Publicidade

Estado de Minas CPI DA COVID

CPI da COVID: senador rebate uso de cloroquina: 'Água é melhor'; veja vídeo

Otto Alencar (PSD-BA), que também é médico, rebateu Luis Carlos Heinze (PP-RS), que defendia o chamado 'tratamento precoce' contra o novo coronavírus


05/05/2021 21:46 - atualizado 05/05/2021 22:26

Otto Alencar disse que tomar água é melhor que hidroxicloroquina para combater COVID-19(foto: Reprodução/TV Senado)
Otto Alencar disse que tomar água é melhor que hidroxicloroquina para combater COVID-19 (foto: Reprodução/TV Senado)
O chamado “tratamento precoce”, que consiste no uso de medicamentos sem eficácia científica comprovada contra a COVID-19, provocou discussão em mais um dia da CPI da COVID no Senado Federal, nesta quarta-feira (5/5). O senador Otto Alencar (PSD-BA), que também é médico, rebateu Luís Carlos Heinze (PP-RS) – que defendia o procedimento – dizendo que utilizar água seria melhor que a hidroxicloroquina, por exemplo.

Durante a sessão, Heinze, que é agrônomo, defendeu o uso de medicamentos sem eficácia comprovada cientificamente contra a COVID-19, como a hidroxicloroquina. As falas do parlamentar foram rechaçadas por Otto Alencar, que é médico de formação.

Alencar disse que “tomar um copo de água é melhor que tomar hidroxicloroquina”, uma vez que não tem efeito colateral.


“Em uma doença como a COVID-19, 90% a 95% cursam assintomático, leve ou moderado. Se tomar um copo de água é a mesma coisa que tomar um comprimido, 10 ou 20 de hidroxicloroquina. A água é melhor porque não dá efeito colateral. Como 90% a 95% das pessoas cursam dessa forma, não custa nada um charlatão receitar hidroxicloroquina, o doente ia ficar bom de qualquer jeito e ele diz que foi a hidroxicloroquina que salvou”, disparou Otto Alencar.

Durante o discurso, Otto Alencar chegou até a “aconselhar” que Heinze aplicasse uma vacina antirrábica. “Vossa Excelência falou até do laboratório de bovinos para usar em humanos. Da maneira que vossa excelência falou com tanta raiva daqueles que prescrevem de forma correta, nesse laboratório de utilização para bovinos uma vacina antirrábica não ficava inadequada para Vossa Excelência”, completou.

As críticas a Heinze foram endossadas pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). “O que não dá é pessoas que nunca passaram na porta de uma faculdade de medicina querer saber mais do que um médico".

Veja vídeo



Três semanas de estudo


Nessa terça-feira (4/5), Luis Carlos Heinze já havia defendido o “tratamento precoce” em pacientes com COVID-19. Ele mesmo afirmou que não era médico, mas que estava estudando sobre o assunto "há três semanas".

Ao defender o uso dos remédios, o governista citou o médico francês Didier Raoult. O próprio cientista já admitiu que a cloroquina não serve contra a COVID.

Durante sua fala, o senador Heinze afirmou também, de maneira equivocada, que remédios contra o câncer estão sendo usados para curar a aids.
 
Ao falar sobre o uso dos remédios, Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro que estava depondo no momento, disse que “tudo tem limite”.

“Não é possível que vocês acreditem que o mundo está fazendo um complô contra remédio A ou B”, afirmou Mandetta.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade