Publicidade

Estado de Minas SÉRIE B

Cruzeiro fala em ousadia para driblar a crise

Consultor do clube, José Carlos Brunoro defende que para recuperar espaço no cenário nacional clube precisa pensar grande e contar com parceiros para viabilizar projeto de peso


22/10/2020 23:10 - atualizado 22/10/2020 23:35

José Carlos Brunoro diz que contratação do técnico Luiz Felipe Scolari foi investimento para a Raposa, não custo(foto: Igor Sales/Cruzeiro)
José Carlos Brunoro diz que contratação do técnico Luiz Felipe Scolari foi investimento para a Raposa, não custo (foto: Igor Sales/Cruzeiro)

Que o Cruzeiro atravessa uma das mais graves crises financeiras de sua quase centenária história é de conhecimento de todos. Mas isso não deve impedir o clube de pensar grande e buscar meios de manter uma equipe competitiva e com um técnico de ponta. Essa é a opinião do consultor do departamento de futebol do clube celeste, José Carlos Brunoro.

Ele cita como exemplo a bem-sucedida negociação para contratar Luiz Felipe Scolari para comandar a equipe – talvez a maior aposta da diretoria para devolver o clube aos dias de glória.

Inicialmente, o treinador recusou a oferta. Uma nova investida foi feita e o que foi fundamental para que Felipão mudasse de ideia, na opinião do consultor, foi o contrato por três anos.

É esse tipo de iniciativa que ele defende para o Cruzeiro. “Vamos dar exemplo do Barcelona, que quando teve problemas financeiros sérios há alguns anos chegou a vender patrimônio. Porém,  chegaram à conclusão de que não podiam ter um projeto esportivo fraco. O grande produto era ter projeto esportivo forte para atrair atenção do público”, disse Brunoro, ao participar de vídeo ao vivo no canal do clube no YouTube, ontem.

Ele defende a ideia de que é preciso ambição para superar a crise: “Não dá para o Cruzeiro ter projeto esportivo fraco. O Felipão já foi uma coisa ousada, e ótima, pois ele aceitou isso. Digo que a figura do Felipão não é custo, é investimento”.

Segundo o presidente Sérgio Santos Rodrigues, a chegada do novo treinador já rende frutos. “Temos parceiros procurando o Cruzeiro para reforçar ou ampliar patrocínio por causa do Felipão. Tivemos um que fez isso, tanto que quitamos a dívida na Fifa. Há jogadores que querem jogar com o Felipão. Que tinham fechado as portas para o Cruzeiro e agora querem voltar”, disse, durante entrevista a Thiago Asmar, do canal Pilhado, no YouTube.

Para viabilizar o carro-chefe da instituição, Brunoro aposta em ousadia, com os pés no chão: “Tudo é pensado com o departamento financeiro. O Cruzeiro não pode mais fazer loucuras. Digo que foram feitas loucuras estratosféricas. Os colaboradores, os investidores, estão sendo chamados para resolver dívidas passadas que nos possibilitarão absorver dívidas futuras”.

Espírito de Série B 

Como a situação da Raposa na Série B é preocupante, ele sabe que há necessidade de se buscar a recuperação imediatamente. E aí usa a experiência adquirida ao longo da carreira para saber que não adianta buscar jogadores caros que não estejam dispostos a se desdobrar.

“Disputei duas Séries B, subi com o Palmeiras e com o Goiás (como diretor). Na Série B, você pode ter a Seleção Brasileira jogando que não ganha. Tem de ter espírito de Série B. A não ser que o craque absorva o espírito, não adianta trazer. Tem de correr do começo ao fim, se doar 100% e um pouco mais, ou não sobe. A comissão técnica, com o (diretor de futebol) Deivid, está buscando jogador que, se for de Série A, que venha com espírito de Série B”, afirmou.

Bruno prevê a contratação de três atletas para reforçar a equipe, que luta para deixar a zona de rebaixamento da Segunda Divisão.

Ontem à noite, o clube demitiu o preparador de goleiros Leonardo Lopes. 

ESTRELADAS...

Divergência sobre eleição

Depois de o presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Paulo César Pedrosa, convocar eleição de 70 conselheiros natos para 5 de novembro, o presidente celeste Sérgio Santos Rodrigues se posicionou contrário à realização do pleito. “Nosso posicionamento é que deveria ser cancelado. (...) O momento é de menos disputas políticas e mais apoio ao time, no seu propósito para retomar o caminho dentro das quatro linhas”, escreveu Sérgio, em nota pública na qual defendeu ainda que a reforma do estatuto do clube seja prioridade dos conselheiros.

Treino em Atibaia

As atividades do Cruzeiro em Atibaia (SP) visando à partida contra o Náutico, domingo, no Recife, pela 18ª rodada da Série B do Brasileiro, continuam. Para esse confronto, Luiz Felipe Scolari não vai poder contar com o armador Maurício, convocado para a Seleção Brasileira Sub-20 para período de treinos em Itu (SP). Por outro lado, o lateral-direito Daniel Guedes, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo contra o Operário-PR, volta.
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade