Publicidade

Estado de Minas SÉRIE A

Atlético pós-COVID-19: reforçado para brigar lá no topo

Depois de cumprir quarentena em casa e desfalcar a equipe nos três últimos jogos, o argentino Jorge Sampaoli e seus auxiliares reapareceram na Cidade do Galo para comandar os trabalhos


27/11/2020 13:04 - atualizado 27/11/2020 14:21

Recuperado de COVID-19, assim como vários jogadores, Sampaoli retornou aos treinos no Atlético(foto: ATLÉTICO/REPRODUÇÃO)
Recuperado de COVID-19, assim como vários jogadores, Sampaoli retornou aos treinos no Atlético (foto: ATLÉTICO/REPRODUÇÃO)

Passados vários dias do surto de coronavírus que infectou vários atletas, integrantes da comissão técnica e dirigentes, a rotina no Atlético gradativamente volta ao normal. Depois de cumprir quarentena em casa e desfalcar a equipe nos três últimos jogos, o argentino Jorge Sampaoli e seus auxiliares reapareceram na Cidade do Galo para comandar os trabalhos. O técnico já estará no banco de reservas no confronto com o Internacional, sábado, 6 de dezembro, no Mineirão.
Durante o período em que Sampaoli esteve fora, o técnico Leandro Zago, que comanda o time de transição, ficou responsável pela condução do grupo principal. Ele obteve a vitória por 2 a 1 sobre o Botafogo, no Mineirão, empatou com o Ceará (2 a 2) e perdeu para o Athletico (2 a 0), em jogo atrasado da sexta rodada. Mesmo com o aproveitamento inferior a 50%, manteve o Galo na liderança da competição.

Integrante da comissão técnica fixa do Galo, Zago certamente aumenta seu prestígio com a diretoria. Nos confrontos em que esteve à frente do time alvinegro, ele conviveu com uma série de desfalques e – evidentemente, com o respaldo de Sampaoli – buscou soluções táticas para melhorar o rendimento coletivo do grupo.

“Eu fiz essa cobrança pessoal, era uma meta minha. Não estou satisfeito porque queria os nove pontos mas, dentro do cenário, aproveitamos bem os quatro pontos e seguimos na liderança por mais 10 dias”, comentou Zago depois do duelo com o Botafogo.

No Mineirão, o treinador abriu mão de usar laterais de ofício (estava sem Guga, Mariano e Guilherme Arana) e recuou Nathan e Hyoran como volantes. No posicionamento tático, o paraguaio Junior Alonso por várias vezes fechou o lado esquerdo – o jovem armador Calebe também recuou em alguns momentos para fazer a recomposição. Na direita, o argentino Zaracho ocupou o espaço, embora tenha tido algumas deficiências na marcação que foram aproveitadas pelo Botafogo.

Quem também se destacou com intervenções importantes foi o goleiro Rafael, contratado antes mesmo da chegada de Jorge Sampaoli. Ele herdou a vaga de Everson, contaminado pelo coronavírus e salvou a equipe com defesas importantes contra Ceará e Botafogo. As boas atuações garantem mais prestígio para lutar pela vaga de titular.

Zago atribuiu parte da responsabilidade de conduzir a equipe ao próprio Sampaoli, que orientou o grupo por meio de vídeos e até áudios e mensagens por aplicativos de celular. “Desde o primeiro dia, fui muito bem recebido, tendo respaldo do grupo e da diretoria, que me deixaram à vontade para cobrar, fazer as mudanças que fossem necessárias. Eu era alguém que comunicava as informações da comissão técnica, não podia perder isso de vista. As decisões seguiam sendo do Sampaoli e da sua comissão. Eu iria decidir em situações de emergência e era assim que tinha de ser feito”, afirmou.

ENCORPADO

Agora, o Galo estará mais encorpado para encarar o Inter. Possivelmente, os nove atletas que estavam infectados pela COVID-19 ficarão à disposição – os goleiros Everson e Victor, o lateral Guga, os zagueiros Réver e Gabriel, os volantes Allan, Alan Franco e Jair e o atacante Vargas. Outros retornos certos são do lateral-esquerdo Guilherme Arana e do armador Dylan Borrero, livres de suspensão. Já o lateral-direito Mariano, que se recupera de lesão na coxa direita, depende de avaliação médica para ser reintegrado ao grupo.

Por outro lado, o zagueiro Junior Alonso e o atacante Savarino vão cumprir suspensão automática. Ambos têm sido destaques em suas posições no Campeonato Brasileiro, com presenças constantes nas convocações de suas seleções nacionais.

Quem volta

Pós-COVID 
  • Jorge Sampaoli
  • Everson
  • Victor
  • Guga
  • Réver
  • Gabriel
  • Allan
  • Alan Franco
  • Jair
  • Vargas

Pós-suspensão
  • Guilherme Arana
  • Borrero
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade