Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Camilo Cola, ex-deputado e fundador da Itapemirim, morre aos 97 anos

Cola também foi ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB), tendo lutado na Segunda Guerra Mundial


30/05/2021 12:13 - atualizado 30/05/2021 22:42

Camilo Cola no dia da entrega da Medalha do Mérito Mauá, pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas, no ano passado(foto: Reprodução da internet/Twitter/tarcisiogdf)
Camilo Cola no dia da entrega da Medalha do Mérito Mauá, pelo ministro Tarcísio Gomes de Freitas, no ano passado (foto: Reprodução da internet/Twitter/tarcisiogdf)


O empresário e ex-deputado federal Camilo Cola morreu na noite deste sábado, 29, aos 97 anos, de causas naturais em Cachoeiro do Itapemirim (ES). O sepultamento foi neste domingo em Venda Nova do Imigrante (ES). Cola foi deputado federal pelo Espírito Santo por dois mandatos, entre 2007 e 2015, como filiado ao PMDB (atual MDB).

Foi fundador da Viação Itapemirim, empresa controlada por sua família até 2017, e de várias outras companhias nos segmentos de transportes, turismo, construção civil, seguro, imobiliário e agropecuário.

Em novembro de 2020, recebeu a Medalha de Mérito Mauá do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, como homenagem à sua contribuição ao desenvolvimento e progresso do setor de infraestrutura e do País. Freitas destacou o evento em publicação feita na manhã deste domingo.

Cola também foi ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB), tendo lutado na Segunda Guerra Mundial. A sua participação no confronto, em especial a batalha de Monte Castello, no norte da Itália, em 1945, foi lembrada pelo presidente Jair Bolsonaro, que prestou suas condolências à família de Cola por meio de redes sociais. "Obrigado por garantir nossa liberdade na luta contra o nazismo e fascismo", diz a postagem do presidente.

O Grupo Itapemirim se manifestou. "Capixaba, visionário e empreendedor, o Sr. Camilo Cola foi fundador da Viação Itapemirim (1953) e de inúmeras iniciativas empresariais, que deixaram um legado de desenvolvimento ao Brasil, a ser lembrado e honrado por gerações", disse a diretoria do grupo, em nota de pesar, divulgada neste domingo.



Políticos lamentam


Políticos lamentaram a morte do empresário e ex-deputado federal. O presidente Jair Bolsonaro destacou a atuação de Cola como ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial. "Obrigado por garantir nossa liberdade na luta contra o nazismo e fascismo", escreveu Bolsonaro em sua conta oficial do Twitter.



O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que o empresário ajudou a profissionalizar o transporte no Brasil. "Lamento o falecimento do visionário Camilo Cola, fundador da Itapemirim e que ajudou a profissionalizar o transporte no Brasil. Em 2020 pude agraciá-lo com a Medalha Barão de Mauá, honraria àqueles que fizeram pelo setor", disse Tarcísio, também no Twitter. Em novembro de 2020, Cola recebeu a Medalha de Mérito Mauá de Freitas, como homenagem à sua contribuição ao desenvolvimento e progresso do setor de infraestrutura e do País.



O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), informou que vai decretar luto oficial de três dias no Estado. "Recebi com pesar a notícia do falecimento de Camilo Cola, ex-combatente, apaixonado pela política e, sobretudo, um dos maiores empreendedores do Brasil, que mesmo com o avançar da idade sempre fez planos para o futuro", escreveu Casagrande, na rede social.



O senador Fabiano Contarato (Rede Sustentabilidade-ES) disse que Cola deixa um legado de liderança inspirador para as novas gerações. "O Espírito Santo e o Brasil perdem Camilo Cola, um empresário visionário, que aliou sua ampla visão empreendedora com o desenvolvimento econômico que gerou riqueza ao País", escreveu o senador no Twitter.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade