, está mantido no cargo, e Rogério Caboclo foi afastado da presidência da CBF por 30 dias, por causa de acusações de assédio a uma funcionária da entidade. Ainda que o dirigente permanecesse no cargo, Tite seria mantido, ao contrário do que informou uma matéria do GE. Caboclo gosta do trabalho do técnico e havia decidido mantê-lo, mesmo após o fracasso na Copa do Mundo de 2018.

 

Coronel Nunes, o vice-presidente mais velho da entidade, assume e já convocou uma reunião com seus pares para a manhã desta segunda-feira (7/5). Ele também gosta muito do trabalho de Tite e não vai barganhar sua demissão com o governo brasileiro.

 

Pela informação que obtive, a ideia dos 10 participantes da Copa América é se manter em treinamento no próprio país, embarcar em voo fretado para o Brasil e retornar, no mesmo avião, para seu centro de treinamento.

Por exemplo: a Argentina vai ficar concentrada em Ezeiza. Pega o voo fretado, vai para o Engenhão, estreia e volta a Ezeiza, onde ficará concentrada. A ideia é que não haja hospedagem em hotéis brasileiros.

Para isso, a Conmebol promete gastar R$ 45 milhões em fretamentos de voos para as nove seleções. O Brasil ficará concentrado na Granja Comary, saindo somente para os jogos.

Desse jeito, eu concordo com a realização da competição, pois o risco de contágio pelo coronavírus será reduzido. Os cuidados serão tomados, os jogadores testados e será até mais seguro do que um jogo por Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores ou Eliminatórias. Aí, não há motivo para protestos por parte do povo brasileiro.

Mesmo sendo contra a volta do futebol desde o começo da pandemia, já que temos outras competições, se a Copa América seguir realmente essas determinações, não vejo problema. Com relação ao afastamento de Rogério Caboclo pelo Conselho de Ética da CBF, foi a melhor solução. Ele terá 30 dias para se defender e provar que as acusações de assédio sexual e constrangimento por parte da funcionária são mentirosas.

Se não conseguir, deverá ser afastado definitivamente e poderá sofrer outras punições, inclusive da Fifa. Caboclo e seus advogados negam o assédio e garantem que tudo será esclarecido. A funcionária diz ter provas concretas e afirma, inclusive, que alguns diretores já presenciaram o assédio.

O coronel Nunes poderá determinar novas eleições em 60 dias, caso Caboclo não volte mais. Porém, pode cumprir o mandato, pois é o vice mais velho e assim reza o estatuto da entidade. Nunes votou contra a realização da Copa nos Estados Unidos, México e Canadá, em 2026, o que gerou constrangimento, na época da votação, em Moscou.

Com a saída de Caboclo é possível que os jogadores revejam sua posição e disputem a Copa América nos moldes que citei acima. Eles estão fechados com Tite, gostam do trabalho dele e entendem que um técnico com 100% de aproveitamento nas Eliminatórias, com cinco vitórias em cinco jogos, com um trabalho há cinco anos, não pode e não deve ser demitido.

Estamos a um ano e meio da Copa do Catar, e Tite tem um planejamento traçado com toda a sua equipe. Após o jogo com o Equador, o volante Casemiro deu a entender que os jogadores não iriam disputar a competição, mas, com a saída de Caboclo, é possível que mudem de ideia.

Principalmente depois que a Argentina já confirmou presença na competição, inclusive com Messi, Agüero e cia. O jogador que se negar a disputar a competição ficará marcado pelos torcedores e pelo próprio treinador, que jamais pensou em se demitir ou abandonar a competição.

Tite tem sua opinião formada, mas em primeiro lugar pensa na Seleção, em continuar seu trabalho e tentar ser campeão do mundo no Catar. Ele entende que a derrota na Copa da Rússia o fez pegar mais experiência e, ao longo desses últimos três anos, aprendeu muito, tem feito experiências, com o surgimento de atletas, e busca o time ideal.

Como a Copa será em novembro de 2022, Tite pensa em ter o time pronto em novembro deste ano. Em um ano, vai tentar amistosos contra equipes europeias, pedra no sapato do time brasileiro nos Mundiais de 2006, 2010, 2014 e 2018.

Tite goza de muito prestígio com seus atletas, pois é leal a eles. Após o jogo pelas Eliminatórias, contra o Paraguai, em Assunção, na terça-feira, Tite e os jogadores darão entrevistas, e com certeza vão dizer sim à Copa América, em busca do título.

O Brasil é o atual campeão, pois ganhou a competição em 2019, em território brasileiro. Um dos objetivos do grupo é reconquistar a confiança do povo brasileiro, que anda distante da Seleção, justamente pelos últimos fracassos em Mundiais – aqueles 7 a 1 não foram digeridos –, e o torcedor ficou muito frustrado e magoado.

A missão de Tite e dos jogadores é levar o Brasil a uma grande campanha no Mundial do ano que vem, resgatando, definitivamente, o amor do povo pelo seu maior patrimônio esportivo.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade