UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Ricardo Barros sobre acusações da CPI: 'Sem chance de se defender'

Em discurso na Câmara, o líder do governo Bolsonaro disse foi citado inúmeras vezes na CPI


08/07/2021 18:45 - atualizado 08/07/2021 19:23

Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, no plenário da Casa (foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)
Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, no plenário da Casa (foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)
O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), se defendeu das acusações de que seria o principal articulador do superfaturamento das vacinas do consórcio Covaxin

 
O líder de Bolsonaro também citou o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, senador Omar Aziz (PSD-AM),  o vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL).
 
“O presidente da CPI, senador Omar Aziz, fez a mesma emenda propondo que a Índia entrasse na MP […] Todos propuseram que obviamente a Índia entrasse na medida provisória simplesmente porque é o maior produtor de vacinas do mundo”, disse. “Para todas as pessoas que vão lá, o relator pergunta se tem relação comigo, os senadores perguntam se tem relação comigo, todos negaram”, afirmou.
 
Barros admitiu que nomeou Célia Regina, que fiscalizou o contrato da Covaxin, quando era ministro da Saúde do governo Michel Temer.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade