Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Felipão, do Cruzeiro, fala de possível interesse do Chile em contratá-lo

Técnico celeste é cotado para substituir Reinaldo Rueda na seleção do país


16/12/2020 07:44 - atualizado 16/12/2020 07:48

Luiz Felipe Scolari desconversou sobre possível oferta da AFNP(foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Luiz Felipe Scolari desconversou sobre possível oferta da AFNP (foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)
Luiz Felipe Scolari se pronunciou, de forma breve, sobre uma possível transferência para a Seleção Chilena. Nesta terça-feira, veículos locais informaram que o técnico do Cruzeiro é um dos nomes aventados para a vaga de Reinaldo Rueda, que negocia para assumir a Seleção Colombiana.

“Eu diria a vocês que não sei de nada. Minha preocupação era o CSA. Eu não posso responder nada sobre isso, porque minha preocupação é só sobre o CSA, o que o CSA iria fazer e o que o meu clube precisava fazer”, disse Felipão após o empate celeste por 1 a 1 com os alagoanos.

De acordo com o jornal El Mercurio, do Chile, Rueda viajou à Colômbia para negociar o futuro da carreira. Sua multa rescisória seria 1 milhão de euros (cerca de R$ 5,1 milhões). Além de Felipão, outros possíveis substitutos seriam Gabriel Heinze, Ariel Holan, Hernán Crespo, José Pekerman e Beñat San José. 

Tirar Felipão do Cruzeiro também não seria tarefa das mais fáceis para a Associação Nacional de Futebol Profissional do Chile (AFNP). Por exigência do próprio treinador, há uma cláusula no contrato com a Raposa que prevê pagamento de multa milionária em caso de rescisão. De acordo com o UOL, o valor alcança R$ 10 milhões.

Desde que voltou ao Cruzeiro, em 15 de outubro, Felipão comandou a equipe em 13 jogos pela Série B do Campeonato Brasileiro - sete vitórias, cinco empates e uma derrota. O aproveitamento do treinador neste período é de 66,67%. 

Na história

Em sua primeira passagem pelo Cruzeiro, Felipão deixou a Toca, em junho de 2001, para treinar a Seleção Brasileira. O treinador foi escolhido por Ricardo Teixeira, então presidente da Confederação Brasileira de Futebol, para comandar o escrete que se tornaria campeão do Mundial em 2002. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade