Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

A goleada de Temer e o comercial de Maia

Melhor tratar da notícia do dia, já que se tratava de um ex-presidente, só que não foi tão emocionante. Os dois primeiros votos foram a favor. Perdeu a graça de cara


postado em 15/05/2019 06:00 / atualizado em 15/05/2019 09:46

O ministro da Economia, Paulo Guedes, na Comissao de Constituicao e Justica (CCJ) da Camara, debate a reforma da Previdência (PEC 6/19).(foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O ministro da Economia, Paulo Guedes, na Comissao de Constituicao e Justica (CCJ) da Camara, debate a reforma da Previdência (PEC 6/19). (foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Já que é o seu papel, o articulador político do governo federal é quem está encarregado de contar os votos para fazer a devida contabilidade dos congressistas que votarão a favor – ou contra, como não poderia de ser – na reforma da Previdência. Se o placar mínimo é de 308 votos, tarefa fácil não é. Antes, ele poderia ter uma ajuda de peso, mas ela debandou.

Para que fique claro de uma vez, trata-se do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). E olha que ele vai assumir amanhã o comando do país. Isso mesmo, com a viagem de Jair Bolsonaro (PSL) aos Estados Unidos e do vice-presidente General Hamilton Mourão à China, Maia será presidente da República. No governo Bolsonaro, será a primeira vez.

A propósito, Rodrigo Maia estava ontem em Nova York, e deixou claro a sua defesa pela reforma da Previdência, embora tenha defendido a revisão dos gastos políticos, “para evitar um colapso na economia nacional”. Se é missão oficial nos Estados Unidos, ele deve ter declarado I will work to aprove the reform. Or, maybe, I will work to improve the reform, “eu vou trabalhar para melhorar a reforma”.

Melhor tratar da notícia do dia, já que se tratava de um ex-presidente da República, só que não foi tão emocionante assim. Os dois primeiros votos foram a seu favor. Perdeu a graça logo de cara o julgamento envolvendo a prisão de Michel Temer (MDB). Nem deu tempo direito de esperar os demais integrantes da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Sobre a Sexta Turma, vale lembrar que ela é considerada mais garantista ou, para sair do juridiquês, é aquela menos “linha dura” que a Quinta Turma do STJ. Quem deu azar, foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá. Os juízes da 5ª Turma mantiveram a sua condenação neste processo. Lula recorreu e deve passar para o regime semiaberto a partir de 23 de setembro deste ano. Se não houver novas condenações.

De volta ao que interessa, a goleada foi 4 a 0 na turma que solta. Isso mesmo, o ex-presidente Michel Temer conseguiu habeas corpus provisório até que haja uma definição de fato deste caso, aquele que é radioativo, pois se trata de desvios de recursos públicos na construção da usina nuclear  de Angra 3. Sobre o placar, vale o registro de que ministro Sebastião Reis Júnior se julgou impedido por amizade com o Coronel Lima.

Bem, tem algumas medidas cautelares, em especial a entrega do passaporte. Bastaria, mas teve também uma medida que a coluna trata como cautelosamente registrada como política. É a “proibição de exercer funções de direção em órgãos partidários”. Aí seria demais.

Preste atenção
A próxima lua cheia é domingo agora. Vale prestar atenção. Afinal, “Our analysis gives the first evidence that these faults are still active and likely producing moonquakes today as the Moon continues to gradually cool and shrink,” said Thomas Watters, senior scientist in the Center for Earth and Planetary Studies at the Smithsonian’s National Air and Space Museum in Washington. “Some of these quakes can be fairly strong, around five on the Richter scale”.

Ah! O movimento
Pare de nos matar, pare de nos matar, sessão suspensa. Princesa Isabel, que nada. Olha, me poupem os ativistas que fizeram questão de enfatizar que “o papel da princesa Isabel nesse processo desvaloriza as lutas históricas do movimento”. Se é assim registrado, me poupe. O site da Câmara dos Deputados brigou com a notícia. Deixou em segundo plano o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) que, como descendente, ressaltou as reconciliações necessárias mas fez questão de dizer estar aberto a conversar, “com menos gritaria e mais conversa”.  Se sua trisavó é nada menos que a Princesa Isabel, me poupe!

Domingo na lua
Para que fique claro e objetivo para a descoberta em que os cientistas analisaram mais de 12 mil imagens registradas pela espaçonave Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO). E as imagens detectaram trincheiras rasas e colinas criadas a partir da perda de calor e do encolhimento do satélite. “É notável ver como os dados de quase 50 anos atrás e a missão LRO foram combinados para avançar nossa compreensão da lua, sugerindo onde futuras missões com a intenção de estudar os processos interiores da lua deve ir”, ensina John Keller cientista do Centro de Voo da NASA.

Os endereços
O ex-presidente Michel Temer (MDB) se deu bem ontem no julgamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e conseguiu o habeas corpus. Nem precisou fugir, mas se tentasse, certamente daria pouco passos. Afinal, ele estava preso na rua que é a mais “segura” da capital de São Paulo. Dois exemplos bastam: o 2° Batalhão de Polícia de Choque fica na rua Dr. Jorge Miranda, 367. O CP Choque fica na rua Dr. Jorge Miranda, 789 - Luz, São Paulo. Tem mais; afinal, no total, em volta há nada menos que oito unidades da PM, mas basta o registro dos dois na mesma rua.

Causa própria
É raro o governo federal editar uma medida provisória que seja favorável aos brasileiros, que estejam empregados, para ficar claro, mas o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força, não quer deixar. Obviamente em causa própria, já que é a sua praia. Força Sindical, o nome de fato, fala por si. E a má notícia é que ele conseguiu esvaziar a votação que tirava a obrigatoriedade do desconto da contribuição sindical em folha salarial. Quem sabe ainda dá tempo, afinal, a MP caduca em 28 de junho.

PINGAFOGO

O plenário aprovou o Projeto de Lei da Câmara 106/18, que denomina Rodovia Zilda Arns Neumann o trecho da BR-369 entre a cidade de Bandeirantes (PR) e a divisa dos estados de Paraná e São Paulo. A matéria vai à sanção. É mais uma, tantas já foram as homenagens merecidas a ela.

Como tudo tem de passar por Minas Gerais, vale o registro: “A meta é se chegar aos 200 anos de independência do Brasil com independência econômica”. A frase é da líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP).

Para registro, a deputada Joice Hasselmann esteve em Belo Horizonte com a Caravana da Independência, evento que vem sendo realizado pelo país para divulgar e pedir apoio à reforma da Previdência. Que tal então incluir na negociação a revisão da Lei Kandir?

A CEO Mônica Schimenes foi convidada pelo consulado americano para dar palestras sobre internacionalização de empresas. A empreendedora que possui quatro agências de live marketing – uma delas nos EUA – fala sobre sua ajuda aos empresários que desejam se arriscar em terras americanas.

O que acha de darmos uma nota sobre o convite? Além disso, ela está disponível para falar sobre o tema da palestra, podemos pensar até mesmo em uma pauta focada nisso. Vamos alinhar? Beijos e até mais. Preservando o nome, ficamos por aqui.

 


Publicidade