Publicidade

Estado de Minas

Não morra sem conhecer João Pessoa - o Caribe brasileiro no extremo leste do país

O mar da capital paraibana encanta pelos tons de azul e verde. Beleza se comprova nas rotas que encantam os turistas: piscinas naturais do Seixas e do Bessa


postado em 14/01/2020 04:00 / atualizado em 14/01/2020 12:55

Carina Oliveira da Silva e Adriano de Andrade escolheram João Pessoa para passar as férias e se encantaram com as piscinas naturais do Seixas(foto: Fred Bottrel/EM/D.A press )
Carina Oliveira da Silva e Adriano de Andrade escolheram João Pessoa para passar as férias e se encantaram com as piscinas naturais do Seixas (foto: Fred Bottrel/EM/D.A press )


Com águas quentes e rasas, as piscinas naturais de Bessa, em João Pessoa, na Paraíba, garantem diversão para pessoas de todas as idades, o que faz com que seja um destino bastante procurado por famílias. Ao chegar às piscinas naturais, o catamarã ancora para que o turista possa explorar a imensidão de azuis.
 
De beleza incontestável, a região do Seixas recebe estrutura para se tornar um dos pontos turísticos mais visitados de Jampa, como João Pessoa é carinhosamente chamada. Em agosto do ano passado, a região recebeu o título de Polo Turístico Gastronômico, concedido pela Câmara Municipal.
 
 
O chef Arthur Lira Nogueira Paz desbravou a região há seis anos. Foi um dos primeiros a apostar no ponto turístico, quando abriu o Estaleiro Restaurante. “Aqui onde estamos localizados é o ponto extremo das Américas, Praia do Seixas, é o que a gente chama de esquina do Brasil. Bem na pontinha”, ressalta ao brincar com a localização do restaurante. “É fácil se alguém perguntar onde é o restaurante. Pega o mapa do Brasil, vai para aquela ponta, põe no Google e vai puxando e você chega lá. É o ponto extremo das Américas”, afirma.
 
O turista que visita João Pessoa, na Paraíba, surpreende-se com a cor verde-esmeralda das piscinas naturais do Seixas(foto: Fred Bottrel/EM/D.A press )
O turista que visita João Pessoa, na Paraíba, surpreende-se com a cor verde-esmeralda das piscinas naturais do Seixas (foto: Fred Bottrel/EM/D.A press )
 
A localidade do Seixas tem acesso único, quase como condomínio fechado. Por ser uma reserva florestal, não é permitido erguer prédios na região. “Aqui a gente tem sagui, tamanduá dourado, raposa. É um pedacinho diferenciado. Vizinho do Seixas, a gente tem a Penha, que é um santuário religioso”, afirma Arthur, que também é presidente da Abrasel.
 
No extremo leste do Brasil, na Praia do Seixas, o visitante tem o mar sem fim de águas quentes e cristalinas(foto: Fred Bottrel/EM/D.A press )
No extremo leste do Brasil, na Praia do Seixas, o visitante tem o mar sem fim de águas quentes e cristalinas (foto: Fred Bottrel/EM/D.A press )
Para quem quer seguir desbravando a região, vale conhecer a vila de pescadores, o mercado do peixe e a escadaria da Penha, tombada pelo patrimônio, o Aquário da Paraíba. Um minicampo de golfe está sendo construído. “O Seixas é um local pequeno, mas de muita riqueza ecológica, de lazer e turismo e, de alguns anos pra cá a parte gastronômica”, destaca. O ponto turístico é equipado com bons restaurantes e, depois de voltar da visita às piscinas, vale fazer um pit stop para apreciar os sabores da Paraíba.


Publicidade