Publicidade

Estado de Minas

Dira Paes diz que pandemia ressuscitou tema da violência doméstica

Atriz, que vive Celeste em Fina estampa, defende mais campanha de conscientização a favor da denúncia contra agressores


postado em 24/05/2020 04:00 / atualizado em 22/05/2020 20:33

Em Fina estampa, Celeste (Dira Paes) é agredida pelo marido Baltazar (Alexandre Nero), mas tem dificuldade de romper a relação, como a maioria das brasileiras(foto: Zeca Guimarães/globo)
Em Fina estampa, Celeste (Dira Paes) é agredida pelo marido Baltazar (Alexandre Nero), mas tem dificuldade de romper a relação, como a maioria das brasileiras (foto: Zeca Guimarães/globo)

Para Dira Paes, a principal questão de Celeste em Fina estampa é a violência doméstica. Na novela das 21h da Globo, que está sendo exibida em edição especial por conta da pandemia do novo coronavírus, a personagem sofre com as agressões do marido, Baltazar (Alexandre Nero). A cozinheira tem dificuldade em romper com a situação que vivencia dentro de casa, assim como milhares de mulheres brasileiras.

“A presença de Fina estampa nesse momento da pandemia está ressuscitando o tema da violência contra a mulher com muita atualidade. O que nos faz sentir, de certa maneira, que nós não avançamos nessa questão. A Celeste tem a sorte de ter uma filha que a ampara. Tem uma cumplicidade entre elas que eu acho que deu força para a personagem se superar”, afirma Dira.

No folhetim, a amiga de Griselda (Lilia Cabral) tem uma virada ao ganhar independência por comandar o seu próprio restaurante, que conta com a nova milionária como sócia. Por isso, a atriz ressalta a importância de campanhas que incentivem a denúncia contra a violência doméstica. Dessa forma, Dira acredita que novas vítimas possam escapar do feminicídio.

“Precisamos fazer um volume de campanha para a conscientização contra a violência doméstica e a favor da denúncia. Sabemos que é muito difícil interferir no seio familiar, mas, ao mesmo tempo, percebemos que não podemos ser passivos. Lembro que durante a época da novela foram levantadas inúmeras bandeiras e uma delas era de fazer um barulho ao ouvir o seu vizinho em uma situação dessas”, comenta a atriz.

Rever Celeste trouxe muitas surpresas para Dira, pois ela tem memórias especiais deste trabalho. Porém, a atriz ressalta que sentiu um estranhamento inicial. Afinal, por ter sido exibida originalmente entre 2011 e 2012, a intérprete já havia se esquecido de várias sequências.

“Não é um estranhamento nostálgico, mas de perceber que não me lembrava de muitas situações. Comecei a me questionar se isso era um problema de memória e fui me surpreendendo com cenas que tinha me esquecido. Mas, ao mesmo tempo, me incomodava o fato de não conseguir antecipar a novela na minha cabeça”, revela.

MATERNAL 

Antes de ter filhos, Dira Paes viveu algumas mães na ficção. Segundo a atriz, isso aumentou o seu desejo pela maternidade. No entanto, ela garante que a forma de interpretar a figura materna mudou muito após ter suas próprias experiências.

“Depois que fui mãe, fiz novelas em que a maternidade era um assunto. Percebo que sou outra mãe da época de Fina estampa. Sem dúvida, hoje, a experiência que tenho enriquece as personagens. O papel de mãe na dramaturgia, em geral, é muito rico, com diversas facetas. Pode levar a variadas compreensões do ser humano”, conclui. (Estadão Conteúdo)

Outros papéis

Ao lado de Marcos Palmeira (Pedroso) deu vida a Rosa na minissérie Rebu
Ao lado de Marcos Palmeira (Pedroso) deu vida a Rosa na minissérie Rebu
Em Amores roubados, Celeste viveu ardente paixão com Leandro (Cauã Reymond)
Em Amores roubados, Celeste viveu ardente paixão com Leandro (Cauã Reymond)


Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade