Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO MINEIRO

Atlético e América fazem clássico que vale a liderança do Mineiro

Ao Coelho, só a vitória serve para se isolar no topo, enquanto o Galo tem a vantagem do empate para seguir em primeiro


04/04/2021 11:35 - atualizado 04/04/2021 11:53

Cuca e Lisca duelam nesta tarde no Mineirão em busca do topo da tabela (foto: Pedro Souza /Atlético/ João Zebral / América))
Cuca e Lisca duelam nesta tarde no Mineirão em busca do topo da tabela (foto: Pedro Souza /Atlético/ João Zebral / América))

Atlético e América disputam a liderança do Campeonato Mineiro neste domingo, às 16h, no Mineirão, em clássico válido pela 7ª rodada. Ambos têm 15 pontos em seis jogos, mas o Galo leva vantagem e é o atual primeiro colocado graças ao saldo de gols melhor que o do Coelho: 12 a 4.

Apesar de ter 'direito' ao empate no duelo para seguir na ponta do Estadual, o Atlético quer um triunfo a qualquer custo para apagar a má impressão deixada pela derrota por 2 a 1 para a Caldense, quinta-feira, em Poços de Caldas. O resultado no Sul de Minas fez cair a invencibilidade do clube na disputa.

O único tropeço do América no Mineiro também foi para a Caldense, por 1 a 0, no Independência, pela quarta rodada. Mas, diferentemente do rival, o Coelho chega ao clássico animado pelas vitórias sobre Cruzeiro (1 a 0) e Uberlândia (2 a 1).

Atlético


Dono do elenco mais caro da competição e, de longe, do maior orçamento, o Atlético é apontado como favorito absoluto ao título mineiro. Justamente por isso, o revés para a Caldense acendeu uma luz de alerta na Cidade do Galo e deixou parte da torcida desconfiada.

Chamou ainda a atenção o fato de o técnico Cuca ter apostado no zagueiro Igor Rabello, no segundo tempo, para ser o centroavante na tentativa frustrada de buscar o empate contra a Veterana. O elenco milionário não seria tão farto assim?
“Como a gente tinha o time bem à frente, tinha que ter um finalizador junto com o Sasha. O Igor entrou nessa função, teve um ou outro lance que poderia ter finalizado, mas infelizmente não teve resultado”, argumentou o comandante.

Opções táticas à parte, Cuca espera que a derrota faça o grupo refletir sobre a responsabilidade do Atlético na temporada. Além do Mineiro, o clube disputará a Copa Libertadores, o Brasileiro e a Copa do Brasil. A reação no clássico é tratada como obrigatória para afastar qualquer tipo de incerteza sobre o clube.

“O importante disso, de uma derrota assim, é os jogadores sentirem uma derrota e terem a noção ideal do que a gente significa e do tamanho da nossa responsabilidade, que temos esse ano. Se for sentida essa derrota, e nós levantarmos a guarda e no domingo fizermos um grande jogo, a gente vai entender que são coisas naturais dentro de um campeonato difícil como esse”, avaliou.

Arana alcança 50 jogos com a camisa do Atlético neste domingo (foto: Pedro Souza/Atlético)
Arana alcança 50 jogos com a camisa do Atlético neste domingo (foto: Pedro Souza/Atlético)

A confiança, porém, segue em alta no elenco atleticano. "Estou bastante confiante de que, nesta temporada, conseguiremos resultados ainda melhores. Oscilamos em alguns momentos no ano passado, até pelo fato de termos um grupo grande de jogadores recém-contratados. Agora, a história já é diferente. Mantivemos a base e não preciso nem falar da qualidade dos meus novos companheiros e o quanto eles estão somando ao elenco. Sabemos como é difícil o futebol brasileiro e sul-americano, mas trabalharemos forte para brigar pelas taças de todas as competições que disputarmos", disse Arana, que vai completar 50 jogos com a camisa do Galo ao entrar em campo neste domingo.

América 


De forma estratégica, o técnico Lisca jogou toda a pressão em cima do Atlético antes do clássico. Logo depois da vitória sobre o Uberlândia, ele colocou o rival como favorito. Antes, em entrevista ao Superesportes, já havia definido o adversário como Galáctico, numa referência ao elevado número de estrelas em seu elenco.

 “É um adversário poderosíssimo, com poder de investimento enorme, jogadores, treinador (Cuca) e gestor (Rodrigo Caetano) de primeiro nível. Nós estamos muito felizes de poder jogar com eles, de ter 90 minutos para colocar nosso trabalho à prova contra um time de primeiro nível do futebol mundial, sul-americano e nacional. Sabemos do favoritismo do Atlético, mas estamos muito motivados para fazer uma grande partida e um grande espetáculo para o público mineiro”, afirmou.

Um dos líderes do elenco americano, o volante Juninho, de 33 anos, destaca que o clássico dará uma real noção do que o América enfrentará este ano na Série A. Será um teste de luxo para ver como a equipe se comportará. 

 “O nosso time vem crescendo, mas sabemos que tem uma margem muito grande ainda para evoluir. Mas, a cada jogo, ficamos um time mais cascudos, mais entrosados. Por isso, a gente chega preparado para o clássico. É um desafio enfrentar o Atlético que vem mostrando um poderio financeiro muito grande em termos de contratações. Então, é sempre bom enfrentar equipes assim, que a gente vê até onde podemos ir. É um jogo que sairemos com muitas lições. Na Série A, todos os jogos são praticamente assim”, disse o meio-campista.

Times


No Atlético, o técnico Cuca ainda não terá o retorno do zagueiro e capitão Réver neste clássico contra o América. Ele não foi a Poços de Caldas enfrentar a Caldense devido a um incômodo na região posterior do joelho direito. Gabriel e Igor Rabello disputam a posição.
 
O atacante Diego Tardelli também segue ausente. Em fase final de recuperação, devido a uma pequena lesão na coxa direita sofrida antes da partida diante do Patrocinense, pela 4ª rodada, ele desfalca o Galo pelo terceiro jogo seguido.  

Por outro lado, o volante Jair, poupado do jogo no Sul de Minas para fazer reforço muscular, deve retornar ao time. A tendência é que entre no lugar do meia Matías Zaracho.
 
Na lateral direita, fica a dúvida se Cuca manterá Mariano, titular nas duas partidas sob o comando do novo treinador, ou se dará uma chance a Guga.
 
No América, há boa chance de o time que comece jogando neste domingo seja o mesmo que iniciou a partida contra o Uberlândia, na vitória por 2 a 1, no Parque do Sabiá.

Uma alteração possível é a entrada do volante Zé Ricardo no lugar de Sabino. 

O lateral-esquerdo João Paulo se recuperou de dores na coxa direita sentidas na partida diante do Uberlândia e deve ser confirmado pelo técnico Lisca. Se houver qualquer contratempo com o titular, a opção no setor é Lucas Luan.

O atacante Ademir e o meia Felipe Azevedo estão concentrados com a delegação do América e podem ser opções do técnico Lisca no clássico.

Quem ‘vazou’ imagens dos dois jogadores na concentração do Coelho foi o atacante Marcelo Toscano. Nesse sábado à noite, ele fez postagens no Instagram de um grupo de oração no hotel, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Ademir (à esquerda) e Felipe Azevedo (à direita) durante concentração(foto: Marcelo Toscano/Instagram)
Ademir (à esquerda) e Felipe Azevedo (à direita) durante concentração (foto: Marcelo Toscano/Instagram)

Nas fotos aparecem ainda o goleiro Matheus Cavichioli; os zagueiros Eduardo Bauermann, Ricardo Silva e Joseph; o lateral-direito Diego Ferreira, o lateral-esquerdo João Paulo; os volantes Sabino e Juninho; o meia-atacante Gustavinho os atacantes Ribamar.

Ademir foi relacionado por Lisca pela última vez para o jogo contra o Treze-PB, em 18 de março, pela Copa do Brasil. Apesar disso, ele se recusou a entrar em campo porque estava com a expectativa de ser negociado. A atitude do jogador gerou ira no presidente Alencar da Silveira Júnior e foi tratada como ‘molecagem’.

Desde então, Ademir, de 26 anos, ficou fora das listas de relacionados nas vitórias do América sobre o Cruzeiro, por 1 a 0, em 21 de março, e Uberlândia, por 2 a 1, na quinta-feira passada, ambas pelo Campeonato Mineiro.

O meia Felipe Azevedo, de 34 anos, ainda não atuou pelo América na temporada 2021. Ele se recuperava de uma lesão muscular na coxa direita sofrida em 1º de março, no CT Lanna Drumond, antes da partida contra o Boa Esporte, pela segunda rodada do Mineiro.

ATLÉTICO X AMÉRICA

Atlético
Everson; Mariano (Guga), Gabriel (Igor Rabello), Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan, Jair e Nacho Fernández; Hulk, Keno e Vargas.
Técnico: Cuca
 
América
Matheus Cavichioli; Joseph (Diego Ferreira), Eduardo Bauermann, Anderson e João Paulo (Lucas Luan); Sabino (Zé Ricardo), Alê, Juninho e Gustavinho (Ademir); Marcelo Toscano e Rodolfo.

Técnico: Lisca
 
Motivo: 7ª rodada do Campeonato Mineiro
 
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
 
Data e horário: domingo, 4 de abril, às 16h
 
Árbitro: Marco Aurélio Augusto Ferreira Fazekas
 
Assistentes: Philip Alan Costa de Oliveira e Marcyano da Silva Vicente

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade