Publicidade

Estado de Minas SUPERLIGA MASCULINA

Tudo ou nada: Minas busca manter sonho e evitar bi do Taubaté na Superliga

Time mineiro precisa ganhar segundo jogo da final, nesta sexta-feira


16/04/2021 09:57 - atualizado 16/04/2021 10:00

Minas precisa da vitória para provocar o terceiro e decisivo jogo contra o Taubaté(foto: William Lucas/Inovafoto/CBV)
Minas precisa da vitória para provocar o terceiro e decisivo jogo contra o Taubaté (foto: William Lucas/Inovafoto/CBV)
O Minas encara o segundo jogo contra o Taubaté, pela série final da Superliga Masculina, com obrigação de vitória. O time mineiro precisa ganhar dos paulistas nesta sexta-feira, às 19h, no Centro de Desenvovimento de Vôlei (CDV), em Saquarema-RJ, a fim de evitar que o adversário levante a taça e prolongar a decisão para um terceiro e decisivo confronto. A partida terá transmissão do SporTV2. 

Com a derrota por 3 a 2 no primeiro jogo da série, na quarta-feira passada, o Minas precisa dar o troco para provocar a terceira e decisiva partida, marcada para este domingo, às 19h, no CDV. Ao Taubaté, resta repetir a dose e voltar a derrotar os mineiros, nesta sexta-feira, para garantir o bicampeonato de forma consecutiva. 

Maior vencedor nacional, com nove conquistas, o Minas busca o penta da Superliga, depois de faturar o troféu em 1999/2000, 2000/01, 2001/02 e 2006/07. O clube de BH ganhou ainda a Taça Guarani de Clubes Campeões (1963), o Campeonato Brasileiro de Clubes Campeões (1964) e três edições seguidas do antigo Campeonato Brasileiro (1984/85/86). Depois de 13 anos sem chegar à final (foi vice em 2007/08), o MTC busca quebrar o jejum de títulos.

O Taubaté é um dos times de maior investimento e conta com a base da Seleção Brasileira. O time paulista, que foi campeão da Superliga 2018/19 - em 2019/20 a competição acabou interrompida devido à pandemia de COVID-19 -, busca o bi e tem estrelas como o levantador Bruninho, os centrais Lucão e Mauricio Souza, os ponteiros Mauricio Borges e Douglas Souza, além do oposto Felipe Roque, ex-Minas e um dos destaques desta edição. 

FOCO NA REAÇÃO

O desafio do Minas é se recuperar mentalmente do golpe com a derrota no primeiro jogo. O time mineiro chegou a virar para 2 sets a 1, mas caiu de rendimento, permitiu a reação do Taubaté e perdeu no tie-break. O objetivo é mostrar personalidade e levar a briga pelo título até a finalíssima de domingo. 

"O primeiro jogo foi decidido nos detalhes. Nossa equipe atuou bem e jogamos de igual para igual com o Taubaté. Para esse segundo jogo da final, temos que minimizar os nossos erros. Temos que fazer o que já temos feito e tem dado certo. Se não tivéssemos tido alguns erros decisivos, poderíamos ter ficado com a vitória”, afirmou o central Matheus Pinta, revelação minas-tenista.

Veterano, acostumado a grandes decisões, o levantador William, capitão do Minas, elogiou a vontade do time na derrota anterior, embora reconheça falhas a serem corrigidas. "Vamos estudar e rever o que aconteceu, eles marcaram muito bem o Escobar no primeiro jogo. Achamos a solução durante a partida e reagimos. Depois, foi do jogo, com alguns erros em momentos decisivos, mas o nosso time está de parabéns pela entrega e consciência tática”, observou William.

PRESSÃO

Do lado taubateano, a pressão de ter um time de estrelas e com a 'obrigação' de confirmar o favoritismo não passa pela cabeça dos jogadores. "Existe uma pressão maior do nosso lado por termos cinco campeões olímpicos na equipe, mas isso faz parte. A experiência ajuda em alguns momentos, mas o Minas por outro lado joga sem tanta pressão", avaliou. 

"O grande diferencial para equipes que vencem campeonatos é o grupo. Se você tem uma equipe em que qualquer um do banco pode entrar e fazer a diferença, você tem um time. Todos na nossa equipe tiveram oportunidade e acredito que todos vão estar prontos para esse segundo jogo”, projetou Bruninho.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade