Publicidade

Estado de Minas CLÁSSICO NACIONAL

Rivais na Libertadores, Palmeiras e Atlético têm números semelhantes no ano

Equipes se enfrentam nesta terça-feira (21), às 21h30, no estádio Allianz Parque, pela semifinal do torneio Sul-Americano


20/09/2021 13:14 - atualizado 20/09/2021 13:23

Atlético venceu o Palmeiras por 2 a 0 no duelo do Brasileirão
Atlético venceu o Palmeiras por 2 a 0 no duelo do Brasileirão (foto: Pedro Souza/Atlético)
 
O Atlético tem uma pedreira no caminho do bicampeonato da Copa Libertadores . Apoiado na boa campanha no torneio e no poderoso ataque, o Palmeiras põe à prova a força do Galo em dois confrontos decisivos, que valem vaga na final na principal competição sul-americana. O primeiro duelo já é nesta terça-feira (21), às 21h30, no Allianz Parque, em São Paulo. O jogo de volta está marcado para Belo Horizonte, no dia 28 de setembro, às 21h30, no Mineirão.
 
 
Antes do início da disputa, o Superesportes preparou um raio X completo do confronto entre o clube paulista e o time mineiro na história. Veja abaixo as estatísticas de cada equipe nesta temporada, principais goleadores, contratações e os números defensivas e ofensivos na Libertadores.
 

Histórico
 

Desde que Palmeiras e Atlético se enfrentaram pela primeira vez em uma partida oficial na história, no Torneio Roberto Gomes Pedrosa ( Robertão ) - reconhecido posteriormente pela FIFA como Campeonato Brasileiro -, disputaram mais 71 jogos. A vantagem é do Alviverde, que acumula 34 vitórias contra 26 do Galo. Além disso, eles empataram em outras 12 ocasiões.
 
O Verdão domina os números ofensivos do encontro, com 96 gols marcados. Por sua vez, o Alvinegro balançou as redes do adversário 81 vezes. A maior goleada também pertence ao Palmeiras: 5 a 0, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil de 1996, no antigo estádio Palestra Itália, em São Paulo.
 
Se o retrospecto acima foi construído ao longo de décadas de rivalidade, os números recentes também mostram vantagem do Palmeiras. Nos últimos dez jogos, foram três vitórias do Alviverde, duas do Atlético e cinco empates. 
 
Todas essas partidas foram válidas pelo Campeonato Brasileiro . Na última delas, porém, foi o Atlético que se sobressaiu. A vitória por 2 a 0, no Mineirão, em 14 de agosto, confirmou o Galo como líder do Campeonato Brasileiro 2021.
 

Números na temporada

 

Atlético

 
O Atlético iniciou o ano cheio de planos ambiciosos para a temporada: construir um estádio próprio (Arena MRV) e formar um elenco milionário para fazer frente em todas as competições. Não à toa, o time alvinegro faturou o Campeonato Mineiro , se classificou para as semifinais das duas copas (do Brasil e Libertadores) e lidera com sobras o Brasileirão.
 
No Estadual, o Alvinegro entrou em campo em 15 oportunidades até se sagrar campeão pela 46ª vez na história. Nessas partidas, o time conseguiu ter um ótimo desempenho no setor ofensivo ao marcar 27 gols. Com apenas oito sofridos, a defesa também se mostrou bem sólida.
 
Já pela Copa do Brasil , o clube mineiro fez seis jogos. Por ter se classificado para a Libertadores de 2021, o Atlético ganhou o direito de iniciar a competição mata-mata na terceira fase. Sendo assim, Galo eliminou Remo, Bahia e Fluminense, respectivamente. O ataque atleticano foi efetivo em dez ocasiões, dando à equipe a média de 1,6 gol no torneio. A defesa também se manteve consistente, com apenas quatro gols sofridos (média de 0,66).
 
O clube mineiro também se destaca no Campeonato Brasileiro : é o líder da competição, com 45 pontos – sete a mais que o segundo colocado Palmeiras – e tem a defesa menos vazada, com 13 bolas na rede atleticana (média de 0,65 gol). O setor de ataque funcionou em 32 oportunidades.
 

Médias de gols

 
.Total na temporada - 1,7 por jogo
.Campeonato Mineiro - 1,8 por jogo
.Copa do Brasil - 1,6 por jogo
.Libertadores - 1,9 por jogo
.Campeonato Brasileiro - 1,52 por jogo
 
Palmeiras
 
Defendendo os títulos da Libertadores e Copa do Brasil, o Palmeiras também se planejou para se manter no topo do cenário nacional e internacional ao fim desta temporada. Mas nem tudo saiu como previsto pela diretoria alviverde.
 
O clube já amargou três vice-campeonatos neste ano: perdeu as decisões da  Recopa Sul-Americana , Supercopa do Brasil e Campeonato Paulista para Defensa y Justiça, Flamengo e São Paulo, respectivamente. Na Copa do Brasil, também decepcionou ao ser eliminado nos pênaltis para o CRB ainda na terceira fase do torneio.
 
Em 51 partidas disputadas até o momento, o clube alviverde sofreu 49 gols e marcou outros 85, sendo: 21 no Paulista; três na Recopa; dois na Super Copa do Brasil; um na Copa do Brasil; 26 na Libertadores; e 32 no Brasileirão. A média de bolas na rede por jogo foi de 1,66.
 

Médias de gols

 
.Total na temporada - 1,66 por jogo
.Super Copa do Brasil - 2 por jogo
.Recopa Sul-Americana - 1,5 por jogo
.Campeonato Paulista - 1,31 por jogo
.Copa do Brasil - 1 por jogo
.Libertadores - 2,6 por jogo
.Campeonato Brasileiro - 1,57 por jogo
 

Artilharia

 
Com um ataque de respeito, o Galo tem média de 1,76 gol por partida somando todos os jogos que fez nesta temporada. Foram 88 bolas na rede em 51 apresentações. O atacante Hulk é o principal responsável pelos bons números do time, com participação direta em 32 gols (21 tentos marcados e 11 assistências).  
 
Do lado palmeirense, a artilharia está dividida entre o meio-campista Raphael Veiga e o atacante Willian, que ainda não conseguiu se firmar na equipe titular. Os dois jogadores marcaram dez gols cada.
 
Na Libertadores desta temporada, Gabriel Barbosa (Flamengo) lidera o ranking de maior goleador, com dez tentos anotados. Fred (Fluminense) e Hulk estão empatados na segunda posição, com sete cada. O atacante Rony , do Palmeiras, é o terceiro nesse quesito, com seis.
 

Libertadores 2021

 
O Galo terminou a primeira fase da Libertadores com a melhor campanha (100% de aproveitamento) geral e a defesa menos vazada . Por essa razão, recebeu o direito de decidir em casa as partidas de volta do mata-mata da competição. A campanha alvinegra teve seis triunfos em seis jogos, 15 gols marcados e apenas três sofridos.
 
Nas oitavas de final, o Atlético enfrentou o Boca Juniors. O duelo de ida na La Bombonera, em Buenos Aires, na Argentina, em 13 de julho, terminou empatado por 0 a 0. Na volta, no Mineirão, no dia 20 do mesmo mês, o placar se repetiu, porém o time mineiro levou a melhor na decisão por pênaltis (3 a 1).
 
O Alvinegro encarou outra pedreira no confronto das quartas de final: o River Plate. No duelo de ida, no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, em 11 de agosto, o Atlético venceu por 1 a 0. Na volta, uma semana depois, também no Gigante da Pampulha, a equipe mineira voltou a vencer, mas dessa vez por 3 a 0.
 
Ao todo, foram 19 tentos marcados e apenas três sofridos, médias de 1,9 gol e 0,3 por partida, respectivamente.
 
Por sua vez, o Palmeiras também fez uma boa campanha na primeira etapa do torneio Sul-Americano. O time paulista foi o primeiro colocado do grupo A, com 15 pontos – cinco vitórias e uma derrota. Foram 20 gols feitos e sete sofridos.
 
Para chegar às semifinais, o Alviverde eliminou a Universidad Católica após vencer os dois jogos por 1 a 0. O duelo de ida foi disputado no estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile, enquanto a volta no Allianz Parque, em São Paulo.
 
Nas quartas, o Verdão teve o grande clássico contra o São Paulo. No primeiro jogo, no estádio do Morumbi, em 10 de agosto, as equipes empataram por 1 a 1. Na segunda partida, também no Allianz, na semana seguinte, o Palmeiras goleou o adversário por 3 a 0.
 
Em dez jogos na competição, o Alviverde marcou 26 gols (média de 2,6 por partida) e oito sofridos (média de 0,8).

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade