Publicidade

Estado de Minas SAÚDE MENTAL

O que é o TDAH, transtono diagnosticado na atriz Suzana Alves, a Tiazinha

Tratamento evita agravamento dos sintomas como a falta de foco e atenção, dificuldade de seguir rotinas, desorganização e procrastinação


04/08/2022 11:01 - atualizado 04/08/2022 13:21

Suzana Alves
Suzana Alves revelou agora que tem TDAH. Mas para fechar o diagnóstico em adultos, é necessário avaliar a presença do transtorno na infância (foto: Instagram/Reproducao da Internet)
Quem não se lembra da eterna “Tiazinha”, personagem sedutora vivida pela atriz Suzana Alves, sucesso nos anos 1990? Um pouco sumida da mídia, Suzana foi notícia nesta semana, ao revelar um diagnóstico de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Um tipo de transtorno que tem reações incômodas e características que atingem inúmeras pessoas ao redor do mundo, inclusive famosos como ela que descreve por meio de relatos seus maiores desafios e angústias diante do diagnóstico estabelecido.

A psicanalista Andréa Ladislau explica que "o TDAH é um tipo de transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e, frequentemente, acompanha o indivíduo por toda a vida. Para fechar o diagnóstico em adultos, é necessário avaliar a presença do transtorno na infância do sujeito e classificar os sintomas apresentados."

Normalmente, o adulto com TDAH costuma ter dificuldade de organizar e planejar suas atividades do dia a dia, além de sofrer muitos impeditivos subjetivos para concluir o que começa, encerrar com êxito suas ações. "É normal que este adulto deixe trabalhos pela metade, interrompa no meio o que está fazendo e comece outra coisa, só voltando ao trabalho anterior bem mais tarde do que o pretendido ou então se esquecendo dele", conta a psicanalista.

Leia também: 
Dia Mundial do TDAH: transtorno atinge mais de 2 milhões de brasileiros


Os principais sinais do TDAH

 
Suzana Alves, a Tiazinha
Em 1999, a apresentadora de televisão e cantora Suzana Alves, no personagem Tiazinha (foto: Carlos Altman/Estado de Minas - 23/10/1999)
Os principais sinais, conforme Andréa Ladislau, são: instabilidade profissional, rendimento abaixo da capacidade intelectual, falta de foco e atenção, dificuldade de seguir rotinas, desorganização, dificuldade de planejamento e execução das tarefas propostas,  procrastinação, ansiedade diante das tarefas não estimulantes, dificuldades nos relacionamentos, relacionamentos instáveis,  frequente alteração de humor, frequentes esquecimentos com perdas e descuidos para datas e reuniões importantes, dificuldades para expressar suas ideias e colocar em prática o que está pensando, dificuldade para escutar e esperar a sua vez de falar – fala muito e ouve pouco, frequente busca por novas coisas que o estimulem – não estão satisfeito com nada e intolerância a situações monótonas e repetitivas.

Algumas ações podem auxiliar no controle do TDAH, objetivando a eliminação da sensação angustiante provocada pelo transtorno. "São dicas que podem ser seguidas por qualquer um, por exemplo: aprenda a criar horários regulares de produtividade, de refeições,  de atividades físicas e de descanso. Organize cronogramas em relação às suas obrigações, projetos e lazer. Crie o hábito em ter uma agenda ára anotar, antecipadamente, os compromissos do dia seguinte e verifique tudo pela manhã antes de iniciar seu dia. Isso ajudará a se sentir produtivo e organizado".

Leia também: TDAH ou crise de ausência? Entenda os possíveis diagnósticos de Scooby

A psicanalista ainda recomenda que a pessoa com diagnóstico de TDAH tenha sempre à mão algo para fazer lembretes ou anotações, fazer atividades físicas que ajudem na desaceleração do corpo e da mente e desenvolva atividades e rotinas que auxiliem na reeducação da respiração.

Busca pela terapia para um cotidiano equilibrado


Andréa Ladislau
Psicanalista Andréa Ladislau diz que, definido o diagnóstico de TDAH, o mais indicado é buscar a terapia para que a autonomia sobre suas ações seja promovida, assim como a desaceleração da mente (foto: Arquivo Pessoal )


"Com saúde não se brinca. E assim como ocorreu com a atriz Suzana Alves, qualquer um pode passar por isso. Mas, ao menor sinal de que possa estar sofrendo deste transtorno, busque ajuda profissional e controle a ação da patologia, para que os sintomas não se agravem", destaca a psicanalista.

Andréa Ladislau enfatiza que, se tratado adequadamente, os prejuízos podem ser amenizados, favorecendo o equilíbrio mental e físico: "Com o diagnóstico definido de TDAH, o mais indicado é buscar a terapia para que a autonomia sobre suas ações seja promovida, assim como a desaceleração da mente, contribuindo para uma vida cotidiana mais saudável."

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade