Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Cruzeiro oficializa contratação do técnico Felipe Conceição

Escolhido para substituir Felipão, treinador assinará vínculo até o fim de 2021


30/01/2021 16:32 - atualizado 30/01/2021 16:36

Felipe Conceição substituirá Felipão no comando celeste(foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC)
Felipe Conceição substituirá Felipão no comando celeste (foto: Thomaz Marostegan/Guarani FC)
Cerca de uma semana depois da saída de Luiz Felipe Scolari, o Cruzeiro anunciou, neste sábado, a contratação de Felipe Conceição. Ex-técnico do Guarani, ele assumirá a missão de comandar o time celeste em mais uma disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. A Raposa também brigará por Campeonato Mineiro e Copa do Brasil na próxima temporada.

O contrato do treinador, que ainda acumula passagens por Macaé, Botafogo, América e Red Bull Bragantino, será até o fim de 2021, com possibilidade de renovação por mais uma temporada em caso de acesso à Série A. Os vencimentos também serão atualizados caso esse objetivo seja alcançado.

Felipe Conceição aceitou a proposta do Cruzeiro na manhã dessa sexta-feira. Ele se reuniu com o presidente Sérgio Santos Rodrigues um dia antes, quando recebeu o convite oficial do clube celeste. O treinador tinha vínculo com o Guarani até o fim deste ano. Segundo o jornal O Dia, a Raposa terá de pagar multa de cerca de R$ 100 mil.

O técnico chegou a ter seu nome aventado para assumir o comando do Cruzeiro em setembro de 2020. Naquela oportunidade, ele estava sem clube depois da saída do Red Bull Bragantino no mês anterior. A Raposa optou por Ney Franco, que deixou a Toca em meados de outubro.

Trajetória

O Cruzeiro será o sexto clube da carreira de Felipe Conceição. Aos 41 anos, ele tem grande experiência em lidar com jovens das categorias de base, o que será importante diante das dificuldades financeiras da instituição em 2021.

O trabalho de maior destaque de Conceição foi no América. Depois de atuar como coordenador técnico, em 2018, foi promovido a treinador em 2019 para suprir a saída de Maurício Barbieri, que havia contabilizado apenas cinco pontos em sete jogos na Série B (33,33%).

O então diretor de futebol Paulo Bracks bancou a efetivação de Felipe, que correspondeu à confiança. O Coelho saiu da lanterna, na 10ª rodada (6 pontos), e alcançou o quinto lugar (61). O acesso escapou no duelo derradeiro contra o já rebaixado São Bento, no Independência, em 30 de novembro: derrota por 2 a 1.

Mantido para 2020, Conceição atuou na montagem do grupo, porém aceitou oferta do Bragantino ainda em janeiro. O América então contratou Lisca, que herdou a boa base construída pelo antecessor e deu a “sua cara” à equipe em uma temporada de êxito na Copa do Brasil (semifinal) e na Série B (promoção à elite nacional e briga pelo título).

Felipe Conceição, por sua vez, foi demitido do Bragantino, no fim de agosto, e contratado pelo Guarani, no início de outubro. Sob o seu comando, o Bugre saiu do 17º lugar da Série B, na 15ª rodada, para o 13º, na 38ª.

Em dado momento, o time de Campinas chegou a sonhar com o acesso, quando ficou a dois pontos do quarto colocado, Juventude, na 31ª rodada (49 a 47). Contudo, nos últimos sete confrontos, somou apenas um ponto, no empate por 1 a 1 com a rival Ponte Preta.

Mesmo com a queda de rendimento na reta final do campeonato, Felipe manteve prestígio no Guarani. Seu retrospecto geral é de 11 vitórias, quatro empates e nove derrotas, com 51,38% de aproveitamento.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade