Publicidade

Estado de Minas ATLÉTICO

Desafio do Atlético é ir forte para dois primeiros jogos na Libertadores

Mesmo sem brilhar, Atlético vence o Boa de virada e leva vantagens para semifinais


19/04/2021 13:02 - atualizado 19/04/2021 13:05

Vargas marcou nos 2 a 1, que agradaram a Cuca: treinador citou as mais de 20 finalizações e diz ter visto mais entrega e evolução tática(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Vargas marcou nos 2 a 1, que agradaram a Cuca: treinador citou as mais de 20 finalizações e diz ter visto mais entrega e evolução tática (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)

O Atlético cumpriu o primeiro objetivo da temporada: mesmo sem brilhar, garantiu o primeiro lugar da fase de classificação do Campeonato Mineiro com uma rodada de antecedência ao fazer 2 a 1, de virada, no Boa, nesse domingo, no Mineirão. O resultado confirmou o rebaixamento do time de Varginha, que se junta ao Coimbra no Módulo II do ano que vem. Nas semifinais o alvinegro enfrentará o quarto colocado, ainda indefinido.



Agora, o desafio é ir forte para os dois primeiros jogos na Copa Libertadores de 2021, contra Deportivo La Guaira-VEN, quarta-feira, às 19h (de Brasília), e América de Cali-COL, dia 27, no Mineirão. Isso porque o técnico Cuca já adiantou que vai escalar time alternativo diante do Athletic, domingo, em São João del-Rei, resguardando os principais atletas para a competição continental.

“Criamos muitas oportunidades, mas não fizemos tantos gols. Assim, fica parecendo que estivemos abaixo. Tenho certeza que competimos mais que no clássico (derrota de 1 a 0 para o Cruzeiro). A semana foi boa e temos de manter a pegada lá em cima, pois agora é Libertadores”, disse Guilherme Arana, autor do gol da vitória, cobrando pênalti, já no fim da partida.

Com formação diferente (o zagueiro Igor Rabello e com o atacante Hulk suspensos, e o meia-atacante Savarino aprimorando a forma física), o Galo tentou pressionar desde o início. Mas esbarrou em erros defensivos, além de perder muitas chances.

Para o treinador atleticano, os comandados podem não ter sido perfeitos, mas cumpriram o objetivo e prepararam o “espírito para Libertadores”. “A semana foi muito produtiva, muito bem trabalhada. A gente sabe que a cobrança é enorme, pelo investimento que o clube fez. Mas no futebol não é assim, não se ganha com nome, com camisa. Não sou muito de me apegar a números, mas com mais de 20 finalizações, 20 escanteios, não há o que contestar. E o Vargas, se não está em um dia ruim de finalizações, teria feito três ou quatro. Se tivéssemos empatado, iria falar a mesma coisa”, afirmou Cuca.

Disputa

Realmente, o Atlético foi muito melhor o tempo todo. Mas quem fez o primeiro gol foram os visitantes, aos 20min, com Tiaguinho, que pegou rebote após Dieguinho acertar a trave em chute da entrada da área, com a bola ainda resvalando nas costas do goleiro Éverson antes da finalização.

O Atlético não se abateu e conquistou o empate nove minutos à frente, com Vargas. Ele dominou na pequena área depois de Alonso escorar de cabeça e tocou para a rede com o goleiro caído. O chileno quase fez o segundo já nos acréscimos, em bom chute da entrada da área. Carlos Miguel voou no canto interior direito e desviou pela linha de fundo.

Logo no começo da etapa final, o Galo teve duas boas chances, com Dylan Borrero finalizando para fora e Sávio tentando de cabeça. Já aos 14min, Arana quase acertou o ângulo superior direito em chute de longe. E dois minutos depois, Vargas parou em Carlos Miguel e errou finalização dentro da pequena área.

Aos 35min, o Igor Eto’o deu puxeta na pequena área e só não fez um golaço porque Everson conseguiu defender. Mas em dois lances o Atlético respondeu, um com Marrony cabeceando para fora e outro com Carlos Miguel pegando cabeçada de Réver. Aos 43min, porém, Dieguinho tocou em Nacho Fernández quase na linha da área, mas o árbitro deu pênalti. Arana cobrou e fechou o marcador.

 

 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade