Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Clube se posiciona sobre queixas de torcedores ao programa de sócio

Assessoria celeste respondeu questionamentos da reportagem do Superesportes


01/03/2021 21:45 - atualizado 01/03/2021 21:52

Cruzeiro tem pouco mais de 53 mil sócios-torcedores (foto: Igor Sales/Cruzeiro - 1/9/2019)
Cruzeiro tem pouco mais de 53 mil sócios-torcedores (foto: Igor Sales/Cruzeiro - 1/9/2019)
O Cruzeiro se manifestou sobre as queixas dos torcedores ao programa Sócio 5 Estrelas. O posicionamento do diretor de negócios e inteligência Matheus Gonzaga, via assessoria de comunicação do clube, é em resposta à publicação do Superesportes em 24 de fevereiro.

A reportagem enviou quatro perguntas há quase um mês e recebeu o retorno nesta segunda-feira (1º de março).

O primeiro questionamento foi referente à falta de aviso aos sócios para renovarem ou mudarem de categoria.

O clube atribuiu as falhas ao não pagamento dos serviços de SMTP (Simple Mail Transfer Protocol, ou Protocolo de Transferência de Correio Simples, em português) por parte de gestões anteriores.

“Esse foi um dos problemas decorrentes da negligência das gestões anteriores com o Sócio, por não pagarem os serviços de SMTP, o que acabou afetando as regras de renovações nos disparos. Trabalhamos para corrigir isso e retomamos esses disparos”.

Os cruzeirenses também relataram que tiveram de preencher “do zero” informações básicas como nome completo, data de nascimento, CPF, e-mail e telefone para contato.

Matheus Gonzaga explicou que não houve equívoco no sistema interno, e sim uma atualização do banco de dados.

“Não houve falhas na T.I, nem em nosso banco de dados. O Cruzeiro tem um LTV (Lifetime Value - "Vida ativa do sócio no programa") superior a 3 anos, e isso nunca foi atualizado em nosso banco de dados. O motivo para o pedido de preenchimento dos dados foi para atualização do nosso banco de dados. Os anos passam e, com isso, aumenta o índice de problemas e inconsistências que o clube possui com dados básicos como endereço, telefone, celular e outros. Esses dados constroem um CRM mais eficaz e são justamente os que, hoje em dia, nossa área de inteligência utiliza para criar ações e campanhas altamente customizadas e assertivas”.

O diretor garantiu também que a maioria dos vinculados ao Sócio Reconstrução (R$12 por mês) já recebeu os cartões.

Conforme o portal da transparência, são 43.846 cadastrados na modalidade, que não está mais disponível para renovação - a opção é migrar para outro plano (o Bronze, mais barato, tem mensalidade de R$23,90).

“A maioria significativa dos Sócios que aderiram à modalidade Sócio Reconstrução já recebeu o seu cartão de em casa. Inclusive, este foi outro problema que herdamos em junho do ano passado quando se iniciou a gestão. Grande parte dos cartões não haviam sido emitidos e tampouco enviados devido a débitos existentes com a empresa emissora e os Correios”, frisou Matheus.

“Os poucos casos que restaram, dos que não receberam o cartão Reconstrução, foram de situações pontuais em que o Sócio marcou a opção de “retirada do cartão na Sede” e depois não compareceu, ou em que houve erro no preenchimento do endereço e o envio ficou impossibilitado”, complementou.

Por fim, Matheus Gonzaga citou os erros de administrações passadas, destacou as ações implantadas pela gestão atual e prometeu impulsionar uma das principais fontes de receita do Cruzeiro neste momento - R$11 milhões de um total de R$82 milhões arrecadados de janeiro a setembro de 2020.

“O sócio-torcedor é uma das maiores fontes de receita do clube e por isso é tratado como um grande ativo, por isso possui uma atenção especial pela gestão. Historicamente, o entendimento do programa de sócio era como benefício de garantia ou prioridade ou desconto em ingresso. Acreditamos muito no programa de Sócios como plataforma de relacionamento com o torcedor e não somente como um "plano de descontos em ingressos", afirmou.

"Ressaltamos que, principalmente nos últimos dois anos, ficou muito arranhada essa relação devido a um plano estratégico confuso e instável, como mudanças de nomes constantes e valores nos planos. Historicamente, o Cruzeiro teve cerca de 40 categorias de sócios, sem qualquer estudo de valores e benefícios mais aprofundados. Além disso, tivemos no passado recente a exclusão de Cruzeiros, que podem ser revertidos em benefícios, além da demora de envio dos cartões Reconstrução, por exemplo. Esse tipo de instabilidade prejudica muito o andamento de qualquer programa", listou a direção, via assessoria.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade