Publicidade

Estado de Minas SÉRIE A

Para Atlético só resta secar o Inter

Atlético decepciona mais uma vez, empata com o Bahia no Mineirão


14/02/2021 13:02 - atualizado 14/02/2021 18:15

Sasha abriu o placar para o Galo, mas depois se mostrou inoperante, como todo o setor ofensivo do alvinegro(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Sasha abriu o placar para o Galo, mas depois se mostrou inoperante, como todo o setor ofensivo do alvinegro (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

O Atlético pagou caro mais uma vez por não mostrar poder de definição e tem grande chance de dar adeus hoje, matematicamente, à possibilidade de conquistar o Campeonato Brasileiro. Jogando mal, o Galo não passou do empate por 1 a 1 com o Bahia, ontem à noite, no Mineirão – gol de Sasha para o alvinegro e Rossi para os visitantes. A duas rodadas do fim da competição, o time comandado por Jorge Sampaoli precisa, mais do que nunca, secar a concorrência para manter o sonho da taça vivo.
Como novamente não fez seu papel em campo, o Galo tem de contar com derrota do Internacional, nesta tarde, para o Vasco, em São Januário. Com 62 pontos, o alvinegro está a quatro do time gaúcho. Outro adversário que terá torcida contra é o Flamengo, que soma 65 pontos e recebe o Corinthians, no Maracanã. Os dois jogos começam às 16h.

Na próxima rodada, o Atlético encara o Sport, domingo, às 16h, na Ilha do Retiro. O Leão está ameaçado pelo rebaixamento, que ontem fez sua segunda vítima: o Coritiba, com a derrota por 2 a 0 para o Santos, na Vila Belmiro. Na despedida do Brasileiro, o Galo vai receber o Palmeiras, dia 25 (quinta-feira), às 21h30, no Mineirão.

Os próprios jogadores parecem ter sentido o peso do empate, já que deixaram o campo sem dar entrevista. Foi o terceiro jogo seguido do time sem vitória no Brasileiro. Antes, havia perdido para o Goiás e empatado com o Fluminense, ambos fora de casa. 

A frustração desta vez foi maior porque o alvinegro, melhor mandante do campeonato, não conseguiu vencer o dono do pior aproveitamento como visitante: em 18 partidas longe de Salvador, o Bahia ganhou só duas, empatou seis e perdeu nada menos que 10.

Um dos poucos a se salvar foi o goleiro Everson, que vem sendo alvo de críticas por parte dos torcedores, mas fez pelo menos duas defesas milagrosas e evitou a derrota.

Reações de Sampaoli

Durante a partida, com mais uma atuação abaixo do esperado, acabou chamando a atenção uma discussão entre Sampaoli e o armador Gregore, do tricolor baiano, aos 43min do segundo tempo. O treinador argentino pegou a bola que havia saído pela linha lateral impedindo uma cobrança rápida a favor dos visitantes. 

Na sequência do lance, Gregore a entregou para seu companheiro de equipe e iniciou um bate-boca com Sampaoli. O atacante Eduardo Sasha apaziguou a situação e os visitantes deram continuidade ao jogo.

Não foi a primeira vez que o técnico atleticano se envolveu em discussão com adversários. No empate sem gols com o Fluminense, ele reclamou de falta do armador Nenê em disputa de bola com Guga, na lateral de campo. O veterano rebateu dizendo: “Cala a boca, seu m*****, cala a boca”.

Na entrevista coletiva depois do jogo, Sampaoli foi perguntado a respeito de seu futuro – ele estaria na mira do francês Olympique de Marseille. Ele não respondeu se vai cumprir o contrato com o Galo até o fim de 2021 ou se voltará ao futebol europeu.

“Não sei. O futebol muda o tempo todo. É muito instável, especialmente neste país. O treinador dura muito pouco, não se consolida muito o trabalho e as ideias”, afirmou o argentino, referindo-se à pouca estabilidade que os treinadores têm no futebol brasileiro.

Segundo ele, o futuro é incerto: “Só me resta pensar no próximo jogo, tratar de ganhar e chegar o mais longe na tabela de classificação. O resto é indecifrável, porque se você analisar historicamente o que se passa com todos os treinadores aqui no Brasil é a instabilidade. Não sou diferente disso. Se não ganho, sou o pior. Se ganho, sou o melhor. Seguramente, meu trabalho também é avaliado pelos resultados. Só penso na volta ao trabalho na segunda, corrigir os erros e tratar de ganhar o próximo jogo”.

Atlético
Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Jair, Nathan (Alan Franco, intervalo) e Hyoran (Vargas 29 do 2º); Savarino, Marrony (Sávio 36 do 2º) e Eduardo Sasha
Técnico: Jorge Sampaoli

Bahia
Mateus Claus; Matheus Bahia, Lucas Fonseca, Ernando (Juninho 38 do 2º), Nino Paraíba; Patrick (Elton 22 do 2º), Gregore, Ronaldo; Gabriel Novaes (Marcelo Ryan 39 do 2º), Rodriguinho e Rossi (Luiz Felipe 27 do 2º, Juninho Capixaba 38 do 2º)
Técnico: Dado Cavalcanti

36ª rodada do Brasileiro
Gols: Sasha 20 do 1º. Rossi, 2 do 2º
Estádio: Mineirão
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Daniel Paulo Ziolli (SP)
VAR: Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN)
Cartão amarelo: Sávio e Ronaldo 
Próximos jogos: Sport (f) e Palmeiras (c)

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade