Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Sergio Moro: 'Todos precisam tomar a vacina quando ela for disponibilizada'

Ex-ministro usou as redes sociais nesta terça-feira (4/5) para incentivar medidas protetivas contra a doença


04/05/2021 09:19 - atualizado 04/05/2021 09:41

Ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro(foto: Reprodução)
Ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro (foto: Reprodução)
O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro usou suas redes sociais nesta terça-feira (4/5) para incentivar a vacina contra a COVID-19. Ele respondeu o apresentador Danilo Gentili, que informou ter testado positivo para a doença, e aproveitou para desejar melhoras e promover regras de combate ao coronavírus.

“Eu me cuido. Sem ser o trabalho, não saio pra lugar nenhum, até mesmo por preocupação com a minha mãe. Mesmo assim testei positivo para COVID hoje. Praticamente não posso tomar nenhum medicamento e por isso conto com as orações de vocês nesses próximos dias. Obrigado, pessoal”, escreveu Gentili no Twitter.

Sergio Moro respondeu: “Fique firme @DaniloGentili. Melhoras. Todos precisam se cuidar, máscara, distanciamento social e higienização. Mas, às vezes, mesmo com cuidados, a COVID infelizmente surpreende. Todos precisam tomar a vacina quando ela for disponibilizada”, disse.


Moro recebeu a primeira dose da vacina contra a COVID-19 da Pfizer. O ex-juiz, de 48 anos, foi imunizado nesta semana durante viagem aos Estados Unidos. Moro não faz parte do grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização brasileiro, mas o governo dos EUA está vacinando todos em solo americano. O que deixou o ex-juiz, então, apto a tomar a vacina.

Vale lembrar que, no Brasil, ele está sob julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e deve receber essa semana a decisão final sobre a parcialidade no processo do tríplex do Guarujá, no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a uma pena de 9 anos e seis meses pela operação Lava Jato.

No último dia 22, o plenário do STF formou maioria (7x2) a favor da suspeição do ex-juiz. O julgamento será retomado após o ministro Marco Aurélio Mello liberar o processo. O decano pedido de vista (mais tempo de análise) suspendeu a análise da última decisão. Agora, cabe ao presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, agendar uma data para a retomada do julgamento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade