UAI
Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2022

Bolsonaro ataca urna eletrônica e dá 'dica' de como escolher parlamentares

Presidente ainda falou sobre o que é, para ele, a 'mídia de verdade'


25/04/2022 12:30 - atualizado 25/04/2022 16:25

Bolsonaro
Bolsonaro atacou novamente as urnas eletrônicas (foto: TV Brasil/Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a questionar as urnas eletrônicas, nesta segunda-feira (25/4), durante a abertura da Agrishow, feira de tecnologia voltada para o agronegócio, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.



Durante sua fala, Bolsonaro disse que, na hora de escolher um parlamentar nas eleições de outubro, o eleitor deve procurar saber qual foi o posicionamento do seu candidato sobre a proposta de emenda Constitucional (PEC) 135/19 do voto impresso no plenário da Câmara, votada em agosto de 2021.




Para mais vídeos como este, acesse o canal do #PRAENTENDER

"Com as eleições durante o corrente ano, vocês se perguntam 'em quem eu vou votar?' Eu digo. O problema é de vocês, mas vou dar uma dica, no caso de deputado federal e senador. Veja como ele [parlamentar] votou a PEC do voto impresso. Parlamentares de esquerda do PT, PCdoD, PSol confiam 100% [na urna eletrônica], é impressionante", disse. "Do nosso lado, também tem gente que confia, por pressão do presidente ou dos líderes do partido", criticou.

"Mídia de verdade"

Bolsonaro ainda ressaltou a votação na Câmara dos Deputados que manteve o deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) preso, anterior à condenação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 21 de abril.

 

 

 

"Veja como [o parlamentar] votou na questão do Daniel Silveira [na Câmara], se foi para prender o Daniel Silveira ou para soltar. Não tem o artigo 56 da Constituição? Que os deputados podem falar o que bem entender, que é inviolável, que não pode ser punido civil e penalmente", comentou o presidente.

O chefe do Executivo aproveitou para criticar os ministros do STF que compõem também o Superior Tribunal Eleitoral (STE) e o projeto de lei (PL) das Fake News, de relatoria do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP). "Foi votada a urgência da PL das fake news, atendendo ao [Luis Roberto] Barroso, [Edson] Fachin e ao Alexandre de Moraes. Esses caras que votaram a urgência querem censurar as mídias sociais, a mídia de verdade", afirmou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade