Publicidade

Estado de Minas ABUSO DE PODER POLÍTICO

Justiça Eleitoral cassa mandato do vereador Chiquinho (PP), em Ipatinga

A decisão foi proferida em primeira instância, e ainda cabe recurso; parlamentar é acusado de abuso de poder durante a campanha de 2020


23/07/2021 19:15 - atualizado 23/07/2021 19:27

Vereador Chiquinho teve o mandado cassado(foto: Divulgação/CMI)
Vereador Chiquinho teve o mandado cassado (foto: Divulgação/CMI)
O juiz eleitoral de Ipatinga, José Maria Moraes Pataro, cassou o mandato do vereador João Francisco Bastos, conhecido como Chiquinho (PP), por abuso de poder político e econômico. A decisão é de primeira instância e está em segredo de justiça. 
 
O vereador, que está exercendo o segundo mandato, é acusado de abuso de poder durante a campanha política em 2020. O parlamentar usou suas redes sociais para se pronunciar e disse que recebeu a sentença com “grande surpresa”.
   
“Nosso entendimento é contrário ao prolatado na decisão, neste sentido já encaminhamos o processo para nossos colaboradores advogados em Belo Horizonte para tomada das medidas necessárias para protocolo do recurso cabível”, disse a nota publicada.
 
Chiquinho afirmou ainda que, desde as eleições, seu gabinete “tem sido perseguido por adversários políticos que não aceitaram a derrota nas urnas” e por isso tentam “impor a sua vontade na decisão sobre os caminhos dos nossos trabalhos”. 
 
O Legislativo de Ipatinga informou, por meio de nota, que ainda não recebeu a notificação da decisão. “A Câmara Municipal de Ipatinga informa que, até a presente data, não foi intimada de nenhuma sentença relativa ao processo do vereador Francisco Bastos”.
 
Apesar da sentença, enquanto a decisão não for confirmada pelo órgão colegiado do Tribunal Regional Eleitoral (2ª instância), o vereador continua no exercício do mandato.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade