UAI
Publicidade

Estado de Minas CRÍTICAS

Bolsonaro: boato de demissão e 'desarmonia' alteram preço do combustível

Presidente frisou que rusgas entre ele e o Supremo Tribunal Federal (STF) não partem dele e que o desgaste nas relações 'causa problemas ao Brasil'


02/09/2021 21:51 - atualizado 02/09/2021 22:01

Bolsonaro culpou governadores pelo preço alto do combustível, além de fatores externos, como desarmonia entre poderes
Bolsonaro culpou governadores pelo preço alto do combustível, além de fatores externos, como desarmonia entre poderes (foto: Evaristo Sá/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, em transmissão ao vivo nesta quinta-feira (2/9), que boatos de demissões em seu governo e 'desarmonia' entre poderes alteram o preço do combustível no Brasil. Bolsonaro disse que o desgaste nas relações com o Supremo Tribunal Federal (STF), por exemplo, causa problemas ao Brasil.

Nesta quinta, o site "O Bastidor" divulgou um suposto pedido de demissão do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O titular da pasta esteve ao lado de Bolsonaro na tradicional live horas depois. O boato, segundo Bolsonaro, poderia interferir em operações financeiras, como a bolsa de valores e no dólar.

"Eles (imprensa) tentam desestabilizar o governo o tempo todo. Uma notícia dessa, por volta de 12h, mexe na bolsa, mexe no dólar e altera o preço do combustível. Causa inquietações no Brasil", disse.

Bolsonaro também negou que dará um golpe de estado no Brasil. O presidente, inclusive, citou seu rival político, Luiz Inácio Lula da Silva, o atacando por ter falado que iria regular meios de comunicação caso fosse eleito. Outro motivo atribuído pelo chefe do Palácio do Planalto para a alta do combustível é a desarmonia do governo federal com o STF.

"Tem idiota achando que vou dar golpe. Sou presidente e vou dar golpe em mim mesmo. É muita idiotice. 'Que ele vai impor uma ditadura, que vai controlar as mídias sociais...'. O barbudo acabou de falar e não acontece nada. Imagina se eu falo isso aí? Temos que nos acertar (os poderes). Essa desarmonia mexe no dólar, na bolsa e causa problemas para todos nós no Brasil. Altera o preço do combustível", concluiu.

Na mesma transmissão, Bolsonaro afirmou que pretende acionar o STF para obrigar estados a cobrar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em valor fixo, sem percentual. Para isso, o presidente disse que entrará com Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão nesta sexta-feira (3/9).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade