Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Erro crasso da arbitragem tira três pontos do América diante da Chapecoense

Como não há VAR na Segundona, o time mineiro acabou prejudicado


20/12/2020 18:27 - atualizado 20/12/2020 18:35

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

Um erro crasso da arbitragem, que anulou um gol legítimo de Ademir, tirou do América a vitória sobre a Chapecoense, no Independência, e manteve a diferença de dois pontos entre as equipes. Claro que ambos voltarão à elite, mas o Coelho sonhava assumir a ponta da Série B. Como não há VAR na Segundona, o time mineiro acabou prejudicado.

Agora é virar a chave e se concentrar na Copa do Brasil. Quarta-feira tem decisão no Allianz Parque.

O melhor time de Minas Gerais entrou em campo disposto a assumir a liderança da Série B, para brigar pela taça nas rodadas finais. A Chape queria marcar território e manter a ponta da tabela. Prenúncio de um grande jogo.

Vale lembrar que o América tem o primeiro jogo decisivo da Copa do Brasil, quarta-feira, contra o Palmeiras no campo do adversário.

O Coelho mostrou o cartão de visitas com Ademir, que arriscou de fora da área, por cima do gol. No Independência, quem manda é o Coelho. Era um jogo digno dos dois primeiros colocados.

O América é o time mais bem armado e bem treinado em Minas Gerais. Consciente, equilibrado e muito bem dirigido. Não importa o adversário. O Coelhão vai pra cima em busca dos gols. A Chape também é um time bem treinado.

O América queria o gol a qualquer preço. Ademir chutou forte, o goleiro da Chape defendeu. O América pressionava a saída de bola do adversário. Não há dúvidas que os jogadores do Coelho estavam com a cabeça na partida decisiva de quarta-feira.

E foi a Chape quem abriu o placar. Alan Ruschel chutou forte, Aylon desviou dentro da área e a bola entrou: 1 a 0. Na saída de bola, Felipe Azevedo chutou de voleio e o goleiro João Ricardo fez grande defesa. Geovane também arriscou, mas a bola foi fora.

O Coelho quase empatou no fim do primeiro tempo: Ademir carimbou a trave, e, no rebote, Felipe Azevedo tocou no ângulo e João Ricardo salvou a Chape.

O resultado a favor da Chapecoense foi injusto. O empate seria mais apropriado, pelo que as duas equipes apresentaram no primeiro tempo.

O resultado deixava a Chape com 61 pontos, praticamente classificada para a elite em 2021. O Coelho, com 56, precisaria de mais três vitórias para se garantir. Mas ainda havia mais 45 minutos, e muita coisa poderia acontecer.

Em seus domínios, o Coelho não costuma entregar o ouro ao bandido.

O América voltou com duas mudanças. Leo Passos e Alê. E logo empatou. A bola veio da linha de fundo para Felipe Azevedo, livre, na entrada da área. Ele chutou forte, a bola desviou na zaga e matou o goleiro João Ricardo: 1 a 1.

Ademir fez grande jogada e tocou no vazio para Rodolfo – Kadu chegou na hora H. Alan Rushel errou o passe, Rodolfo entrou sozinho e chutou para fora. Que chance perdida!

O América voltou bem melhor e já merecia virar o placar. A Chape fez duas alterações para equilibrar o jogo. Só dava Coelho, e a zaga da Chape estava atordoada.

Mas a Chape marcou num contra-ataque. Anselmo Ramon tocou para Bruno Silva, que driblou o zagueiro e chutou no canto: 2 a 1.

Um dos placares mais injustos. Foi um castigo o Coelho ter levado o segundo gol da Chape. Não merecia. Era muito superior.

 O América tentava de fora da área com chutes consecutivos. Era só pressão. Alê chegou a empatar, mas fez o gol com a mão. O bandeira viu e avisou a árbitra, que anulou.

No finalzinho, cobrança de escanteio, cabeçada para o meio da área e Ânderson empatou: 2 a 2, fazendo justiça a tudo o que o América fez em campo.

Mas um erro crasso da arbitragem tirou a vitória do Coelho. Ademir recebeu em posição legal, diante do goleiro, e marcou o terceiro gol. O bandeira deu um impedimento inexistente, e a árbitra não quis chamar para si a responsabilidade.

Como não há VAR na Série B, ficou por isso mesmo. Um escândalo, já que Ademir estava bem atrás da linha da bola e do seu marcador. O resultado mantém a Chape na liderança, com 59 pontos, e o América com 57. Com certeza, ambos vão subir.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade