Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

A instituição Cruzeiro foi manchada!

Pela gravidade dos fatos, toda a diretoria deveria se afastar, para se defender das acusações. Se provar que não há falcatrua, que volte a dirigir o clube. Caso contrário, que dê explicações à Justiça


postado em 28/05/2019 04:09


A reportagem investigativa levada ao ar perlo Fantástico, da TV Globo, denunciando lavagem de dinheiro e outras irregularidades é grave e pode fazer o Cruzeiro sofrer sanções da CBF e da Fifa. A denúncia mais grave gira em torno de Cristiano Richard dos Santos Machado, empresário que teria emprestado R$ 2 milhões ao clube e recebido, em troca, parte dos direitos de jogadores – inclusive de um menor, de 12 anos, que só poderia assinar contrato, segundo a lei, aos 16 anos. A instituição está manchada, nacional e internacionalmente, e é preciso dizer que o Cruzeiro Esporte Clube está acima de todas as pessoas, por sua história, grandeza, títulos e torcida. Na verdade, os mais de oito milhões de torcedores azuis merecem e estão esperando uma explicação para as denúncias.

Pela gravidade dos fatos, toda a diretoria deveria se afastar, para se defender das acusações. Se provar que não há falcatrua, que volte a dirigir o clube. Caso contrário, que dê explicações à Justiça, saindo definitivamente. Com relação a pagamentos às torcidas organizadas, isso é uma prática que existe na maioria dos clubes brasileiros, o que é uma vergonha. Não sei se isso é crime, não sou jurista, mas, é no mínimo, imoral.

Não entro no mérito político do clube, não é minha função. Se há brigas internas, que eles resolvam pra lá e que cumpram o que o estatuto determina. Porém, é preciso explicar o motivo de conselheiros estarem recebendo salários e de que forma isso acontece.

Também não entro no mérito do salário de diretores remunerados. Cabe às empresas fazerem os contratos e remunerar os profissionais de acordo com o merecimento e a competência. Isso acontece no Palmeiras, com Alexandre Mattos; com Rodrigo Caetano, no Internacional; e com outros diretores de futebol, tão valorizados nos dias de hoje. Só acho um absurdo dirigentes ganharem bichos dobrados em detrimento dos jogadores. São os atletas os artistas do espetáculo, os protagonistas, os que ganham e perdem os jogos. Premiação por vitória ou conquista deveria caber somente aos atletas e ao treinador. Porém, é outra prática usada por todos os clubes brasileiros, o que, pra mim, é outro grande equívoco.

O Cruzeiro corre o risco de ser punido pela CBF e Fifa, pois a instituição maior do futebol proíbe que qualquer pessoa ou empresários tenha parte dos direitos econômicos de um jogador. Isso cabe somente a clubes e atletas. Além disso, contratos com jogadores menores de 16 anos são proibidos por lei. Será que o clube não sabe disso e que o pai do garoto Estevão Willian, de apenas 12 anos, considerado o “novo Messi”, também não sabia? Gente, isso é crime! Em 2000, fiquei dois meses no Leste Europeu fazendo a duplamente premiada matéria Meninos do Brasil, pelo Estado de Minas, denunciando empresários inescrupulosos que levavam menores de idade para o exterior, faturavam a comissão e deixavam os jovens à míngua nas ruas. Graças à minha matéria e ao EM, o governo brasileiro criou um dispositivo que determina que o menor de idade só pode sair para o exterior, para outro clube, se for acompanhado do pai ou responsável da família. Foi nossa grande conquista, além do Grande Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo e Imprensa Embratel que ganhamos.

O presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Zezé Perrella, um dos presidentes mais vitoriosos do clube, ex-deputado federal e senador, tem de vir a público dar satisfação aos milhões de torcedores azuis e aos conselheiros sérios. Ele não pode e não deve se omitir diante de fatos tão graves e tão relevantes. O Cruzeiro é uma das instituições mais respeitadas do futebol brasileiro, campeoníssimo, com uma história rica em títulos e taças. Não pode ser manchado com fatos tão graves como os que vieram à tona.

Ameaças às instituições que fizeram a matérias não é o caminho. A melhor forma de os acusados se defenderem é se afastando do clube e buscando documentos que comprovem a licitude das negociações. Caso contrário, não terão mais como comandar o Cruzeiro. A TV Globo promete ter mais carta na manga para alimentar as investigações da polícia.

O reflexo de tudo isso pode ser sentido no campo, onde o Cruzeiro caiu, de forma assustadora, com derrotas e mais derrotas – a última contra a Chapecoense, em pleno Independência. Claro que ao saber que um dirigente ganha bicho dobrado, até mais do que qualquer jogador, os protagonistas do espetáculo ficam possessos.  São eles os artistas da bola e cabe somente a eles e ao técnico o direito de receber bichos e premiações. Entendo dessa forma. Todo mundo tem o direito de se defender e ser considerado inocente até que as provas desmintam as alegações. Portanto, cabe ao presidente do Cruzeiro e seus diretores se afastarem do clube, para que as investigações ocorram de forma tranquila e independente.

A torcida do Cruzeiro, a de bem, os mais de oito milhões de anônimos espalhados Brasil e mundo afora, exigem transparência e apuração rigorosa de todas as denúncias, e a punição exemplar dos culpados. A instituição Cruzeiro teve seu nome manchado. Ela é maior que nomes e dirigentes. A instituição Cruzeiro é imortal!


Publicidade